Granite – Dance Legend

E aí, moçada!

Estou aqui tomando um vinhozinho chileno e meditando. A gente só medita quando bebe, né? rsrsrsrsr Não sei o que o álcool faz na gente, mas fato é que a gente nunca pensa tanto quanto quando bebe! É uma explosão de sentimentos. Podemos sentir tristeza, alegria, remorso, raiva… são tantos sentimentos! Depende, é claro, da situação por que se esteja passando na atualidade.

Eu? Bem, eu estou de bem com a vida. Aliás, nunca estive tão bem. A única coisa que está desgringolando no momento é um baita conflito interno, numa mistura de felicidade e culpa.

O fato de eu andar conversando com meu ex-namorado de adolescência tem causado um grande conflito entre minha razão e minha emoção. Minha razão diz que ele é safado, porque é casado e veio me procurar na minha santa paz no Facebook. Mesmo dizendo que só casou porque engravidou a mulher, e que nunca a AMOU, eu ainda acho que ter gostado muito de mim, como afirma, não lhe dá direito de desrespeitar a família que ele formou, principalmente porque ele contou que a mulher sofre de depressão desde o nascimento do segundo filho, e não é difícil saber o motivo… Mas é difícil ver que ele se lembra de detalhes da nossa relação que eu já cansei de esquecer. Ele narrou com minúcias vários momentos em que ficamos juntos, e eu me surpreendi com isso, pois apesar de ele ter sido uma pessoa especial na minha vida, eu já tinha esquecido de tudo.

Daí penso que para se lembrar por mais de 20 anos de tantas coisas, eu só posso ter mesmo sido importante na vida dele, como eu imaginava que tivesse sido, mas ignorava tal fato…

Mas eu realmente achei ele uma pessoa especial, e na época que eu terminei com ele eu mandei uma música pra ele, do Barry Manillow, chamada SOMEWHERE DOWN THE ROAD, que basicamente diz que a gente tem o amor certo na hora errada, e que no futuro as nossas estradas vão se encontrar, não importa quando, e que um novo amor irá ressurgir. Isso realmente é uma grande coincidência, porque através dessa música vejo o futuro do meu passado querendo acontecer, embora eu esteja “fechada pra balanço”.

No entanto, hoje tenho uma opinião formada sobre o caráter masculino, e essa opinião me faz acreditar que nenhum homem presta, inclusive aquele a quem eu tanto desejei ter no futuro, que foi um exemplo de cavalheirismo e amor à moda antiga, e que caiu no esquecimento com o passar dos anos, depois que terminei com ele.

Esse conflito interno é muito difícil, porque no fundo, eu sinto uma enorme carência de amor masculino, embora eu repudie os homens. Nonsense, eu sei, mas é a realidade. E esse sentimento me deixa como que se estivesse em um funeral, onde a gente não sabe o que dizer pros entes que ficaram, sofrendo a perda de quem amava.

E no clima de “funeral”, trago hoje pra vocês um esmalte preto, mas que tem salpicos brancos, como se fossem pontos de esperança no meio de algo que já morreu. O esmalte de hoje é o GRANITE, da Dande Legend,

Granite - Dance Legend4

O charme dele, definitivamente são os glitters brancos, não mencionando o efeito sand, é claro, que eu amo!

Granite - Dance Legend5

Esse esmalte é meio transparentinho na primeira camada, e a gente acha que vai precisar de muito mais para opacar, mas não. Duas são suficientes para cobrir bem.

Granite - Dance Legend3

Achei bem fácil de esmaltar, mas eu cometi a loucura de não usar peel off sob o esmalte, e eu já sei que talvez eu vá penar pra tirar o dyvo.

Granite - Dance Legend2

Eu, que detestava preto nas unhas, hoje tenho enorme simpatia. E isso me deixa impressionada com o fato de como podemos mudar de opinião tão rapidamente sobre algo no decorrer da nossa vida. Por isso, não podemos dizer NUNCA que NUNCA faremos algo, pois a gente pode morder a língua feio.

Granite - Dance Legend

Esse lindo, pra variar, está esgotado na Esmalteria da KK, mas certamente será reposto. Então, marque lá que quer ser avisada quando chegar, que você receberá um email quando voltar ao estoque.

Então é isso, meninas. Já anestesiada pelo vinho, me despeço de vocês, com orgulho por não ter escrito nada ortograficamente ou gramaticalmente errado, rsrsrsrsr.

Beijos!

Adri =D

Anúncios

Sobre Adri Portas

Tradutora, Blogueira e Filósofa (da vida)
Esta entrada foi publicada em Esmalte importado, Sand effect, Swatch com as etiquetas . ligação permanente.

12 respostas a Granite – Dance Legend

  1. solangepaixao diz:

    Adri, que saudade…. não pense que não tenho acompanhado a igrejinha! Sempre, amiga! Não perdi um post sobre a tua viagem e fiquei empolgadíssima com teus roteiros, penso em fazer algo ano que vem bem semelhante…. O fato é que li teu post (reli) e queria dizer o seguinte: nada como um dia após o outro. Espero sempre que você seja feliz, com sua filhona linda, seus gatinhos, e todo o reino animal pra não esquecer algum pet amado, namorando ou não. Mas é legal encontrar pessoas do passado e tals. Faz parte da vida!!! Obrigada por compartilhar essa história muito interessante. Espero que esse rapaz amável seja “cabeça no lugar”! Bj grande procêis todas, uais! Bjinho, Sô (Paixão)

    • solangepaixao diz:

      Caramba, falei, falei e esqueci de dizer que o esmalte é mesmo lindo! Tô in love com esses sands…… ai, meu bolso……. bjks!

    • Que bom que estás de volta, Sô. Senti sua falta!
      Obrigada por não ter nos abandonado! uhauhahuahuahuahuahua
      Bjus amada!
      Adri

  2. danakscully diz:

    Ai ai, mais um sand lindo por aqui para me matar de vontade! rs
    Essa história do seu reencontro pelo Face com um antigo namorado é complicada. Só sei que: bom relembrar coisas boas do passado, bom receber elogios, bom uma pitada de “pimenta” em nossas vidas… Espero que ele more beeem longe de você! hehe Brincadeira, ein?
    Beijinho,
    Van

  3. Primeiro o esmalte: LINDO!! Acho que todas entram no mesmo vício dos sands, cedo ou tarde, eu demorei mais quero mais! Quando tu falou que não gostava de preto, mas mordeu a língua, lembrei de uma discussão que tivemos com a Nina! Vocês me diziam que eu ainda usaria verdinhos…hehehe…tenho vários agora!
    Agora sobre o pilantrinha: desculpa falar assim, mas acredito que ele te endeuse porque não tenha convivido contigo. A gente sabe que a rotina mata o romance e a paixão. Eu namorei um paraguaio por dois anos e nos separamos porque a família dele era contra e ele não se decidia, não deixava claro se queria ficar comigo. Eu pressionei depois que os pais dele apareceram na minha casa, e foram muito mal educados. Mesmo assim, ele não conseguia ser firme na decisão dele. Acabei me afastando, mesmo querendo ficar muito com ele. Em dois meses, ele me procurou querendo voltar, mas eu já não tinha ilusões e fiquei na minha. Depois de uns meses comecei a namorar o falecido. Depois do divórcio, fiz uma consulta de tarô, e o paraguaio apareceu sem eu ter falado nele. PUTZ!!! Fiquei vários meses pensando no cara como a salvação da lavoura, como se ele nunca tivesse pisado na bola…precisei lembrar que ele foi um banana muitas vezes e deixar de achar que foi um erro não ficar com ele! Mas tudo são suposições…preciso delas para viver a vida real! Se ele aparecer agora e a vida dele for livre, sem as amarras que ele mesmo não se permitia soltar, até poderemos conversar… 😀 Não me leva tão a serio!
    Beijos e bom domingo, Adri!

    • Sei que está tudo errado nessa abordagem. Embora haja uma tentativa que queda em tentação, sei bem do poder de cafasjestice dos homens. E do poder de sedução tambem… Uma coisa é certa: não sairei da posição em que estou, por mais tentador que seja!
      Obrigada, Day!
      Bom domingo!!! Bjs
      Adri

  4. Izaura Moreira diz:

    Se me permitires tambem um comentário a respeito…namorei um jovem quando adolescente (nunca chegamos nos finalmentes…rsss, ate porque a virgindade era muito questionada/controlada, ou melhor, vigiada por meus pais)..Depois do término, casualmente nos encontravamos pela cidade e ele sempre meio que me provocando..eu gostava desses encontros pois era como se fosse um “amor platônico”..Casei-me mais tarde e um dia o encontrei num super e qual a minha surpresa quando ele, já casado/separado por 4 vezes, “sugeriu um casinho”! Logico, brinquei com ele, mas dá pra acreditar!! Homens! Todos iguais mesmo…mas apesar disso tudo eu ainda gosto de estar com eles..me sinto meio faltando algo, não sei se me entende…não nascemos para estarmos sozinhos…um complementa o outro (e ai cada um escolhe seu par/sexo)..Anteontem sai para dançar com uma colega de trabalho e nos divertimos muito…E a noite continua a mesma depois de tanto tempo sem aparecer nela: mulheres e homens querendo alguém para ficar ou não estarem sozinhos, aquela caçação…Dancei que doeu ate os pés…hehehe. Me diverti muito com ela…mesmo com piriguetes e perigosos…rsrss não desisto de conhecer alguem legal (mas não numa balada, claro) e dividir meus momentos, pois é bom compartilharmos a vida com alguém tão especial como a gente, não acha? Eu as vezes tomo vinho sozinha e penso depois: melhor seria estar com uma boa companhia (não precisa ter sexo, mas com ele fica melhor..rsrss) pra podermos conversar bobagens que mesmo com as amigas não é a mesma coisa por melhor que seja o papo…Eu estou bem: tenho meu trabalho onde me divirto muito e cada vez mais aprendo com os homens, pois são a maioria no meu trabalho, tenho dois cãezinhos que adoro e me divertem tbem, tenho meus pais ainda vivos e amigas/os queridos…sou saudavel…não posso me queixar! Então querida amiga, não deixe uma experiência triste estragar/marcar sua vida…há mais para viver. Eu tbem sofri e aprendi que a dor é o melhor remédio para vencermos, para seguirmos em frente com mais garra!!!! Não encuca, siga seu coração que é o melhor amigo nessas horas! E não repudie os homens: são eternos meninos que não querem crescer!

    Um grande abraço…

    • Nossa, esse texto está até parecendo matéria de revista, de tão perfeito! rsrsrsrrs
      Eu vou levando a vida, apesar de sentir a mesma falta que você descreveu em detalhes, e que certamente não são os amigos e nem os familiares que suprirão.
      Mas eu não tenho tempo e tampouco amigos com quem sair, então vou levando a vida assim, pois pelo menos não me aborreço com os eternos meninos que não querem crescer. De qualquer forma, é sempre ótimo ouvir alguém te elogiar tanto mesmo depois de você ter adquirido um lote graúdo de rugas e gordurinhas.Se ele fosse solteiro, eu acredito que eu não resistiria, pois como já cansei de dizer, ele foi diferente, e eu certamente quereria ver o que o tempo trouxe de bagagem de experiência na vida dele, é, é claro, recuperar o tempo que perdemos tendo sido tão comportados, heheheheheheh
      Então, c’est la vie!!!
      Obrigada pelos seus comentários, lindona! AMEI!
      Bjk
      Adri

  5. Aí que arraso, amei essa esmaltada.
    Beijo
    Bom fim de semana

  6. Camz diz:

    Dance Legend são sempre maravilhosos né? Com esse não poderia ser diferente.

    Sobre o seu amor do passado, eu uso a seguinte filosofia “se ele faz com a outra pessoa, vai fazer com você também”. Então se ele não vê problemas em estar casado, e querer um remember, por que ele sentiria com você?
    Claro que é uma opinião de quem tá vendo de fora e não conhece a história de nenhum dos dois né, então você não deve me levar a sério KKKK Mas como diz minha mãe, “Voltar com namorado que já foi nosso, é como comprar um carro que já foi seu. Os mesmos problemas só que mais rodado”

    kkkkkk

    • Eu penso exatamente como você. A única coisa que me faz acreditar um tiquiiiinho nele é 1) Ele gostava mesmo muito de mim quando namoramos, era super romântico e carinhoso, e suas atitudes denotavam isso. Tanto, que sempre me respeitou muito e não fez avanços por respeito a mim, embora tenha tido desejos, como todo adolescente, afinal, ele é humano! 2) Ele sofreu horrores, coitado, quando terminei com ele. 3) Ele ficou super feliz por ter me reencontrado.
      Eu lembro de ter dito a ele, quando terminamos, que quem sabe a gente se reencontraria no futuro, mais maduros, e por isso mostrei a tal música pra ele. Eu não sei se ele ainda tem por mim o mesmo sentimento de adolescente, mas fato é que ele se comportou meio que como um adolescente quando me encontrou e começou a conversar comigo. Por mais que a história do casamento dele seja nobre (casar porque engravidou a mulher – bem índole dele mesmo – de não deixar desamparada), eu não quero ser pivô da separação de ninguém. Sei bem o que é ter um casamento desfeito por causa de outra pessoa.
      Mas não acho que eu tenha que não conversar com ele nunca mais, por medo de ele se separar. O meu papel é me manter no meu lugar de amiga e não fomentar a separação de ninguém, até porque eu não o amo. Seria maldade demais de uma pessoa.
      Bjim Camz! E obrigada pelo seu comentário!!!
      Adri

Obrigada pela visita e pelo seu comentário!!! <3

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s