Enfim, o retorno

Olá garotas!

Sei que vocês devem estar com abstinência de mim, heheheh, mas estou aqui, finalmente, de volta, e novamente com a corda no pescoço, atolada, com tanto trabalho, e com clientes enlouquecidos à minha caça.

O fim de semana foi divertido (quer dizer, quase), e consegui chegar inteira. Vamos aos fatos.

Na sexta (30/3) acordei às 6 da manhã e acordei Gabi, que foi dormir super tarde e ficou grunhindo quando a cutuquei para levantar. O motorista estaria às 6:30 nos aguardando para irmos para Niteroi, para o “paraíso”. Não fosse o mega engarrafamento que pegamos na estrada, quase chegando a Niteroi, teríamos chegado mais cedo. Chegamos às 10:30, uma hora depois do previsto.

Quando chegamos à casa da KK, parecendo duas retirantes do nordeste, com mala na mão travesseiros debaixo dos braços (não viajamos sem nossos travesseiros, exceto quando vamos para o exterior), nos deparamos com um campo de batalha. A casa estava de pernas para o ar, cheia de pacotes e caixas por todo lado, não restando quase nada no belíssimo armário que a KK mandou fazer no marceneiro.

Logo às 11 da manhã, a KK saiu para pegar seu carrito novo, um Palio zerinho, que eu iria dirigindo para São Paulo em caravana com a KK, que dirigiria o seu carro antigo, que ela deixaria em São Paulo com a mãe. Infelizmente, o carro, que seria entregue às 11, só saiu às 13:30h e isso atrasou um pouco nossa viagem. E tão logo a KK chegou, partimos rumo a São Paulo.

Na garagem do prédio entrei no carrinho cheirando a novo (delícia!). É um carrinho 1000 com ar condicionado. Aí começou a BF…

Há alguns anos eu não sei o que é dirigir um carro que não tenha câmbio automático. Quando não estou com o meu carro, estou com o do meu ex, que também é automático. Ou seja, há milênios não sei o que é passar uma marcha. Enquanto KK embicava o carro para sair da garagem no outro carro, eu, retardada, entrei em pânico porque não estava conseguindo passar a marcha. E vendo a KK ir embora paniquei! Buzinei e a KK parou. O Maike (marido da KK) desceu do carro e veio me acudir. Abaixei o vidro e disse para ele que o carro “estava com problema”, porque eu não estava conseguindo passar a marcha! Ele olhou para minha cara e falou que andar com o carro era simples, era só pisar na embreagem, engatar a marcha e acelerar! Aff! Como no meu carro eu só engreno a marcha uma única vez, e pisando no freio, já que ele não tem embreagem, eu simplesmente estava pisando no freio ao invés de pisar na embreagem! Minha cara ficou na chón de vergonha e ele deve ter olhado para mim visualizando umas enormes orelhas de burro na minha cabeça, e com toda razão. Esse foi o mico da viagem. Saímos e seguimos em frente.

Quando pegamos estrada mesmo, a coisa começou a complicar. O carro antigo da KK é também um Palio 1000 só que sem ar. Carros 1000 com ar são normalmente mais lentos do que os sem ar. Eu tenho verdadeiro pânico de dirigir à noite e em lugares muito movimentados. Só as palavras “São Paulo” já me apavoram, porque o trânsito de lá é notório.

Eu estou acostumada com meu carro, que é 3.0, que faz de 0 a 100 km em poucos segundos, tomei uma verdadeira surra com o Palio da KK. Isso quando eu quase não deixava o carro morrer. Só vergonha. A KK esticava na estrada e eu quase furava a chapa do carro pisando fundo no acelerador, e o carro parecia botar a língua para fora. E o desespero de a KK sumir do mapa? Aff! Carro novo, com motor novo, não tem o mesmo desempenho que um motor já amaciado. O pobre do carrinho apanhou; e eu também.

Para piorar a situação, eu fui ouvindo Gabi cantarolar do Rio a São Paulo. Já não aguentava mais ouvir ela cantando. Teve uma hora que passamos por Caçapava, e eu falei para ela: “Caçapava” tem a sonoridade de um PQP (desculpem por isso), então, para não falar o palavrão de hoje em diante falarei CAÇAPAVA  no lugar do outro, então, CAPAÇAVA, GABRIELA, PARA DE CANTAR QUE EU NÃO AGUENTO MAIS OUVIR VOCÊ CANTANDO!!!!!!!!!!!!!!!!! Quando não era as cantaroladas dela, era o “POLÍCIA RODOVIÁRIA FEDERAL”. Ela não podia ver uma placa da PRF que ela falava sempre a mesma coisa, e no mesmo tom: POLÍCIA RODOVIÁRIA FEDERAL. Depois de falar isso em pelo menos umas 8 PRF, quando chegou nas próximas eu tentei desviar a atenção dela falando outra coisa, e fazendo ela olhar para o outro lado da pista, e ela comentava ou respondia ao que eu falava, e concluía com “POLÍCIA RODOVIÁRIA FEDERAL”. Olha, ela conseguiu me irritar profundamente nessa viagem. Tinha hora que dava vontade de dar um pé no traseiro dela e largar ela no meio da estrada.

O desespero começou mesmo quando a noite começou a cair, já em São Paulo. Vocês conhecem casa geminada, não é? Já viram carro geminado? Era o meu com o da KK. Eu grudei tanto na traseira do carro dela que por várias vezes eu quase bati nela. E eu reparei que o povo de São Paulo é mais educado; dão passagem quando os outros dão seta. Aqui onde eu moro, dar seta tem o mesmo significado de “NÃO DEIXE EU PASSAR”. Ô povinho mal educado daqui, viu!? As pessoas fazem questão de acelerar só para a gente não passar. Só que como meu carro é grande, eu jogo mesmo o carro em cima para forçar a passagem e nem quero saber. Todo mundo acaba deixando eu passar na marra, com medinho de eu bater neles, afinal, “meu prejuízo é maior”. Não sei por que as pessoas são tão egoístas.

Bem, voltando a São Paulo, eu percebi que as pessoas lá são mais corteses; dão passagem para quem pede. Em um dado momento vi um carro entrando entre mim e a KK, e a mulher no banco do carona do carro abanando a mãozinha para fora pedindo passagem e eu, com medo de perder a KK de vista, acelerei para não deixar eles entrarem entre nós. Fico imaginando como devem ter me xingado e dito que sou mal educada!

Meu nervosinho era tão grande que eu comecei a suar como uma porca, então eu ligava o ar condicionado. Mas como o carro tinha o pequeno problema de queda de desempenho com o ar ligado, eu acabava desligando, para não perder a KK de vista. E assim, fui seguindo ligando e desligando o ar. E o medo de perder a KK de vista? Olha, foram maus momentos que só acabaram quando finalmente chegamos ao hotel em que passaríamos a noite.

Fizemos o check-in, tomei um banho e capotei. Infelizmente o colchão era mole demais, e eu acordei meio descadeirada. Tomei um banho, sequei o cabelo, fiz uma pequena produção na face e desci para esperar a KK. Pegamos os carros e partimos para uma nova aventura. Parecíamos perdidos em um labirinto. KK não sabia para onde tinha que ir, e entrava e saía das ruas, voltava ao ponto inicial e eu então cheguei à conclusão de que ela estava perdida. Ofereci o meu telefone para ela, para que pudesse usar o GPS dele. Ainda assim a coisa foi meio complicada. Só começou a melhorar um cadim quando trocamos de co-pilotos. Gabi foi para o carro da KK e o Maike veio para o meu. Finalmente chegamos ao nosso destino: a casa da irmã da KK.

A KK já tinha me falado que a irmã tinha muitos gatos. Passou de 4 gatos, pra mim, já é uma enorme população felina. Quando entramos na casa, já na sala vimos dois gatos em uma cadeira, outros dois em cada sofá. Subi para a sala de jantar, e mais um gato numa cadeira. Fui para fora, por outro lado, em direção ao quintal, e vi mais dois gatos. De repente, começou a pipocar gato para todo lado, e eu já não estava entendendo mais nada. Perguntei, então, inocentemente, à irmã da KK quantos gatos ela tinha. Esperando ela dizer uns 10, ela respondeu: 62! Quase pari. Gente, como alguém consegue ter tantos gatos? Eu normalmente não sou muito bem vista pelos felinos. Geralmente eles são bem arredios comigo, mas até que encontrei uns 4 que foram com a minha cara. O probleminha é que quase fiquei parecendo um gato também, de tanto pelo que ficou na minha roupa.

Fui ver o pacote de placas que tinha chegado da fábrica. Estávamos ansiosas para ver a nova prova da B. Quando abrimos o pacote, o que encontramos???? A antiga amostra da B. Quase enfartamos! Tanta ansiedade para nada. Tivemos então que imprimir a nova prova em papel para levar para as meninas no encontrinho, pois elas estavam todas ansiosas para ver a placa.

KK passou todas as coisas dos dois carros para a Dobló da irmã, porque cabia tudo, e partimos rumo ao local do encontrinho. A essa altura, a Nina já estava a caminho de São Paulo. Quando pegamos o caminho para o local onde seria o encontrinho, ela telefonou avisando que tinha chegado. Foi ótimo conhecer minha fiel escudeira em pessoa. Do jeito que ela falava que era gorduchinha, juro que tinha uma outra imagem dela. Seu “volume” não é nada parecido com o que eu imaginei; é bem mais magra! Mas é super simpática e adorável, como eu imaginei. Foi uma verdadeira mão na roda, pois ajudou demais no evento.

Chegamos lá, descarregamos o carro e arrumamos tudo. Algumas meninas que chegaram ajudaram também, e antes mesmo de terminarmos já tinha gente chegando. Foi uma avalanche de gente logo em seguida.

Arrumando as mesas

Uma das primeiras a chegar foi a nossa Vivik (Viviane Kermeci), que é super fofa! Olhem o que ela me deu!

A coleção Master HD da Lorena e 3 Ellen Gold, marcas que não tenho na minha coleção. Não foi um presentão? Obrigada, Vivi, AMAY!!!!

Nina também me deu um presente super cacante, que ela vai mostrar para vocês em breve. Nem vou contar o que é. Me deu também a base niveladora da Risqué, que tenho procurado aqui pelas terras tupiniquins e nunca encontrei. Amei o vidrinho!

Mais fotos do encontrinho:

Tinha muita gente. O calor estava brabo, com tanta gente. A fila imensa, para pagar. Mulheres enlouquecidas, pintando uma unha de cada cor. Me senti a própria celebridade, tadinha de mim, posando para fotos. Já perto do final do evento eu não aguentava mais ficar em pé. Minhas costas e pés me matavam. Mas se eu sentasse não conseguiria levantar. Quando todas foram embora, comecei a empacotar tudo, porque estava doida para cair na cama. Teria que acordar às 5 da manhã para pegar meu avião de volta para casa.

O tal empacotamento parecia não ter fim. Quanto mais cansados estamos, parece que as coisas demoram mais. Enfim conseguimos sair de lá, e fomos para um restaurante alemão comer um prato do qual a KK falou muito bem. Só que eu estava TÃÃÃÃO cansada, que se fosse formir sem comer para mim estaria ótimo.

Nina, Gabi, eu, Maike e KK na porta do Juca Alemão

Depois de comer maravilhosamente bem (o prato realmente era um esplendor), fomos para nosso hotel. Quase enfartamos, ehehhehehe. O quarto era imenso, mas o tamanho do banheiro era inversamente proporcional. O “box” era tão pequeno que não caberia nem uma cortina, então não tinha cortina. Tinha até um rodo para secar a chón para diminuir um pouco a patinhação do sapato na molhadeira do banho. Para a sorte de todas, a privada não entupiu!

Os travesseiros eram tão IRC que a Nina preferiu dormir sem um. Por sorte eu e Mary levamos os nossos, então pude dormir bem. O colchão desta vez era mais durinho, e eu amei, cansada como estava.

Dureza foi ter que acordar às 5 da manhã. Dormimos somente 5 horas, e levantei parecendo que nem tinha dormido. Estava o caco dos cacos, e super “animada”, pois ao chegar ao Rio ainda iria a um velório! Estão com inveja?

Nina, que iria pegar o voo só às 16 horas, resolveu sair conosco para tentar adiantar o voo dela. Tomamos café no aeroporto, nos despedimos e partimos, eu e Mary, rumo ao nosso “tão sonhado” velório. E Nina conseguiu mudar o voo dela para as 10 da manhã, e ainda teve a enorme sorte de não pagar um centavo por isso.

Gente, cheguei em casa um caco. Acordei hoje parecendo que precisava dormir mais. Mas tenho tanto trabalho que nem sei como farei. Acho que vou precisar abandonar vocês mais vezes, porque a coisa aqui anda feia. Um cliente que eu tinha despachado (recusei o serviço) hoje voltou implorando para eu fazer o trabalho imenso que eles pediram porque confiam somente no meu trabalho, aff!. Seria recompensador se não fosse tão desanimador. Sabe Deus agora quando conseguirei fazer minhas unhas novamente.

E para piorar, a unha do dedo que levou a tal pancada (a que comentei aqui, quando deu vontadinha de desmaiar) começou a crescer e está “saindo” debaixo da pele um buracão, cujo fundo é uma unha da finura de um plástico. Está meio apavorante. Vou ver como a coisa vai ficar, e dependendo, vou preencher o buraco com o Nail Rescue.

Bem, meninas, vou nessa porque estou realmente muito atarefada, com fome e cansada, ainda.

A Dory me ligou esta manhã soltando os cachorros porque deixei vocês órfãs esses dias todos. Como será daqui pra frente? Aff!

Bjs

Adri =)))

Advertisements

Sobre Adri Portas

Tradutora, Blogueira e Filósofa (da vida)
Esta entrada foi publicada em Bobeirinhas Familiares. ligação permanente.

11 respostas a Enfim, o retorno

  1. e a placa b vai estar pronta quando? qndo vamos poder adquiri-la? estamos anciosa por ela!!!
    bjos

  2. Carla diz:

    Olá Adri… Adorei o BF de hoje, se bem que o do marimbondo também, foi divertidíssimo, li até para o meu marido, e enquanto lia, ia passando um filminho na minha mente…kkkkkk… Nossa fiquei com vontade de ter ido a este encontro de vcs viu… bem que vcs poderiam vir fazer um desses aqui na minha casa em Campinas, eu iria adorar recebe-las… Concordo com vc com relação ao transito de São Paulo,o motorista de lá é bem educado, pelo menos da seta quando vai cortar a sua frente, pois aqui em Campinas a coisa é feia, o carro de campineiro vem sem o “opcional” seta (rsrsrsrsrs), aí vc tem que adivinhar se eles vão cortar a sua frente ou se vão virar ou não, mas tudo bem , tirando isto Campinas é uma ótima cidade.. Bom mais uma vez reforço o convite, se quiserem vir fazer um encontrinho destes aqui, eu e minhas amigas apaixonadas por esmaltes iríamos amar… Bjos!!! Ótima semana pra vc e bom “descanso” (trabalho né), e ve se não nos abandona por muito tempo…

    • Obrigada pelo amável convite, Carlinha! A lista de encontrinhos está extensa já, e há realmente muitas pessoas pedindo encontrinhos em suas cidades. Infelizmente eu não poderei ir sempre, porque tem sempre uma despesa a ser feita, né? Desta vez a KK cobriu a maior parte das despesas, mas não sei se seria sempre assim.
      Tirando o mico da embreagem, na minha opinião nem achei tanta graça assim da BF, que foi mais estressante do que divertida (essa minha filha acaba comigo). É claro que aos olhos dos outros, que não sofreram na pele as agruras do passeio, pode até ser divertido, heheheheh.
      Bem, vou trabalhar que não para de chegar emails de clientes. Vou ficar rica, assim!
      Bjs miga
      Adri

  3. Apesar de tantos momentos trágicos,rolei de rir do post..kkkkkkkkkkkk Bjs

  4. daisygaray diz:

    Nossa, que aventura! Além da viagem tensa, toda a preparação do encontro, e…ufa, já cansei só de pensar! Apesar do encontro ter sido tão longe de Porto Alegre, eu também lucrei com ele! Conheci a lindona da Nina, passamos uma tarde típica de esmalteiras “sanduba de mortadela”, mas bem divertida! Na volta de São Paulo, ela ainda me trouxe um carimbo da Konad. Adorei! Espero que tu consiga descansar mais, Adri, que depois tem o encontro em Porto Alegre…mas que não seja no dia 19 de maio, porque eu vou estar em São Paulo. Tenho que ir ao encontro de qualquer jeito! Não me deixem de fora, pelamor! hauhauua

  5. ViviK diz:

    Oiiiiiiiiiii, Adri!!!
    Ownnnnnnn vc que é uma fofa! Uma linda! Vc e a Mary! HAHAHAHAHAHAHA (agora eu sei quem é a Mary!!! #LesadaModeOn)
    Que bom que vc gostou!!! Só fiquei triste pq não consegui te mandar as 12 cores dessa coleção da Lorena. Não achei 3… 😦 E eu não sou doidinha de te dar um esmalte preto comum com tanta cor linda por aí, viu? É que o Black, da Ellen Gold, é o melhor esmalte preto pra carimbar do mundo! Melhor inclusive que os próprios pra carimbo, como os da Hits, Blant, Konad… Ele é fantastico tb pra pintar as unhas!
    Ri mto com a BF de hj! Achei esquisitíssimo vc falar que paulista é educado no trânsito. Tem certeza que vc veio mesmo pra Sampa?!? HAHAHAHAHHAHAHAHA
    Olha, AMEI te conhecer!!! A Gabi tb é uma linda, com aquela cara de menininha! A Nina é outra linda, por dentro e por fora! Fora aquele sotaque maraaaaaaa dela, né? Ela é um troço de tão simpática, e foi mtooooo fofa de trazer presentinho pro Arthur! Vou filmar um videozinho dele implorando pelos biscoitinhos de pé, esticando as patinhas pra pegar o saquinho! =^.^=
    E foi mto legal rever mtas amigas, conhecer outras e ainda comprar uns vidrinhos cacantes! Com certeza foi um dos escontrinhos mais legais que a KK já fez aqui!!!
    E mesmo que vc sumir por uns tempos daqui, vc tá perdoada! 😀

    Bjossssssssssss

    • Óin miga! Obrigadaaaaaaa! Eu não sabia do quesito carimbada da EG. Cakay triplamente com essa “notiça”, porque meu preto de carimbo tá “cabando”.
      E se vc acha paulista mal educado no trânsito, vc consegue ter uma pequena noção do que é estar no trânsito da minha cidade? Eu devo ter tido sorte, porque a KK disse que havia anos que não via a marginal vazia como estava, para uma sexta à noite. Como eu não vou nunca para SP, não tenho parâmetros. Eu devo ter sido pé quente! heheheh
      Bjokas lindona. Espero que nos encontremos ainda muitas vezes em muitos outros encontrinhos. Amay de verdade te conhecer!
      E os 3 Lorena que faltaram, não vão fazer falta de verdade, porque esses que vc me deu já me fizeram MUITO feliz!
      Bjokas
      Adri

    • Vivi, eu tb fiquei com a mesma impressão que vc: será que a Adri esteve mesmo em SP? Porque eu achei o trânsito uma doideira… gente cortando a frente dos carros, soltando muitos “caçapava” e outras gentilezas.
      Eu ri muito lembrando de vc achando meu jeito de falar bonitinho uhauhauahau. Destoava muito do jeito de falar de vcs. Foi engraçado hehe
      E Gabs sem entender quando em falei em “pilas” (=dinheiro)?! ahuahauauh É tudo tão natural que eu até esqueci de filtrar o gauchês.
      E tu acertaste em cheio nas cores dos meus mimos! Bem clorofilo-celestial-roxial auhauhauu. Adoro. Gracias por tudo Vivi!
      Bjs querida. Amei te conhecer tb.

  6. danakscully diz:

    Oi Adri!
    Que bom que você já está sã e salva em casa e já deu para descansar ao menos um pouquinho.
    Adorei o encontrinho de sábado e estou adorando o seu blog! Estou lendo os posts do mais recente para os mais antigos (estou no dia 07/02) e me divertindo muito!!! (já estou me sentindo da família… rs)
    Agora please, não vai sumir daqui justamente agora que eu cheguei, ein??? hahahah
    Ah, eu não consegui entender nada (Tapirus Terrestris) da história do buraco debaixo da unha, mesmo já tendo lido o outro post em que você falou sobre ele! rs Como é que uma pancada faz um buraco debaixo da unha desse jeito? : o Uma vez tomei uma mordida de um rato meu (sim, sou fanática por bichos e antes de casar tive várias espécies de roedores em casa e os que eu mais gostava eram os twisters, vulgos ratazanas) e os dentes dele atravessaram a minha unha do polegar, bem na base onde a unha nasce e fiquei com um corte debaixo da unha e, como vazou sangue lá embaixo, com uma macha escura que foi subindo conforme a unha crescia, mas, mesmo assim, quando a parte machucada chegou lá em cima, não tinha buraco nenhum! Só tinha o sangue seco que já estava até na forma de pó. Será que esse buraco aí é por causa da pancada mesmo??? (a desesperada aqui já teria ido no médico… rs)
    Bem, beijinhos e se cuida!

    • Menina… eu acho que com a pancada, a unha sofreu algum trauma e passou a não crescer grossa como normalmente crescia, mas sim fina como um plástico, como eu disse. E conforme ela está crescendo o buraco está saindo debaixo da pele, onde a unha nasce. O fundo desse buraco é justamente a unha finissima que está crescendo. Só fotando pra mostrar como está (nervosinho) Eu vou observar mais um tempo e ver o que rola. se ela não voltar a engrossar, daí procurarei um médico. Por enquanto o buraco só tem 1 mm de largura, então é meio cedo pra dizer.
      Seja muito bem vinda à nossa igreja. Aqui tem “irmãs” loucas para todos os gostos, heuhuehueuheuhe
      Bjokas
      Adri

Obrigada pela visita e pelo seu comentário!!! <3

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s