Bright Orange – 357 – Kiko

Olá garotas!

Hoje trago para vocês um laranjão perfeito, o BRIGHT ORANGE, da Kiko (357).

Bright Orange - 357 - Kiko4

Ele é um esmalte cremoso com uma ótima cobertura, de um laranja super intenso e vibrante, embora não seja neon. Quaaaaaase fecha com uma camada; faltou pouquíssimo! Como ficou um leve fantasminha da unha sob a camada única que tinha passado, resolvi colocar uma segunda, para fechar bem. Fiquei bem surpresa com a cobertura, pois eu sinceramente esperava que fossem necessárias pelo menos umas 3 camadas. Comprei esse esmalte porque amei a cor, mesmo que fosse aguadinho.

Bright Orange - 357 - Kiko3

*** ESTE ESMALTE É 3 FREE ***

Ele tem um brilho muito bom, mas eu finalizei com top coat para disfarçar as ondulações da unha. E como podem ver, acrescentei uma peninha da cartelinha de decalques de água D-1717 da Born Pretty Store.

D-1717

Realçou muuuuito bem na minha pele clara; adorei!

Bright Orange - 357 - Kiko2

E no polegar, usei uma pena maior, mas que era azul, com bolinhas igualmente azuis, e acabou ficando com uma cor meio esquisitinha, porque o decalque é transparente, e não opaco, o que é uma pena. Se ficasse azul sobre esse laranjão ficaria magnífico! E no anelar, usei a peninha preta.

Bright Orange - 357 - Kiko

Mas independentemente disto, achei que ficou uma mani linda!

Esse esmalte eu trouxe da Itália, e você poderá comprá-lo na Elements Cosméticos, por 19,99 (por que não colocam logo 20???). Basta clicar no link e ir descendo, procurando a cor 357.

E na BF de hoje, disserto sobre opiniões. Como diz o povo na linguagem chula, opinião é como ânus (para não dizer a forma exata como falam por aí), cada um tem a sua. Acho ridículo pessoas comprarem briga com outras porque têm opinião diferente de você. Acho que você tem que dar sua opinião e pronto, não impondo que os outros a aceitem. Fique na sua e chega, a menos que te questionem o por quê da sua opinião. Agora, comprar briga (quase que literalmente), porque você tem uma opinião oposta da da pessoa, acho o cúmulo da falta do que fazer. É porque a vida está tranquila e monótona demais, né? Ou talvez seja falta de uma pia cheia de louça para lavar e se ocupar com coisas úteis.

Esse tema entrou aqui hoje porque eu comentei numa página local no Facebook, uma postagem que dizia que mulher grávida e idoso causam sonolência porque as pessoas que estão nos ônibus sempre fingem que estão dormindo para não darem lugar a essas pessoas, como reza a boa educação e cortesia. O comentário que fiz no post da página, é que acho o povo brasileiro, no geral, um povo egoísta e mal educado. Essa é a minha opinião, com base nas coisas que já vi nas muitas viagens que já fiz ao exterior. Lá fora as pessoas se importam com você, na grande maioria das vezes, mesmo sem lhe conhecer.

Eu mesma já passei por uma situação em que eu fiquei envergonhada (postei aqui, quando estava em Santa Monica, na California, em 2011) porque não fui mais solícita com alguém que precisava de atenção. Mas eu sou brasileira, e lamentavelmente tenho muito dessa cultura “ruim” daqui enraizada na minha pessoa. Aqui o lema é cada um por si e Deus por todos. 

Mas sobre a questão de dar lugar a idosos e grávidas, canseeeeeei de levantar pra eles sentarem, fosse em ônibus ou em metrô, e eu levantava do banco olhando pras caras dos homens barbados que fingiam que não era com eles.

No trânsito, procuro sempre dar passagem a pedestres, ou a carros que querem fazer uma curva difícil em um cruzamento que não tenha sinal, ou a carros que querem entrar na pista e ninguém deixa. Eu fico furiosíssima quando saio do meu condomínio para pegar a pista principal, vou pelo acostamento dando seta para a esquerda para entrar na pista, e os desgraçados que vêm atrás aceleram pra não deixar que eu entrar. Canseeeeeeei de passar por isso. Hoje, eu simplesmente dou seta e jogo o carro em cima, e se bater, que se dane! No final eles sempre acabam deixando eu entrar pra não baterem no meu carro. E ainda tem os irritadinhos que metem a mão na buzina, e eu, simplesmente ligo o “ph…-se” e finjo que não é comigo. É claro que assim como eu, há muitas pessoas que tem um pouco de educação, mas essa cortesia são poucas pessoas que têm, lamentavelmente. Penso que não custa nada ser prestativo e ajudar os outros, não só em situações assim, mas no geral.

E quando fiz o tal comentário na página, a pessoa que publicou o post se sentiu insultadinha e veio com 5 pedras na mão, dizendo que se eu achava o braseeel ruim que fosse embora daqui, e não foi com essa “gentileza” que ela falou, e tampouco foi só isso que disse. Agora a pergunta: tem necessidade disso??? É claro que toda ação desencadeia uma reação, e não ficou por isso, porque não sou de levar desaforo pra casa. Sou uma pessoa com minhas opiniões, não tento convencer ninguém de que a minha opinião é a melhor. Espero que as pessoas aprendam a respeitar a opinião dos outros ao invés de simplesmente atacarem. Penso que a dita devia estar com algum tipo de carência naquele dia, e queria pegar um pra Cristo. E não satisfeita, agora resolveu, depois de 4 meses remoendo o assunto (enquanto eu nem lembrava mais dele), começou a mandar emails para mim, de emails fictícios criados somente para este fim, dizendo que espera que eu vá embora logo do braseeel, e mais alguns insultinhos, para não perder o costume e a evidência de que é boa braseeeleira. Então eu pergunto, isso é ou não é falta do que fazer???? Por que essa criatura não vai fazer um trabalho voluntário ao invés de ficar se preocupando se eu estou ou não estou nessa porcaria de país ainda??? Chega disso!

Para as que não sabem da notícia ainda, meu Quindim faleceu na sexta feira, enquanto eu fazia carinho nele. Me deu muita pena, mas espero que ele tenha ido com a certeza de que foi muito amado.

Beijos, e não percam o eclipse lunar desta madrugada! Eu não vou poder ver porque o tempo aqui está uma porcaria.

Adri =|

Anúncios

Sobre Adri Portas

Tradutora, Blogueira e Filósofa (da vida)
Esta entrada foi publicada em Bobeirinhas Familiares, Esmalte importado, Swatch com as etiquetas , . ligação permanente.

21 respostas a Bright Orange – 357 – Kiko

  1. jubaoli23 diz:

    gente que cuida da vida alheia: ¬¬
    ôh raça ruim essa Brasileira! :S

    mudando de assunto… amei a mani, Adri
    bjão

  2. daisygaray diz:

    Engraçado que a falta de educação que tu reclamou, é a mesma que a fulana se dispôs a mostrar que também pratica! Falam que o povo gaúcho é hospitaleiro e gentil, mas vejo muita falta de educação, principalmente em locais de uso publico, como shopping centers, cinemas e restaurantes. As pessoas acham que o valor pago, inclui liberdades do tipo, por pés na cadeira do outro, falar alto, furar fila, etc…estou virando um ser anti-social!
    Beijos

  3. thabatarodrigues diz:

    A mani ficou linda Adri, o detalhe das peninhas deu todo um charme, adorei!

    As vezes acho que eu deveria ter um pouco mais de personalidade, ou sou tímida demais para dizer o que realmente acho, muitas vezes leio alguns posts por aí a fora e logo me vem algo na cabeça, mas prefiro não expor minha opinião.
    Como sempre vai ter algum para discordar, prefiro ficar na minha, entendo que minha realidade pode não ser a sua. (Você também acha que é falta de personalidade?)
    Mas isso não quer dizer que eu não aceite as opiniões dos outros, e mesmo que lá no fundo eu discorde um pouco, jamais trataria alguém sem a educação que recebi.
    Tem pessoas que gostam de causar, e pra essas eu deixo falando sozinha…
    Concordo com você que a falta do que fazer desta “ser” é grande, e também concordo, mesmo não tendo conhecido outros países, que o povo brasileiro é egoísta, sem educação e por aí vai…
    E claro que há suas exceções, mas a cada dia que passa encontro menos…

    Sobre o Quindim, que triste 😥 descansou coitadinho…
    Beijos!!!

    • Obrigada Tha!
      Eu não consigo entender porque as pessoas têm medo de dizer o que pensam. É claro que se for falar algo ruim, é bom que se planeje como falar, ou pelo menos prepare a pessoa para falar, mas acho que não ser transparente é um erro muito grande, porque isso, de certa forma, é estar enganando a outra pessoa. Eu me sinto uma traidora por não dizer o que penso quando acho que tenho que dizer. E não acho que isso seja falta de personalidade, mas sim de coragem de enfrentar uma possível reação negativa da outra parte. Como eu não tenho medo de nada (nem da morte), encaro!
      Eu só acho que quando você discorda de alguém, não precisa partir pra briga, como a fulaninha fez. Argumentar, desde com a devida educação, é válido e penso até que seja um meio de exercitar o ato de enfrentar desafios, o que muita gente não gosta de fazer, por ter que sair da sua zona de conforto.
      Obrigada pelo valioso comentário.
      Beijos
      Adri

    • Obrigado pela resposta Adri!
      Verdade, é mais falta de coragem mesmo…
      Vou tentar sair mais de minha zona de conforto 😀 rs
      Beijos!!!!

    • uhahuahuahuahuhuahua. CORAGEM, mulher!!!! Seja guerreira!
      Beijos e bom feriado!
      Adri

  4. Lindo esse esmalte laranja da KIKO!!!!
    junto com esse decalque, eu adorei
    bjos madame
    http://unhassemfrescuras.blogspot.com.br/

  5. Jane Costa diz:

    Esse esmalte tem uma cor linda, bem incomum.
    Adri, eu nem ia comentar, gosto muito de como escreve, seu texto é limpo e claro, sempre leio até o final sem me cansar. Então, como sempre expõe suas opiniões, já percebi sua amargura em relação ao nosso “querido” Brasil e entendo vc, Só quem já viajou e conhece realidades melhores, como uma sociedade organizada funciona melhor, sente esse desconforto por sair perdendo sempre quando o quesito é qualidade de vida. Mas não se iluda, quando o assunto é a raça humana… gente ruim e boa existe em qualquer lugar. No geral, o brasileiro é mal educado mesmo, isso é triste, mas paradoxalmente é um povo feliz. O sol que brilha sobre nossas cabeças talvez seja o maior responsável, o fato que somos irremediavelmente alegres. A Dinamarca, por exemplo, é um pais civilizado, organizado, tudo funciona, já o povo é introspectivo e triste. Tudo na vida tem seu lado bom e ruim. Generalizar é um erro muito grande. Beijo no coração.

    • Jane, primeiramente, obrigada por expor seu ponto de vista e comentar aqui.
      Entendo seu ponto de vista sobre prós e contras dos povos, e sei que todo país os têm.
      Ser educado e prestativo, penso que independe de humor se a cultura do povo tiver valores fundamentais como “ajudar ao próximo” enraizado na sua educação. Diga-se de passagem tenho várias amigas que são professoras de escolas públicas aqui no braseeel, e o que mais as vejo reclamar é que os pais mandam crianças mal-educadas para que a escola os ensine a ter educação, só que esses pais se esquecem que a educação que se dá na escola é meramente cultural e não comportamental, e que as crianças deveriam ir para a escola ao menos com um mínimo de educação. Mas o que se vê no geral são crianças que batem nas outras, xingam os colegas e professores, fazem bagunça, gritam, falam enquanto a professora tenta ensinar, e esse é só o início da abertura do leque de “elogios” das crianças braseeleiras que frequentam escolas públicas no país.
      Eu sei muito bem que nem todo país fora do braseeel é ótimo. Amei a Itália, é um país lindíssimo, mas há mais de 30 anos sei que é um povo grosso e antipático. Os franceses também não vão longe, embora eu já tenha sido ajudada com muita gentileza por pessoas de lá.
      Sei que no braseeel há MUITAS pessoas como eu, mas essas muitas pessoas se apagam numa massa populacional tão grande, egoísta e mal-educada como a do braseeel.
      Beijos
      Adri

  6. Flor que laranja mais mais mais lindo.. amei de paixão.. sou tarada por laranja, roxo, lilás e rosa escuro .. tipo pimenta rosa da colorama sabe? adoro… ficou muito lindo..
    beijos

  7. Adoooro esse esmalte!!!

  8. Esse esmalte é dyvo mesmo, realça bastante na sua pele.
    Não sei se te disse q o povo do grupo q participo começou a comprar nessa loja q descobri os Kikos e tá uma festa! Mta gente q já comprou tb elogiando e tomara q ela continue lá bonitinha, mesmo com essas novas frescurites do governo de taxar mais ainda as compras internacionais.
    Sobre o nosso povinho brasileiro, realmente é uma lástima… Mas vou te contar uma pra animar: meu pai qdo era mais novo, estava sentado num ônibus cheio qdo veio uma mulher q ñ era velha, e pediu pra sentar no lugar dele. Ele prontamente cedeu o lugar e a mulherzinha teve o desplante de comentar com a amiga: “Cara besta, me deu o lugar!!!” . Meu pai virou-se pra ela e disse: “Com licença, meu pente caiu aí…” Ela levantou-se e ele sentando disse: “AGORA O BESTA VAI É SENTADO!!!!!!”
    Viu de onde vem minha gaiatice, né amiga?!!! ahauahauahhahahaha
    Bjs.

  9. CandyAngel diz:

    Gozando do meu direito de ter opinião diferente (mas sem comprar briga que tu és brava demais para mim hahahahah ;P): não acho que as pessoas (em geral) sejam bem educadas em portugal… no entanto os estrangeiros vêm cá e acham que somos hospitaleiros (e somos)… sei lá, acho que há gente bem e mal educada em todo o lado e se vivemos num país temos mais oportunidades de ver o mau 🙂

    Quanto à outra com falta do que fazer…. coitadinha deixa-a lá estar entretida ;P

    E adorei esse laranjinha! ** *

    • Catinha, fomos colonizados pelos portugueses, e segundo dizem as más línguas, em muito somos parecidos com vocês, embora eu ainda ache que vocês são mais educados.
      Mas nos EUA eu não sei se tive muita sorte, mas vi muuuuuuitas pessoas se preocupando com outras, ou oferecendo ajuda, com atenção, muito diferente do que vivemos aqui. Acho que quem defende isso aqui é porque nunca teve dinheiro pra conhecer o que é um país desenvolvido de verdade, não só financeiramente, quanto culturalmente.
      Beijos amore.
      Adri

    • CandyAngel diz:

      LOL confesso que enquanto escrevia pensei nessa teoria da descendência (mas fiquei caladinha hehe) 😛
      Mas vá quando eu tiver dinheiro para viajar mais conversamos de novo hehe
      nota: só viajei para frança e não os achei nada prestáveis! 😛

    • Catinha, eu não generalizo e digo que toda raça é maravilhosa. Achei os italianos e franceses, sim, pouco prestativos com os que não falam sua própria língua. Ao contrário, achei os italianos bem mal educados e grossos. Quando eu falo do povo brasileiro, o comparo aos americanos que vi. Os poucos noruegueses que conheço, também são muito prestativos e atenciosos. Há povos e povos.
      Bjs
      Adri

Obrigada pela visita e pelo seu comentário!!! <3

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s