Nova York, Últimos Dias

Olá meninas!

Não postei anteontem porque quando cheguei no hotel fui arrumar as malas e acabei guardando tudo do notebook, então deixei pra postar hoje.

Anteontem, sétimo dia da viagem, acordamos e eu pedi para a Gabi ligar para a companhia de transporte para agendar minha ida para o aeroporto ontem. Depois, fomos na sempre Starbucks tomar o mesmo café de sempre. Saindo de lá fomos à Apple para dar uma olhada nos telefones. Eu queria mesmo só olhar, sem muitas pretensões de comprar. O meu iPhone 4S havia tempos andava com a bateria com a língua de fora. Meia hora de uso e já acabava.

Descemos na rua 59 e caminhamos até a redoma envidraçada da Apple na quinta avenida, num frio maravilhosamente congelante. Já no quentinho, no subsolo, onde fica a loja, fomos atendidas por um rapaz muito simpático. Dei uma olhada nos aparelhos, olhei o preço, quase tive um treco, mas eu realmente precisava de um telefone novo. Entreguei meu iPhone sambado para ele, depois de apagar tudo, e com isso tive um desconto de 50 dólares no preço de um novo. Não é um grande desconto, mas é melhor que nada, já que no braseeel ele não me traria retorno nenhum. O único problema era o chip da minha linha do braseeel, que é micro, e não nano, como é o iPhone 5S, que eu acabei comprando. Eu prefiro telefone menor, como era o meu 4S, mas os 4S que estão à venda só tem 8GB de capacidade, e isso pra mim não dá pra nada. A diferença no preço que paguei no meu 5S de 16GB (550 dólares, incluindo impostos), em relação ao braseeel é de 850 reais, o que não é um valor insignificante. Isso pesou para eu comprar logo o telefone lá, já que eu tinha dólares sobrando. Melhor que gastar com outras coisas, e ainda não precisaria fazer dívida no braseeel comprando outro parcelado.

De telefone novo, saindo da loja, Bia nos encontrou na rua. Gabi foi com ela para outro canto, e eu fui catar uma T-Mobile, a operadora da minha linha americana, para poder trocar meu chip por um nano. A T-Mobile ficava a uma curta caminhada, pertinho da Apple. Lá, peguei um chip novo sem pagar absolutamente nada; só entreguei meu chip antigo pra atendente. E com a troca de chip, passei a ter uma velocidade de internet superior ao 4G, um tal de LTE. Ainda paguei o mico de perguntar para a moça que me atendeu: “Não deveria estar aparecendo 4G aqui?”. E ela respondeu com olhar assustado: “LTE é um sistema mais rápido que o 4G!”. Olha, que diferença do braseeel! Certamente quando eu for pegar um chip novo para minha linha do braseeel eu terei que pagar por ele, e se quiser 4G ainda terei que pagar mais na minha conta mensal. Depois reclamam que eu falo mal desse paiseco!

Saindo da T-Mobile, fui caminhando por toda a sétima avenida em direção à Times Square. Agora, eu queria encontrar uma capa para celular antes que ele caísse no chão e arranhasse todo, como aconteceu com o da Gabi no mesmo dia em que ela o comprou. Capinha cara, 20 dólares, mas com certeza no braseeel passaria de 100 reais. Mas não achei mais barato em lugar nenhum. Não há muitos camelôs nas ruas de Manhattan. Em Chinatown certamente acharia mais barato, mas não fui lá, e nem teria tempo mais para isso.

Chegando à Times Square, fui direto para o Hard Rock Café para almoçar, pois já passava de meio-dia. Pedi minha tradicional caesar salad e tomei minha limonada com morango de sempre. Fiquei ali algum tempo, e depois de comer tudo, fui caminhando até o hotel, passando antes em uma Duane Reade para comprar mais um detergente e xampu, já que ainda tinha algum espaço na mala.

Chegando ao hotel, eu arrumei as malas e deixei tudo pronto pra viagem de volta pra casa. Tomei meu banho e saí pra comprar pizza para jantar e depois dormi.

Foi um dia em que não fiz muita coisa, porque a grana estava já no final, ainda mais depois de comprar o telefone. Eu sabia que se ficasse rodando por lojas ia acabar comprando mais coisa, e a situação não ia acabar bem, hehehehe.

Gabi acabou indo assistir a dois musicais, porque a Bia conseguiu ganhar na tal loteria duas vezes. Passava das 23 horas quando elas apareceram no hotel correndo para Gabi pegar a mala que ela tinha deixado comigo. Ela iria voltar com a Bia para New Jersey, onde ela estava hospedada.

Fiquei mega preocupada de as duas pegarem trem tão tarde. Acostumada com a violência do braseeel, sabe como é, né? Só fiquei tranquila quando elas ligaram avisando que tinham chegado.

Acordei cedo ontem, o oitavo dia de viagem, e fiquei morcegando na cama até as 10:30. Estava previsto vento beeem frio, e eu estava fazendo hora para fazer o check-out, que era meio dia. Quando deu 11 horas eu desci de mala e cuia e fiz o check-out. Deixei uma bolsa e duas malas, uma com 25 e outra com 31 quilos, no guarda-malas (15 dólares!!!!!) e saí para almoçar. Fui no Olive Garden da Times Square almoçar.

chickenComi meu chicken scampi (linguine fininho com frango) e voltei para o hotel. Estava muuuuuuuuuuito frio, apesar de estar “só” -9 graus. A sensação térmica era de -19 graus, por causa do vento.

Quando deu 14 horas fui pra porta do hotel esperar a van. Estava preocupada de o motorista chamar por mim e eu não ouvir, já que eu sou surda, né? Mas graças a Deus o cara chegou na hora marcada e eu consegui identificar a van, que era igual à que me levou para o hotel quando cheguei.

Cheguei no aeroporto por vota das 16 horas. Meu voo era às 19:20, e por sorte não foi cancelado, já que váááários voos locais foram cancelados por causa do clima. Enquanto isso, Gabi estava no aeroporto La Guardia, pronta para embarcar para Atlanta, onde trocaria de avião para o Rio de Janeiro. Detesto fazer conexões, e quando vou a Orlando ou Nova York sempre prefiro voos diretos, que são feitos pela TAM.

Diferentemente do voo de ida, meu voo de volta foi um verdadeiro caos. Um homem sentado à minha frente (vestido como tal), se entupiu de um perfume feminino (Dolce & Gabbana, da caixa aveludada vermelha) que eu costumava gostar muito, até o dia em que meu vidro caiu no chão e a casa ficou cheirando ao tal perfume por um mês inteiro. Hoje não posso nem sentir de longe o tal cheiro, que me embrulha o estômago. Imaginem, então, viajar por 10 horas sentindo o tal cheiro. Isso, sem falar no infeliz do cara que estava sentado atrás de mim dando socos com as pontas dos dedos na tela touch screen que fica atrás dos assentos. Cada vez que ele dava uma dedada eu movia o encosto da minha poltrona pra frente ou para trás, para irritá-lo tanto quanto ele me irritava. Parecia que tinha um pica-pau atrás do meu encosto. Estava só esperando ele vir reclamar comigo que eu não parava com sua tela quieta, que eu iria logo dizer que eu o estava incomodando como ele a mim, com suas dedadas. Mas infelizmente ele não reclamou. Tinha hora que dava uma trégua, mas quando eu pensava que a paz reinava, ele voltada com o diacho das dedadas. E o vai-vem do meu encosto se repetia toda vez que ele dava porrada na tela com a ponta dos dedos ao invés de simplesmente encostar nas opções que queria. Por que diabos as pessoas simplesmente não encostam o dedo na tela (como eu faço), ao invés de darem porrada, como se só funcionasse com porrada????

No meio da viagem eu troquei de roupa, e coloquei meu vestidinho de gata borralheira e meus crocs, e fiquei assistindo filme até por fim chegarmos ao Rio de Janeiro.

Cheguei sem telefone, por causa do chip antigo que não cabia no aparelho novo. Tentei cortar o dito, para ver se cabia, como fiz de outra vez, só que desta vez não funcionou. Então ficarei incomunicável até quinta-feira. Se conseguir, comprarei um chip pré-pago até conseguir ir a uma loja da operadora para pegar um nano chip da minha linha. Na minha cidade tem UMA única loja da operadora, que mais parece uma feira livre de tão cheia que é. Então, prefiro deixar para comprar o chip novo quando voltar ao Rio de Janeiro, na quinta-feira, quando trarei Gabi de volta.

E de volta à vida normal, preciso dar um trato nas unhas, que, como sempre, estão em condições lamentáveis, ainda mais com tanto frio que peguei. Por mais que hidratasse, o frio era muito forte.

Como eu prometi, não comprei nenhum vidrinho. Vi muitas cores e marcas diferentes, mas segurei a onda por vários motivos. Estou feliz que conseguir me conter, heheheh.

Em breve voltarei à ativa aqui no blog, trazendo as cotoquettes coloridinhas para vocês.

Beijos em todas!

Adri  😀

Advertisements

Sobre Adri Portas

Tradutora, Blogueira e Filósofa (da vida)
Esta entrada foi publicada em Viagem. ligação permanente.

14 respostas a Nova York, Últimos Dias

  1. Jane Costa diz:

    Adorei viajar contigo hehehe. Muito bom ler seus textos, são concisos, bom de ler, coisa de profissional mesmo hehehe.

    • Desculpe não ter lhe respondido quando deveria, Jane. Agora, relendo o post, é que vi que seu comentário ficou sem resposta. Perdoe-me.
      Agradeço por “viajar comigo”. Muito obrigada!
      Bjk
      Adri

  2. daisygaray diz:

    Valeu pela ótima viagem, mais uma vez! Não sei qual santo te segurou para não comprar esmaltes, mas preciso saber, com urgência! huahuahuahua É horrível encontrar a casa bagunçada, mas isso é fácil de arrumar. Pelo menos o calor baixou…por uns dias!
    Beijos

    • Menina, tô passando um aperto com a temperatura, hahahahaha. Vou gastar uns 5000 reais de luz por causa do ar condicionado. Sair de uma temperatura e ir para quase 50 graus a mais, é dose!
      Bjs
      Adri

  3. Mila Peteca diz:

    Oiee….olha quem apareceu? Rsrsrs.
    Parece que tudo aconteceu nessa semana pra mim tbm…foram tantos aborrecimentos…mas acompanhei a sua viagem todos os dias…no mesmo bat horário de sempre. Minha operadora tbm resolveu me deixar sem internet por 2 dias…então vc pode imaginar o caos. Adorei suas comprinhas (ainda que moderadas) e adorei as fotos… fui hj ao mercado só pensando nos pimentões que vc mostrou..rsrss. Broxei na hora com o que vi por aqui….kkkkkk
    Minha amiga , melhor se preparar….e bem vinda a ( triste) realidade!
    Bjos , Milene.

    • Oi Mi! Já cheguei tendo pitis. A dura realidade deu um murro na minha fuça. Cheguei em casa e estava tudo de pernas para o ar. Não tinha mais espaço pra tanta sujeira e tanto pelo de gato (e baratas mortas). E o calor???? Caramba, me senti um bacon fritando numa frigideira. Estou já em desespero…
      Bjs
      Adri

  4. danakscully diz:

    Oi Adri!
    Estou lendo os posts com um certo atraso mas estou, viu? Nem vou tentar comentar os anteriores porque sei que não conseguirei. A Stella pegou uma virose gastrointestinal que eu acabei pegando depois, então você já imagina como foi a semana passada para mim e como está sendo essa, né? Estamos bem em relação à virose, mas meu intestino deu pt e estou com muita dor. Meu sogro faleceu neste sábado. Resumindo, minha vida está bagunçada e eu uma pilha de nervos. Para ajudar estamos sem luz desde 9 horas e ela só voltará lá pelas 17 horas. Aff…
    Acho bem bacana você optar por sempre comer em lugares bons (meu marido só come besteira quando viaja) e comprar e comprar e comprar quando viaja, mas agora que o dólar passou dos R$ 3,00, como tudo está caro para a gente!!! Quem não comprou dólar para viajar se f…. (o meu caso…) Uma amiga minha vem comprando dólar faz um tempo para viajar para fazer compras para o bebê que vai nascer e acho que só assim está compensando, viu? Fiquei abismada com o valor do IPhone, nunca imaginei que seria esse o preço dele lá fora. Aqui no braseel ele está saindo por R$ 1.935,12! E esse aparelho específico ainda tem a desvantagem de não ser compatível com o 4G do nosso salve salve braseel.
    Eu vou viajar esse ano, é questão de honra, mas torrarei dinheiro só vivendo bem nos dias em que estiver viajando como você faz, sem economizar, mas compras ficarão para uma hora mais favorável para o meu bolso (se é que um dia voltará a ser…), que é beeem mais humilde. Mas não passarei vontade no resto! Hehe
    Beijo e boas vindas,
    Van

    • Obrigada, cherie!
      Eu comprei os dólares quando custava 2,75. Realmente é assustador como aumentou. Muitas coisas não são muito vantajosas mais de se comprar, mas algumas coisas se salvam. Esta foi a primeira vez que me contive para não comprar demais. E como tenho ainda trocentos esmaltes da última viagem que não postei ainda, eu realmente não tinha por que comprar mais. Acho que nem que estivesse custando 1 dólar eu não compraria. Espero nunca viajar contando tostões. Gabi fez isso desta vez, e ela sentiu como é ruim. Se Deus quiser, a situação vai melhorar!
      Sinto muito pelo seu sogro e por vocês estarem com essa virose. Espero que melhorem logo.
      Bjs
      Adri

  5. ehsaguiar diz:

    Ainda bem que voce conseguiu “se segurar” e “economizar” nao comprando esmaltes kkkkk.
    Bem-vinda ao lar.
    Beijos

  6. pikrodafni diz:

    “Vestido como tal”?! O homem perfumado sentado à tua frente estava vestido de mulher, ou entendi mal?

Obrigada pela visita e pelo seu comentário!!! <3

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s