Dia 11 – Morcegando em Roma

Olá meninas!

Descrevo hoje o dia 11 da viagem, pois ontem chegamos ao hotel e fui logo dormir, porque hoje precisava acordar muito cedo para irmos para o aeroporto. Na verdade, nem tenho muito o que contar.

Ontem foi um lindo dia de sol, mas eu e Gabi não fizemos absolutamente nada de produtivo. Devíamos ter deixado para fazer no dia 11 o que fizemos no dia 12, já que choveu no dia 11 e fez sol no dia 12.

Acordamos por volta das 8 e nem café tomamos. Fomos logo organizar as bagagens, porque de Roma para Lisboa, o próximo destino, teríamos que ter somente 23 quilos em cada bagagem, e 8 em cada carry-on, diferente dos pesos que teremos direito de Lisboa ao braseeel, que será 32 e 12 quilos.

Sei que esse arruma-arruma terminamos por volta do meio-dia, e então resolvemos sair para almoçar. Fui comprar umas coisinhas que queria e fomos para o Hard Rock Café outra vez, porque eu queria comer uma salada caesar, que eu não comi desde que cheguei (sempre como saladas caesar em minhas viagens – não é simpatia, hehehe, simplesmente gosto).

Caesar

E assim fizemos. Almoçamos e voltamos para o hotel.

Tínhamos combinado com a Luciana de nos encontrarmos no restaurante em que jantamos no dia 10, o Sa Tanca Crostaceria, às 19 horas.

Chegamos de volta ao hotel por volta das 16 horas, e tiramos um cochilinho. Estava um friozinho gostoso, e depois de comermos muito, deu uma lombeira danada. Ademais, não tinha nada mais interessante para fazer, e meus dedinhos dos pés continuam cheios de bolhas, então, andar não era uma excelente ideia. Queria mesmo era descansar, pois nessas viagens sempre andamos muito, e carregando o peso da mochila é fogo.

Quando deu 18:40 desci para ir ao mercadinho comprar uma garrafinha de chá e ir para o restaurante. Gabi foi tomar banho e nos encontraria depois, no restaurante.

Jantamos, mas o prato que comi não estava tão gostoso quanto a entradinha que tivemos na noite anterior. Comi um risoto de camarão, mas acho (e Gabi também) que o que eu faço é mais saboroso.

O retorno para o hotel é que foi trágico. Voltamos, tomei meu banho e caí na cama, onde Gabi já estava. Separei as roupas que usaria hoje e deitei para dormir. O quarto tinha 3 luzes: duas arandelas, uma sobre a minha cama e outra sobre a cama da Luciana, e a luz principal, no teto do quarto. Quando eu deitei, desliguei a minha luz e a principal, e Luciana disse para deixar acesa porque ela ainda iria arrumar a mala dela. Só que ela estava deitadinha, mexendo no inseparável telefone dela, e já tinha uns 15 minutos fazendo isso. Achei um absurdo ela ficar deitada mexendo no telefone e querer que deixássemos todas as luzes do quarto acesas, já que ela não estava efetivamente arrumando as malas. Me fingi de desentendida e apaguei a luz principal, e só a dela ficou acesa. Alguns minutos depois, ela acendeu novamente a principal, e continuou deitada mexendo no telefone. Eu estiquei o braço até a parede e apaguei. Gente, eu jamais faria isso. Se alguém estivesse dormindo, eu procuraria ao máximo não incomodar quem queria dormir. Se escolhemos ficar todas juntas, uma tem que colaborar com o bem-estar da outra. Querer todas as luzes acesas só para mexer no telefone e deitada, achei um absurdo. E na hora de ela arrumar as malas foi um tal de abre e fecha de zíper, que parecia até proposital. Isso só me faz pensar que VIAJAR COM A GABRIELA É ÓTIMO!

Isto, para não falar nos ataques de piti que ela dava de vez em quando, que me lembrou muitíssimo o “falecido”.  Ela foi perguntar na recepção quanto tempo era até o aeroporto, e o cara disse que tinha dois aeroportos; para um era meia hora de carro, para o outro, uma hora. Ela então me perguntou qual seria nosso aeroporto, e eu disse que não sabia, porque não estava com as passagens nas mãos. E ela então agiu como se fosse um absurdo total eu não saber qual seria o aeroporto, como se fosse somente minha a obrigação de saber. Ela também não está viajando? Por que ela não olhou qual seria o aeroporto? Será que ela também achou um absurdo ela mesma não saber? É mais fácil culpar os outros, né? O “falecido” era muito assim, e eu odiava isso. Então, esta viagem serviu de lição. Agora sei que com Luciana não viajo mais. Ela é uma ótima pessoa, mas não para conviver comigo. Algumas horas no dia na companhia dela é mais do que suficiente, agora sei. As únicas pessoas com quem viajei e não achei nada ruim, até hoje, foi com a KK e Maike, quando fomos para a California em julho do ano passado.

Então foi assim o meu 11º dia. Agora, estamos no aeroporto esperando nosso voo para Lisboa, onde chegaremos por volta das 16 horas. Lá está dia claro, lindo sol, e maravilhosos 8 graus. Amanhã encontrarei a Cristina do The Clockwise Nail Polish, e trocaremos nossos muitos esmaltes, heheheh.

Beijinhos em todas.

Adri =D

Anúncios

Sobre Adri Portas

Tradutora, Blogueira e Filósofa (da vida)
Esta entrada foi publicada em Viagem. ligação permanente.

11 respostas a Dia 11 – Morcegando em Roma

  1. jubaoli23 diz:

    a pessoa esqueceu a dose de semancol… :S

    bjs

  2. daisygaray diz:

    Infelizmente, nas viagens as pessoas liberam o pior lado…enquanto eu gosto de fazer um plano e seguir, às vezes começam a torcer o nariz, e o pior é que não aceitam fazer o que gostam sozinhas, preferem fazer o que não gostam comigo e RECLAMAR MUITO! Sim, estou falando de situações vividas por mim…huahuahua Viajar com a Mari é muito estressante, porque ela sabe que eu gosto de andar muito, ir a centros de compras e ela não tem paciência. Mas ao mesmo tempo, ela é super despachada e tem raciocínio mais rápido que a lerdona aqui! Não é a toa que se diz que viagens são grandes aprendizados…boa viagem até Lisboa, gurias!
    Beijos

  3. marizadias diz:

    Uau!!!
    Classuda vc se fosse de outra forma já estava pronto um “barraco” vc é das “minhas” . Esta resolvido não se viaja mais junto fazer o quê? ???
    Bjo

  4. CandyAngel diz:

    Dri espero que leias a tempo… ontem de noite estava mt frio mas agora 14h40 estão 18 graus e um sol de inverno mt mt forte ;P Bem vinda!!! ** *

  5. É, amiga, sei bem como é difícil você viajar com outras pessoas, sejam amigos ou parentes. Já viajei assim e não aproveitei tudo o que eu queria porque uma das pessoas só queria fazer as coisas do jeito dela e na hora que ela tinha vontade. Me irritou profundamente! Não podia ir aonde eu queria, comer onde eu queria, um saco! A melhor coisa é você viajar só com as pessoas próximas (filhos, marido) e só! rs
    Amo seus posts, venho todos os dias ler e me deliciar com as fotos!
    Mande um beijo para a Cristina de Portugal por mim, já fiz uma troquinha com ela, ela é uma fofa, pergunte que ela vai lembrar de mim, eu enviei um colar de presente de aniversário pra ela. 🙂

    Beijo grande e aproveite!

    • Pois é, Pat. É muito complicado isso. A pessoa para viajar conosco tem que ter a mente muito aberta e ser bem independente, senão mela tudo.
      Eu não consegui mandar seu beijo, porque não vi sua mensagem antes de encontrar a Cris, mas depois. Sinto muito.
      Beijinhos pra vc.
      Adri

    • Imagina, querida, sem problemas! Acabei de ler os outros posts, adoro seu blog, é como se estivesse viajando junto com você!
      Depois quero ver as fotos com os esmaltes novos!
      Beijo!

Obrigada pela visita e pelo seu comentário!!! <3

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s