Dia 6 – Magic Kingdom

Walt

Bom dia, amigas!

Hoje fizemos tudo igual a ontem (acordamos, atualizei o post de ontem, tomei meu café e nos arrumamos para ir ao parque). Hoje a programação é comprar umas coisinhas agora de manhã e ir ao Magic Kingdom depois do almoço. Agora de manhã está sol, mas previsão é que choverá levemente à tarde, e não sei se haverá queima de fogos à noite (desde a outra vez, não conseguimos assistir à queima de fogos, porque também chovia). E estou duvidando que haverá queima de fogos hoje também, mas vamos pelo menos tentar. A previsão para amanhã é tempo nublado e na quarta-feira, chuva o dia inteiro.

Como não tem tanta coisa assim pra fazer no Magic Kingdom, que é mais voltado para criancinhas pequenas, vamos mais tarde ao parque, porque a queima de fogos só rola (se rolar) 21:00h. O que tem de legal lá que eu me lembro, é o Space Mountain (uma montanha russa fraquinha em radicalismo mas bastante legal), e a atração dos Piratas do Caribe. Então, pra nós, não teremos muito o que fazer até esperar a queima de fogos.

Fiquem de olho na atualização, amanhã de manhã.

Beijos!

Adri =D

**** U P D A T E ****

Saímos do quarto e entramos no elevador. Enquanto descíamos, enfiei a mão na bolsa pra catar a chave do carro. E cadê ela??????? Não estava na bolsa e nem nos bolsos. Não lembrava de ter visto a chave por cima da mesa no quarto. E o desespero tomou conta de mim. Voltamos para o quarto para procurar, e nada, em canto nenhum, em nenhuma bolsa ou mala! Pânico total. Mas de uma coisa eu sabia: chegamos no quarto ontem com ela, e daqui não poderia ter saído. Só restava um lugar pra olhar: NO LIXO. Dito e feito! A chave estava no lixo! Ainda bem que não fizemos nenhum passeio a pé, porque se a camareira (que estava nos arredores) tivesse jogado o lixo fora eu estaria lascada.

Saímos do hotel, passava das 10 da manhã. Resolvemos que iríamos mais tarde para o parque, porque tinha pouca coisa para ver lá, e como os fogos seriam só às 21 h, não teríamos o que fazer se fôssemos cedo, até chegar a hora dos fogos.

Fomos então para o Walgreens ver umas coisas que ficaram faltando. Mas os preços lá estavam tãããão caros que resolvemos dar uma esticadinha no Walmart na Sand Lake. Compramos unas cositas e aproveitamos para comprar nosso almoço, para comermos antes de irmos para o Magic Kingdom. Cardápio: Salada Caesar e cupcake Red Velvet, de sobremesa. Chegando no carro, pusemos as compras dentro e comemos lá mesmo. Depois de comer, ligamos nosso São Waze e partimos para o Magic Kingdom.

Chegamos lá, estacionamos o carro e pegamos o “bondinho” (que já estava lá esperando) até a estação de trem que nos levaria ao parque. Lá as coisas são mais longe… Pela hora que chegamos até que nem estava tanto tumulto. Como o dia estava com um solzinho, o povo tirou pra ir aos parques.

Finalmente  chegamos e entramos sem problemas, pois já estávamos com o ingresso de PVC, então foi rapidinho. Após a pausa para as tradicionais fotos, entramos em algumas lojinhas para olhar as “novidades”.

Magic Kingdom

Magic Kingdom

Chegando perto do castelo, vimos que estava rolando um showzinho, com princesas e personagens da Disney.

Magic Kingdom

E olhe quem está aqui, de novo…

Magic Kingdom

Gabi estava aflita para ir logo para o Space Mountain, que é uma montanha russa “light” com cenário espacial. É um galpão altíssimo todo fechado e num breu danado. Não se enxerga nada lá dentro, quando se está no carrinho, dentro da área de “navegação”. As únicas luzes que conseguimos ver quando o carrinho está correndo são as luzes que simulam as estrelas e os “lasers”.

Na entrada dizia que o tempo de espera seria de 20 minutos, mas como a gente não tinha a mínima pressa, porque teríamos que fazer hora pra assistir à queima de fogos, tudo era festa. Entramos, e a fila até que andava bem rapidinho. Nem esperamos 20 minutos, com certeza. Foi muito mais rápido que isso.

Esperando na fila, para sentarmos no carrinho

Esperando na fila, para sentarmos no carrinho

Gente, eu tinha esquecido como é divertida essa montanha russa. É maneira demais!!!! Pena que só fomos uma vez.

Saímos de lá e Gabi queria tomar um picolé do Mickey. Ela estava há dias falando no dito cujo.

1453288_10201841570454870_1045307320_n

E eu aproveitei para tomar a minha raspadinha preferida. É o melhor sorvete de limão que já tomei na vida!!!

960199_554249607990829_1982375821_n

Depois fomos atrás do castelo da Fera, onde Gabi ouviu dizer que dava para fazer um tour pelo castelo. E lá fomos nós…

Não era exatamente o que eu esperava, mas pra passar o tempo, tava valendo. O que valeu a pena pra mim, foi ver a tecnologia que eles andam usando aqui nos parques. Coisa de primeiro mundo mesmo. O Lumière (o candelabro) era tão perfeito que eu fiquei de queixo caído. Até expressões faciais o bichinho tinha. Vejam (ou pelo menos tentem ver, hehehe, porque está um cadim longe).

Saímos de lá e fomos para a Mansão Mal Assombrada. Fila grande, mas até que entramos rapidinho também. Sentamos num carrinho que segue devagar por um trilho, e que de vez em quando gira para que possamos ver o cenário escuro em volta, com direito a fantasmas, caveiras e coisas que supostamente deveriam te assustar. Às crianças até acredito que assuste, mas para adultos, é meio boring. Não tem muita graça  (para adultos), como quase tudo nesse parque, mas vale ir pelo menos pra dizer que foi. Mas uma coisa é certa, os cenários, como em todo parque, encantam pela perfeição dos seus detalhes (como nunca cansarei de repetir).

Magic Kingdom

Saindo de lá, vi um cara comendo uma Turkey Leg, que é uma coxona de peru defumada (peru americano é gigante). Eu comi da outra vez que estive aqui, e a coxa é tão grande que a gente não aguenta comer tudo. Mas o cheirinho da carne defumada estava acabando comigo. Fui correndo comprar uma. 10 dólares!!!

1471394_554289054653551_1378630815_n

Gente, não só o perfume do defumado estava fantástico, o sabor é indescritível! Obviamente eu não comi a pele, porque não suporto pele de aves (só a minha e a da Gabi, rsrsrsrs). Comi essa coxa no estilo Viking com a ajuda da Gabi, que nem comeu tanto assim pra não se sujar (fresca). Nem catei as raspinhas de carne, porque passando da metade, eu já estava farta.

Usei meus lencinhos desinfetantes Chlorox que comprei no Walmart (finalmente uma grande utilidade pra ele – atenção, esse produto NÃO É INDICADO PARA HIGIENE PESSOAL!!!!) para limpar as mãos e por sorte não fiquei com morrinha de peru nos dedos. Boa dica andar com isso na bolsa!

Depois fomos para a montanha russa “light” chamada Big Thunder Mountain, que tem o cenário de uma mina de ouro. A fila estava gigante, mas, como eu disse antes, pra quê fast pass se eu queria fazer hora?

É uma montanha russa legalzinha, mas perfeitamente passável. Realmente, eu só voltei ao Magic Kingdom porque a Gabi queria muito ver os benditos fogos, que não vimos da outra vez. É um parque mais voltado para crianças pequenas, principamente meninas, por causa das princesas, e sendo assim, as atrações não têm tanta (ou nenhuma) graça para adultos. Com certeza, daqui pra frente nunca mais voltarei a esse parque, pois certamente o custo benefício não compensa (para mim, que já conheço). O ingresso dos parques é carééééésimo! Paguei 1800 reais por 4 dias de parques (450 reais cada dia, para nós duas – 225 por pessoa).

Saímos de lá e fomos para o Piratas do Caribe. Tava uma fila bem grandinha, mas foram uns 10 minutos de caminhada e espera na fila. Pegamos um “barco” e navegamos por canais com cenários sombrios e “sujos”, típicos dos vilarejos frequentados por piratas. Jack Sparrow aparece algumas vezes na forma de bonecos que se movimentam, assim como fazem todos os outros bonecos, inclusive de animais como gatos, cães e papagaios. Legalzinho…

Saindo de lá, fomos em direção à saída. Ainda eram 18:30 e teríamos que esperar 2 horas e meia até a queima de fogos. Já estava escuro (aqui está escurecendo por volta das 17:30, porque é outono), e a multidão já se aglomerava na frente do castelo, sentada nas calçadas em ambos os lados da rua que leva ao castelo. Sentei em uma disputada mesinha numa lanchonete em frente, e fiquei imaginando que não conseguiria fazer hora ali por 2:30 horas. Liguei pra Gabi, que estava rodando as lojas, e falei pra ela ir sentar la comigo pra pelo menos a gente conseguir descansar um pouco das andanças.

Para poder ficar na mesa, tivemos que comprar lanche, e aquela era uma lanchonete de cachorros quentes. Pedi um com porco desfiado e coleslaw, que é uma salada adocicada de repolho que eu adooooro, e pra Gabi pedi um com linguiça defumada e cebolas caramelizadas. Esse foi meu primeiro cachorro quente americano. Nunca tinha comido antes, porque sempre achei os cachorros quentes americanos sem graça, mas até que estava bem gostoso. A salsicha defumada estava perfeita! E eu nunca comi tão lentamente na minha vida (tudo pra fazer a bendita hora).

E a lanchonete estava rodeada de patos. Uns verdadeiros fominhas. Se tivessem dentes, teriam arrancado minha mão fora.

Enfim, depois de muito embromar na mesa, vimos que não poderíamos ficar mais ali esperando, porque tinha gente querendo sentar para comer. Dissemos adeus à nossa mesinha, mas pelo menos tínhamos descansado um pouquinho.

Nesse parque Gabi ficou com preguiça de tirar fotos, e por esse motivo a coisa aqui está meio pobre de fotografias. Mas pelo menos do principal ela conseguiu tirar bem…

Magic Kingdom

Sentei na estação de trem que leva o pessoal para os resorts, que é a estação que tem bem na entrada do parque. Fiquei embromando la esperando a fatídica queima de fogos, e Gabi, nem sabia por onde andava. Quando faltava uma hora para o show (20 h), todas as luzes se apagaram e começou um desfile (parade) com carros alegóricos iluminados. Foi um grande constraste com o escuro da noite. Meio boring, porque a cultura brasileira não nos ensinou a gostar dessas coisas, mas certamente as crianças devem ter amado. Americanos gostam dessa coisa de desfiles; até acho legal a cultura deles incentivar esse tipo de coisa, porque estimula a interação das pessoas. No fundo, eu admiro mais a cultura deles do que a nossa…

Antes de começar o desfile, eu tinha ligado pra Gabi para ela ir encontrar comigo onde eu estava, porque tinha uma multidão nas ruas, e se ela se embrenhasse lá pela frente, próximo ao castelo, iria ser um parto pra ela sair quando terminasse tudo. Sob muitos protestos, ela foi encontrar comigo na estação de trem, que já tinha várias pessoas sentadas em cadeiras enfileiradas no mezanino da estação, igualmente esperando o início do show.

E depois de parir sêxtuplos, finalmente a hora dos fogos chegou. O castelo se iluminava de formas diferentes, e projeções de imagens high tech eram feitas no castelo. Uma música orquestrada típica de filmes da Disney tocava, e os fogos explodiam, acompanhando o ritmo da música (assim como era com o chafariz lá na EPCOT, que eu esqueci de comentar). Foi legal, mas eu estava com tanto sono que achei um saco, e não via a hora de terminar tudo!

Quando finalmente acabou, corremos para pegar o trem, antes do estouro da boiada. Por sorte chegamos rapidinho ao carro, e viemos para o hotel, onde tomei meu merecido banho e capotei.

Bjs

Adri =)

Anúncios

Sobre Adri Portas

Tradutora, Blogueira e Filósofa (da vida)
Esta entrada foi publicada em Viagem. ligação permanente.

3 respostas a Dia 6 – Magic Kingdom

  1. jubaoli23 diz:

    que saudade desses picolés de Mickey 🙂
    e que vontade de conhecer a Disney *-* eheheh

    bjs

  2. daisygaray diz:

    A Gabi não tinha que fotar para um trabalho? E tá com preguiça? Dá zero pra ela! huahuhahuah Brinks, sei como é, quando a gente está curtindo o ambiente, nem lembra da câmera. Mas o que vocês estão mostrando, é suficiente para nos deixar com água na boca! Incrível é a infraestrutura e organização de um parque deste tamanho…só nos Estados Unidos para dar certo! Continuem a diversão, gurias!
    Beijos

  3. Oi linda Adri!!! Olha só tenho uma palavra para tanto encanto e magia “HUUUUUUAAAAAUUUUUUUUUUU”, do jeito q sou chorona, eu ia me acabar nessa Disney de tanta emoção, pois apesar de 40tona, eu me encanto ainda com Princesas, Papai Noel entre outra coisas que me remete a minha infância, que posso afirmar foi a melhor fase da minha vida. Por isso acho que toda criança tem o direito de ser criança, sonhar, imaginar, se encantar com os contos de fadas e tudo que se tenha direito nesta fase. Obrigada por dividir estes momentos únicos e encantadores!!! (chorando de emoção) Bjuuuuuuu

Obrigada pela visita e pelo seu comentário!!! <3

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s