Manuela – Impala

Olá meninas!

Para contrastar com o branquinho de ontem, hoje eu resolvi hoje colocar um pretinho básico: o MANUELA, da nova coleção Isis Valverde da Impala.

Na verdade, eu coloquei esse pretinho cheia de más intenções, porque quero fazer uma coisa que eu queria fazer há muitos meses e nunca fazia, e o preto servirá de base para esta coisinha que quero fazer, heheheh.

Manuela - Impala2

Incrivelmente, esse esmalte cobre com UMA camada (generosa). Nas fotos, duas unhas estão com uma camada e duas com duas camadas. Aposto que vocês nunca descubrirão qual é qual!

Manuela - Impala

Ele é um esmalte fosco, e foi bem fácil de esmaltar com ele. Eu realmente me surpreendi com esse esmalte, vindo de quem eu sempre reclamei, a Impala. Eles realmente estão melhorando suas fórmulas, e surpreendendo quem achava que nunca iriam mudar (embora a mudança esteja lenta). Mas já foi uma grande coisa fazerem a coleção inteira da Isis Valverde 3-free, o que colocou  marca à frente de muitas nacionais.

*** ESTE ESMALTE É 3 FREE ***

Manuela - Impala3

Há pouco tempo fui apresentada pela Cris do The Clockwise Nail Polish à técnica de leadlight stamping, que consiste em pintar a unha de preto, carimbar de branco e usar esmalte ralo, tipo o Sheer Tints da OPI para tingir o branco. Veja um vídeo dessa técnica clicando aqui. Com isso, a venda de esmaltes pretos tem aumentado bastante. Você sabe… tudo que é novo o povo cai em cima, neah? E nada melhor para isso do que um esmalte preto com boa cobertura, que cubra com uma só camada, pois assim a camada de esmalte sobre a unha não fica grossa. Este esmalte está perfeito pra isso! E não, você está enganada, se pensa que pintei as unhas de preto pra isso, hahahahaha.

E mudando de alhos para bugalhos, fui ao shops do vilarejo outro dia e passei pela loja da Crocs porque vi através da vitrine uma sapatilha bonitinha que parecia muito confortável. Entrei e experimentei. A cor não é das mais discretas, mas ela é tããããããão macia e gostosa, que não tive dúvidas; comprei para a viagem, pois vocês bem sabem que eu preciso aposentar meu tradicional chinelinho “oficial”, hahahahah. Vejam a dita cuja.

Crocs

Aproveitei esta tarde, que queria ir ao shops tomar um capuccino da Kopenhagen (não resisto) e resolvi usar a sapatilha para ver se machucaria meu pé, e para minha alegria, penso que poderei usar e abusar da queridete, porque parece que estou caminhando sobre nuvens com ela. Já vi que virará meu sapatinho oficial de viagens.

Não tem coisa mais penosa para mim do que andar o dia inteiro com um sapato que me machuque ou faça bolhas, e os Crocs “cascudos” (os tradicionais, Classic, abaixo) foram que salvaram minha pele quando fui à Disney pela primeira vez.

crocs-classic Eu sempre achei Crocs as coisas mais horrendas que o homem já criou. Quando o vi pela primeira vez no pé de um amigo, eu fiquei fazendo chacota, e mal sabia que um dia seria o cascudinho que iria me salvar da desgraça. E foi dito e feito! Quando fui à Disney em 2008, eu fiquei com bolhas imensas nos pés, e mal conseguia pôr os pés no chão. Meu desespero (dor) foi tão grande, mas tãããão grande, que resolvi colocar a “coisa horrenda” nos pés, pra ver se tinha jeito, e eu não perdia o resto da viagem enterrada no quarto do hotel. Uuuuuuuuuuhhhhhhh…. foi minha interjeição quando calcei. O que ele tem de feio, tem de confortável; verdade seja dita! Mordi minha língua, e a cada viagem que fazia comprava mais um par. Só que, neah, o bichinho ainda é feio de doer, e eu fiquei bem feliz que estão fazendo umas versões “patricinhas” como essa que comprei. Acho que não combina muito com meu estilo “senhoura”, mas quer saber, (com licença da palavra) KGAY!! Quero é conforto!!!! Quero não lembrar que tenho pés nas viagens que faço. Viajar e não andar o dia inteiro, não é aproveitar a viagem, para mim. Quem gosta de viajar sabe bem do que estou falando!

E Gabi ficou frustrada porque queria uma também, mas não tinha o número dela. Quem sabe a gente consiga encontrar durante a viagem… Tomara! Então é só por hoje, cheries!

Beijinhos!

Adri 😀

Anúncios

Sobre Adri Portas

Tradutora, Blogueira e Filósofa (da vida)
Esta entrada foi publicada em Esmalte fosco, Esmalte nacional com as etiquetas . ligação permanente.

8 respostas a Manuela – Impala

  1. jubaoli23 diz:

    louca pra ver essa leadlight que você fez/ vai fazer 😉

    não gosto muito do desing no Crocs, essa sapatilha até vai, mas não dessa cor.
    e você não é a primeira pessoa a dizer que é bastante confortável.
    só experimentando pra eu saber…

    bjos

  2. danakscully diz:

    Meninas, resolvi entrar no link que a Day postou e espantei-me com a variedade de modelos de Crocs! Acho que só teria coragem de usar o modelo Crocband Flat II.5, mas adorei a ideia de comprar um que muda de cor para a Stellinha!!!!!!

  3. daisygaray diz:

    Adoro e não resisto a esmaltes pretos foscos! Tenho vários e este será mais um na minha coleção. Não dá para saber quais unhas tem duas camadas mesmo, todas estão perfeitas! BABAY! Tenho um destes Crocs,de menina, e já sovei o coitado nas viagens a São Paulo. Ele realmente não machuca, embora no último dia de caminhada, meus pés já estivessem doendo até quando eu tomava banho! hauhuaha Comprei aqui http://www.netshoes.com.br/search?Ntt=Crocs e também tem a loja oficial http://www.crocs.com.br/ que deve entregar antes da viagem.
    Beijos

  4. danakscully diz:

    Impala com 1 camada?!?!?!?! Nussa, tudebão!!! Adorei esse pretinho Adri!
    Aim, como acho feio esses Crocs. Eles parecem mega confortáveis, mas não tenho coragem de usar. Sou como você: se eu gosto de alguma coisa, uso e não estou nem aí para os outros, mas não consigo passar por cima do meu gosto.
    Beijinho e um ótimo final de semana,
    Van

    • Pois é, Van. Me surpreendi no teste safado que fiz, e na esmaltação também. É claro que com uma camada normal (com pouco esmalte), fica manchado, mas se carregar bem o pincel e espalhar bem, não precisa de segunda. Já é um imenso progresso, penso eu.
      E quanto aos Crocs, eu tenho certeza que a minha necessidade determinou o uso do dito. Não fosse isso, jamais os teria colocado nos pés. Mas como eu disse, quem viaja muito sabe bem o que é não conseguir andar por causa de bolhas que sapatos ruins fazem. Até rasteirinhas me dão bolhas nas plantas dos pés. A necessidade neste ponto foi fator determinante!
      Beijins e bom findi!
      Adri

Obrigada pela visita e pelo seu comentário!!! <3

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s