Phazers on Stunning – Misa

“Amo” verde, rsrsrsrsrs, mas eu achei esse tão diferentinho, por ser um duo com um tipo de bege, que eu acabei ficando na dúvida entre ele, o PHAZERS ON STUNNING, da Misa, e o Irene da Zoya. Na dúvida, peguei os dois, hehehehhe, lá no encontrinho da KK em Sampa.

Ele é aguinha pura com o pigmento duocromático. Eu, aqui, fiz reloginho dele puro, em duas camadas. Achei meio xoxo. Acho que ele em cima de outra cor deve ficar mais tchan!

Achei que ficou meio apagadinho, apesar de que ele fica bem verde, dependendo da incidência da luz.

Na foto acima, vocês poderão ver que ele muda de verde para um tipo de bege. É uma combinação bastante interessante. É realmente uma pena que o fato de ele não ter uma cor forte de fundo, como um preto, ou até mesmo um verde, possa ter nos impedido de ver uma beleza maior desse esmalte, já que eu achei que ficou meio transparentinho. Talvez, se tivesse passado mais camadas ficasse show.

Agora preciso usar o Irene, da Zoya, para ver como fica. Eu achei que ele não fica duo como o Phazers não. Vamos ver quando chegar sua vez.

E hoje tem seção BF. Mãezinha, me perdoe, mas não tenho como não contar esse “causo”.

Hoje fomos ao centro da cidade fazer algumas coisas. Nossas calçadas maravilhosas, vocês sabem como é. Aqui, na cidade do petróleo, os royalties da exploração do ouro negro parecem ir para qualquer outro lugar, menos para a infraestrutura da cidade.

Estávamos caminhando, mamis com Gabi, que acompanhava mamis, e eu na frente. De repente Gabi disse que ia entrar em uma galeria, rapidinho, e que era para nós seguirmos em frente, porque ela nos encontraria no restaurante em que iríamos almoçar, que ficava uns 20 metros à frente. Nisso, continuei andando na frente, e mamis atrás de mim. Tudo aconteceu em uma fração de segundos. Da forma que eu contarei aqui, vai parecer que eu sou a pior filha do mundo, mas em minha defesa, afirmo que não houve tempo suficiente para raciocínio e ação rápidos.

Após Gabi se desgarrar do grupo, eu dei uns 3 passos e me deparei com uma rampa curtinha e íngreme, que formava um desnível na calçada. A “rampa”, se é que podemos chamar assim, tinha no máximo 15 cm de extensão, com uns quase 45 graus de inclinação. Era alguma coisa assim:

 Eu, não tendo visto o tal desnível, quase que caí, mas com bastante desenvoltura, consegui descer sem que ninguém percebesse que eu não tinha visto o desnível. Nesse mesmo segundo, eu pensei: Ferrou!!!! Mamis não vai ver isso também! … CAPOFT!

Gentem, eu virei rapidamente na tentativa frustrada de avisar à minha mãe sobre a rampa, mas foi tarde demais; ela já vinha “cheia de vontade”… Segurei o braço dela na tentativa de ajudá-la a se equilibrar, mas foi inútil. Ela caiu doucement (suavemente)! Eu não suportei o peso e já ia caindo por cima dela, então deixei-a cair, hahahahahahahaha. Ela na hora sentiu o tornozelo, e ficou lá estatelada na chón. Eu peguei no braço dela e tentei levantá-la, mas com a dor que ela estava sentindo no tornozelo, nem se mexeu. Nisso vieram duas mulheres e um rapaz, que prontamente me ajudou (só o rapaz) a levantá-la – as mulheres vieram dar apoio moral. Agradeci ao rapaz e sentei mamis numa muretinha até que ela se recompusesse. Levantamos e seguimos para o restaurante, onde ela poderia sentar e descansar melhor. Nisso Gabi vem e nos encontra no meio do caminho, e começou a falar sobre o que tinha visto, ao que não demos atenção, e ela então viu a avó mancando e perguntou o que tinha havido. Eu então falei que a avó tinha se esborrachado no chão porque ela a abandonou, uhahuahuhauhuahuauhauha Eu adoro jogar caquinha no ventilador!

Sentamos finalmente no restaurante, e ao contar para a Gabi o que tinha acontecido, eu e mamis caímos na gargalhada (morram sendo minhas amigas, heim! heheheheh). Gente, vocês já viram alguém cair em câmera lenta? uhauhahuahuauhahuhuahua Foi assim que ela caiu. Ela não tomou aqueles tombos de fazer barulho e se ralar toda não. Parecia até uma bola de algodão caindo, de tão suavemente que foi a queda, e olhem que ela tem quase o meu peso (ou seja, é pesada! huauhauhauhauh). Talvez tenha sido devagar a queda porque eu segurei o braço dela, sei lá. Não conseguimos entender não. Até ela achou que caiu “macio”. Imaginem uma lixeira de plástico dessas altas tombando com o vento. Foi mais ou menos assim. foi caindo devagariiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiinho. uhauhahuhuahuauhauha

Chegamos em casa e passamos Tiger Balm no tornozelo dela, para ver se melhorava e tomou um Tylenol com relaxante muscular. Ela está bem, ainda sentindo um pouco o tornozelo. Mas vai ficar bem. Continuaremos passando o Tiger, que eu havia comprado nos Estados Unidos, por recomendação de uma colega japonesa, fisioterapeuta, e não tinha ainda tido a oportunidade de usar. Agora é a hora de saber se o troço é mesmo bom ou não.

E amanhã a familia se reúne novamente. Meu irmão, que é piloto e instrutor de helicóptero numa empresa de taxi aéreo, vem trabalhar na próxima quinzena na minha cidade, e ele ficará aqui em casa amanhã. Mamis está com desejo de comer uma massa com filé num restaurante sophistiqué daqui, e não podemos contrariar a doentinha, heheheheh. Essa é a melhor massa que já comi na vida! E olhe que eu adoro massa e já comi em todo tipo de lugar. É sim, the best! Vou fotar para mostrar para vocês! Minhas papilas gustativas (desta vez acertei!!!!!) aplaudem!

Bjokas

Adri =)))

Anúncios

Sobre Adri Portas

Tradutora, Blogueira e Filósofa (da vida)
Esta entrada foi publicada em Bobeirinhas Familiares, Esmalte importado, Swatch com as etiquetas . ligação permanente.

13 respostas a Phazers on Stunning – Misa

  1. Marília diz:

    Tadinha dela! Mas tenho que comentar que caí na gargalhada lendo sua narrativa da queda! hahhaha

  2. gabimoura24 diz:

    hehehehe aiiiii meu tornozelo também!!!! Tadinha, que mico e que perigo!! MAs o bom é rir de tudo depois! E o Misa está lindo! Consegui um Misa mês passado, fiquei super feliz!!! Beijos pra ti e tua mãe!!

  3. Stella diz:

    Nossa queda é terrivel.
    A pouco tempo eu cai na rua, graças a essas calçadas maravilhosas, e fiquei uma semana com o pé imobilizado.
    Bjs.

    • Ai Jesus, precisou imobilizar, é? Minha mamis teve sorte então. E olhe que dias antes eu falei com ela que ela precisa tomar os comprimidos de cálcio que eu comprei pra ela, e ela não toma porque acha besteira. Eu comentei, inclusive, que há inúmeros casos de gente idosa caindo no chão e quebrando ossos por causa de osteoporose. Mas ela é teimosa. Espero que com esse tombo ela aprenda que cair, é muito fácil!
      Bjus
      Adri

  4. danakscully diz:

    Oi Dri!
    Ando meio sumidinha, pois tivemos que arrumar outro lar provisório para nossa família (eu, marido, 4 cachorros e 1 papagaio) por causa da reforma lá em casa e aí já viu a bagunça que nossa vida virou, né? A família acabou separada… : ( Mas tudo está entrando nos eixos novamente e espero poder a voltar a visitar o blog diariamente! 😛
    Poxa, tadinha da sua mamis! Espero que ela fique bem logo. Quando estamos andando juntas eu e minha mamis, ela é quem precisa ficar de olho em mim, pois eu sou muuuito mais estabanada e distraída do que ela! rs Ainda bem que sua mãe parece ser super bem humorada, como você! :))
    Agora, falando do Misa… Esse tom de verde não me atrai tanto, mas, fiquei super curiosa para ver a comparação nas unhas entre esses dois esmaltes.
    Beijos e melhoras para a mamis.

  5. Afff… essas calçadas de Macaé…. o tombo da minha mãe antes da pascoa foi bem assim… tropeçou num desnível desse…. até hoje a cabeça dela ainda doi… Esse tylenol que vc postou ai em cima é muito bom mesmo!!!!! Quando viajei trouxe dele… é o que nos salva de dor aqui em casa!!!!! Espero que sua mamis fique bem logo!!!! Tornozelo é um porre, normalmente fica doendo bastante tempo!!!! Com relação ao reloginho, não dá a impressão do esmalte ser ralinho…pelo menos pela foto!!!!! To curiosa pelo zoya!!!! Bjus e bom domingo!!!!

  6. Não me fala em queda…sinto um calafrio na espinha, só pensando na última da minha mãe! Nem foi tão “pesada”, mas foi de mal jeito! Ela tropeçou em um degrauzinho mínimo, entre o quarto e a sala, na casa de praia da minha irmã, e caiu, batendo as costelas no chão! Fez só uma fissura, mas o seio ficou preto, nem roxo, era preto mesmo, horrível! Fora, joelhos e braços que bateram na tentativa de se segurar. Não tinha ninguém por perto para ajudá-la a levantar, ela ficou um tempo esperando alguém vir, porque a voz dela também é fraca, não conseguia gritar. Depois dos 80 anos, qualquer tropeço pode ser muito perigoso. Desculpa meu comentário tão pesado…nem falei do esmalte! Espero que a tua mãe esteja melhor. Beijos

    • Tadiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiinha! Ai que dó! Ai que dó!
      Ela ficou bem rápido?
      Quem liga pra esmate numa hora dessas?????

    • Demorou um pouco, precisou de tratamentos, e algumas costelas ainda doem até hoje, mesmo fazendo 7 anos! Mas o que melhorou é que minha atenção com ela não diminui nunca! Eu me tornei a mãe neurótica!

    • Ainda bem que o tombo da mamis foi “macio” hehehehhee É isso que dá ficar olhando vitrines e não olhar por onde anda. Ela lembrou bem, foi como quando fomos a Pompeia, na Italia, com um grupo de excursão. O raio do guia andava tão rápido por aquele chão cheio de placas de pedras desniveladas, que a gente não sabia se olhava as ruínas ou por onde andava, já que tinha que correr atrás do guia. Foi o pior dos passeios que fiz na minha vida.

    • Nossa mãe! Fala sério! Cruz credo! Espero não ter que passar por isso. Prefiro morrer antes, uauhauhahuhuahua
      Bjus Adri

Obrigada pela visita e pelo seu comentário!!! <3

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s