E a vida segue…

Por do sol

Bom dia, meninas!

Não é ainda hoje que trarei algum esmalte ou alguma novidade. Eu vim aqui hoje só para dar uma satisfação a vocês. Ainda vivo e respiro, mas tem hora que dá um paniquinho… A descoberta de ser uma pré-diabética tem me deixado bem pra baixo. Para quem tem problemas solucionáveis, acho que esse desabafo deve até servir como consolo. Problemas solucionáveis passam. Desemprego passa. Separação passa. Inflação e dólar alto, passam. Um mau presidente e um mau governo passam. Até um filho drogado pode passar! Diabetes, não passa… Eu, que achava que todos os meus problemas se resumiam à economia do país, e Deus jogou uma coisinha em cima de mim pra eu ver que a economia do país é nada, perto do que milhões de pessoas sofrem: DIABETES.

Isso é uma verdadeira tortura emocional para quem gosta de cozinhar, gosta de comer bem, gosta de beber um vinhozinho e gosta de viajar. Sim, até para quem gosta de viajar. Já não vejo uma viagem com os mesmos olhos. Qual a graça de fazer uma viagem mega maneira e não poder comer as iguarias locais? Para mim, é o mesmo que comprar o carro que você sempre quis, porém, sem rodas. Não olho nada mais com os mesmos olhos de antes, e assim são os esmaltes. E para piorar, nem as unhas estão ajudando. Estão mega fracas e estão crescendo a passos de cágado. Como tinham quebrado, estou tentando formatar novamente para retomar o blog, meio que forçada. Isso aqui era a segunda única coisa que me animava.

Anteontem finalmente consegui uma diarista para dar uma arrumada na casa. Isto é uma situação que deveria me deixar muito feliz, mas só conseguiu me deixar um pouquinho aliviada. Ainda terei que continuar fazendo faxina nos outros seis dias da semana em que ela não vier, e gastarei 600 reais por mês para que ela venha 1 vez na semana.

Ando triste, sim. Ando desanimada, sim. Mas não deixo de agradecer a Deus. Nunca! Morrerei agradecendo a Deus, porque Ele me fez muitas coisas boas na vida. Se isso está acontecendo comigo agora, tem um propósito, e eu CREIO NISSO.

A única coisa boa até agora foi o fato de eu ter perdido já 6 quilos por conta do corte do açúcar e redução do consumo de carboidratos. A alimentação é bastante limitada, e isso, para uma glutona como eu, é o mesmo que perder uma perna. Isto me faz pensar como o mundo ainda é atrasado em relação a essa doença. Percebo como fazem falta restaurantes e lanchonetes especializados para diabéticos. Se eu tivesse grana, juro que eu abriria um restaurante ou lanchonete só para diabéticos. Iria bombar, do jeito que a diabetes anda se alastrando pelo mundo como praga de lavoura.

É claro que, comparado a décadas atrás, até que evoluímos bastante. Hoje, há uma série de produtos voltados para diabéticos, o que é um alívio, mas essa evolução podia mesmo se voltar para a gastronomia comercial. Que tal congelados para diabéticos além dos restaurantes e lanchonetes?

E depois que eu passei a fazer parte dessa triste estatística é que eu passei a procurar saber mais sobre o assunto. Até iniciei um grupo no Facebook chamado GASTRONOMIA PARA DIABÉTICOS, RECEITAS DIET. Lá os membros trocam receitas e dicas/informações sobre diabetes. E como receitas diet também são procuradas por pessoas que fazem dieta, mesmo sem ter diabetes, acaba sendo legal. Em 13 dias já somos 300 membros. 

Um dos problemas de pessoas diabéticas é aceitarem a nova realidade da sua vida. Elas precisam mudar totalmente os hábitos. E a melhora do seu quadro só depende da própria pessoa. Eu, por exemplo, sei o quanto é importante me exercitar para ajudar a baixar o índice glicêmico do sangue. Mas cadê que eu tenho ânimo de sair de casa pra caminhar nesse calor dos infernos? Acabo não saindo do meu sedentarismo. O máximo que estou conseguindo por ora é só mesmo cortar o açúcar. Mas isso não é suficiente, porque o carboidrato também se transforma em açúcar depois de metabolizado. Então, cortar açúcar pra mim é mole, mas cortar o carboidrato é o que está sendo mais penoso pra mim. Como adoro uma massa, um arroz, um pão, um bolinho…. Que castigo, meu Deus! (mas obrigada por ele…)

Nessa última viagem a Nova York, enchi a cara de pizza e até um cupcake red velvet normal, tamanho extra large, eu comi! E quando cheguei em casa minha glicose estava “somente” 105, depois de comer tanta coisa proibida. Mas o que certamente ajudou foi o fato de eu passar o dia inteiro caminhando durante a viagem, e isso, sem dúvida alguma, foi muito importante para a glicose não subir, comendo tanta porcaria. Hoje, minha glicose estava 135, e eu nem tenho comido tanta coisa “errada”. Outro dia foi a 210 porque enfiei o pé na jaca e comi um pacote inteiro de pipoca de microondas (comum). Nunca tinha chegado em um nível tão astronômico. Panikay!

Enfim, não vou me estender nas minhas lamúrias. Só vim mesmo dar uma satisfação a vocês. Não esqueci de vocês e nem daqui, mas estou tentando me reerguer e me animar. Sei que será uma fase passageira e ao menos um pouco eu hei de melhorar (me conformar com minha nova condição), inclusive melhorar as benditas unhas. Se Deus quiser eu conseguirei voltar a postar cotoquettes aqui.

Tenham todas um ótimo fim de semana. Fiquem com Deus.

Adri 😐

Anúncios

Sobre Adri Portas

Tradutora, Blogueira e Filósofa (da vida)
Esta entrada foi publicada em Abobrinhas. ligação permanente.

26 respostas a E a vida segue…

  1. jubaoli23 diz:

    imagino o que você está passando, pois minha avó é diabética e eu também me vejo tendo dificuldades de deixar certas comidas de lado, caso eu me descuide e fique assim :S

    bjo

  2. izaura diz:

    Ola, Adri? Quanto tempo eu não te escrevo, guria!!
    Fiquei bem triste por saber da sua pre-diabete, mas vou te consolar (quem sabe eu te anime um pouquinho rsrss); eu estava pre-diabetica em 2013, tava com glicose e colesterol muito altos, então tive que deixar de comer algumas coisinha (doces pra falar a verdade) e emagrecer um pouco. Voltei ao medico somente 6 meses depois (o prazo era para voltar em 3, mas não consegui) e graças a Deus tudo estava normalizado e eu não precisei tomar medicação. Esta semana retornei para fazer novos exames e estava tudo ok…Mas ainda tenho que me controlar, certo! O que te digo: não perca a esperança nem a fé em si mesma. Espero que voce tenha apenas que controlar sua alimentação e não tome medicação, pois deixar dela é meio complicado. Torço por voce, faça caminhas no seu bairro e daqui a pouco estara indo mais longe e o corpo pedirá mais atividade, sei que é mais facil ficar sentada mas nosso corpo precisa de movimento…Faça dança, passeie com o cachorro do vizinho, dance na sua casa com as musicas que voce gosta..isto a ajudará a levantar o astral,ok!
    um forte abraço e um beijo..

    • Oi amiga sumida. Eu tenho médico marcado na próxima segunda, e vamos ver como ficará isso. De qualquer forma, já estou conformada com a minha nova condição, e agora minha missão é melhorar mais ainda essa conformação e a minha vida como um todo. Vou tentar viver da maneira mais normal que puder, mas sei que logo, logo estarei vivendo como se diabetes nunca fosse um problema pra mim.
      Bjs
      Adri

  3. Boa sorte Adri, acredite que tudo vai ficar bem!
    É só você se cuidar e ter fé 🙂
    Beijos

  4. Jane Costa diz:

    Não fica assim não… veja bem, fazer exercícios é mega chato, mas a recompensa é grande, vc poderá comer o que quer e ainda ganhará saúde. Eu conheço 2 pessoas que conseguiram vencer esse quadro com exercícios (corrida). Olha, quem sabe se esse não era o incentivo que faltava para ficar em forma? Correr por um docinho rs. Não fique arranjando desculpas no calor, vc tem que fazer isso por vc.

  5. Míriam Viégas diz:

    Pessoinha do meu <3, entrei no grupo do face vai que eu posso ajudar. Me tira uma dúvida, todo carboidrato vira açúcar no sangue, ou você pode fazer uma receita que seja sem glúten? Beijos e força na peruca que tu és mais! 😉

    • Pessoinha querida, todo e qualquer carboidrato, quando metabolizado pelo organismo, se transforma em açúcar. O glúten é uma mistura de proteínas, que misturado ao amido dá propriedade elástica a massas. O glúten é encontrado principalmente no trigo, e muitas pessoas são alérgicas a glúten. Por isso essas pessoas substituem o trigo por outras farinhas (arroz, aveia, etc) para poderem comer determinadas comidas que geralmente são feitas de trigo. Mas toda farinha sem glúten que é usada para fazer pães tem carboidrato, então, não adianta só não comer glúten, entendeu? Carboidrato é encontrado em todo alimento que nasce debaixo da terra e em vagens (amendoim, feijão, ervilha, lentinha). Laticínios, frutas e legumes também têm carboidratos.

    • Míriam Viégas diz:

      Fiquei abismada, o que então você pode comer?

    • Bem, não dá pra comer muita coisa, se quiser manter os níveis de açúcar baixos, sem tomar remédio. Para isso, além do açúcar, tem que cortar carboidratos totalmente, e comer só proteína e gordura (ovo, carne, catupiry), como uma amiga minha está fazendo. Mas não consigo ficar longe de um carbinho… então tenho que tomar remédio.
      Bjins

  6. Franciele diz:

    Oi Adri eu tentei enviar um comentário, mas acho que não deu. Olha, sou uma leitora que nunca comentou, mas que venho diariamente dar uma olhadinha no teu blog, não pela questão somente dos esmaltes que tu posta (que são lindos por sinal) mas para saber como tu estás.Porque por mais que não te conheça e que tu não faça a mínima ideia de quem sou, conforme fui me tornando leitora assídua foi rolando um carinho, um bem querer não só para ti como para todos os que vivem contigo também e que participam da tua vida. As coisas surgem na nossa vida e só cabe a nós dar um jeito nelas.Tu és forte e sei que irá conseguir conviver com isso. No início é tudo muito difícil mas sempre pode-se dar um jeito. Se cuide.
    Beijão.

    • Querida Franciele. Muito obrigada por comentar e me dar essa força de que tanto preciso nesta hora. Quero que saiba o quanto é importante para mim encontrar palavras de apoio até de pessoas que eu não conheço fisicamente, mas por quem tenho muito carinho, porque sei que são solidárias a mim. MUITO OBRIGADA!!!!
      Grande beijo.
      Adri

  7. danakscully diz:

    Ô Adri, fica assim não, comer não é tudo nessa vida!
    Por causa dos meus problemas digestivos eu já fui obrigada a fazer restrição de tudo quanto é tipo de alimento! Para você ter uma ideia, agora não estou conseguindo comer FIBRAS, o que me impede de comer verduras cruas e cozidas, legumes crus, frutas. Aposto que você nunca pensou que esses alimentos podiam fazer mal para alguém, né? Pois é, eu estou nesse exato momento de cama esperando o efeito dos analgésicos começar porque chutei o pau da barraca e comi caqui e ameixa hoje! (Tá, também comi chocolate…) Bom, posso te dizer por experiência própria que as dietas de restrição causam muita tristeza no início, muita mesmo, eu cheguei a chorar por não poder comer coisas que eu queria comer. Estou nessa vida desde 2009. Mas é como você mesmo já espera: você se acostumará assim como eu me acostumei. Logo estará desejando viajar novamente e talvez até descubra coisas diferentes e muito interessantes em locais já conhecidos por não poder mais comer qualquer tranqueira.
    Fique bem Adri, isso não estragará sua vida se assim você quiser. E mantenha esse sentimento de gratidão a Deus!
    Mil beijos,
    Van

    • Van, você é a pessoa que me inspira a aguentar tudo isso. Você é uma heroína, e eu TIRO MEU CHAPÉU PRA VOCÊ, amiga.
      Se você pode, eu posso. Meu problema é fichinha perto do seu. Obrigada pela força.
      Bjs
      Adri

  8. Beth diz:

    Oi, Adri.
    Estava sentindo falta de voce e agora entendo o seu sumico. Forca que estamos contigo. Nao gosto de doces, mas carboidratos… sao tudo para mim. E fazer restricao eh dificil, mas vamos que vamos. Beijocas mil e desculpe a falta de acentos.

  9. Lina diz:

    Minha mãe quando descobriu o diabetes ficou assim como vc porque ela adorava doces, mas aos poucos ela foi se acostumando ,com a dieta emagreceu 15 quilos e hj quando ela sente muita vontade de comer doce ela come um pedaço pequeno sem problemas ,claro q ñ todos os dias porque ela faz o tratamento certinho , força , coragem e fé em Deus porque realmente tudo passa e se ñ passar nós aprendemos a conviver com as dificuldades é da nossa natureza isso,um abraço para vc e ñ desanime.

  10. Mirian diz:

    Dri, não sei porque vc está tão “pra baixo” com a descoberta da sua diabetes. Vc sempre soube que minha/nossa família inteira sofreu desse mal, que se não for controlado a tempo, traz junto a pressão alta, problema nos rins, coração e até cegueira. Vc já deveria esperar que um dia isso fosse acontecer com vc tb, como aconteceu comigo. E graças ao “meu” diabetes, vc descobriu que tb estava diabética. Não é o fim do mundo. Existem doenças muito piores que essa. Está em suas mãos conviver com ela. Caminhar, fazer exercícios físicos, ter uma alimentação adequada, são muito importante para levar uma vida tranquila. Não se apavore. Faça sua parte, que DEUS ajudará, com certeza. Eu é que sou preguiçosa. Conhece o ditado “faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço”? Vc sempre me recriminava por eu não me cuidar como deveria, e agora está sentindo, na sua vida, que as coisas não são como desejamos ou gostaríamos. Geralmente precisam de força de vontade, disposição e motivação. Otimismo e canja de galinha não fazem mal a ninguem! Fui – e acho que continuo sendo – guerreira, e vc é mais guerreira que eu. Vai tirar tudo isso de letra… Nada de baixo astral. Viva esta vida, uma bênção divina que lhe foi dada, com alegria, e coloque seu foco em tudo de bom que vc tem. Fique com Deus. Um beijão. Lv u. Mamis

  11. daisygaray diz:

    Prevenção é importante, até porque já existe a pré diabetes. Sei que no começo, as opções parecem nulas, mas logo tu vai notar que tem muitas e ótimas alternativas. Minha sobrinha ficou deprimida, achando que nunca mais comeria nada gostoso. Hoje ela faz cupcakes que toda família adora! A vida segue, amiga, e a saúde e o humor devem melhorar. Tenho fé em ti!
    Beijos

  12. Mila Peteca diz:

    Oiee…que bom saber de vc Adri!! Muita calma nessa hora. Vc eh guerreira mulher! Vai tirar isso de letra. Hj levei minha mãe diabética ao médico, e paramos para um café (sem açúcar :/). Quando fui pagar a conta olhei as gordices no balcão e eis que me deparo com paçoquinha zero açúcar!!! A veinha vibrou de alegria e por ela ter se comportado bem ganhou o doce. Tudo isso, Adri, pra dizer que a luta eh dura, mas a gente consegue. Um dia de cada vez. Tenho certeza que vc vai fazer desse limão uma limonada bem doce. As vezes não entendemos pq certas coisas acontecem, mas tudo tem um propósito. Vc, com certeza vai saber lidar com isso, e ainda ajudar muitas de nós, passando informação e receitinhas pra gente. Vc consegue amiga!!
    Bjos, Milene. ❤

    • Milinha, obrigada. Ri muito com o “por ela ter se comportado bem ganhou o doce”. Parece que estamos falando de um cachorro que ganha o prêmio qdo se finge de morto, hahahahaha. Gente, a que ponto chegamos. Com minha mãe era a mesma coisa, e agora é comigo. É fogo viu.
      Mas vamos que vamos. Eu achei que nunca conseguiria me livrar do açúcar, e agora, até café com adoçante, que eu sempre odiei, já tomo. Na vida, tudo é só uma questão de hábito.
      Obrigada pela força, amiga. E vamos que vamos!
      Bjk
      Adri

  13. Adri, que bom te ler! É bom saber de você, sempre. Fiquei triste pela Diabetes. É um karma penoso. Tenho evitado o açúcar ao máximo porque lá em casa tem de tudo: Diabetes, pressão alta, colesterol… quando a minha mãe era jovem enfiava o pé na jaca pra afogar as mágoas, fugir um pouco dos problemas, e ela acabou com tudo (diabetes, hipertensão e colesterol alto). Eu tento ver a saúde sempre, mas é difícil se manter na luta. Por isso, força! Estamos contigo!
    Não pense que não vai poder comer as coisas gostosas locais quando for viajar. Eu acho que a gente faz a dieta diariamente justamente pra de vez em quando se jogar nas delícias. Depois recomeça, porque a vida precisa ter umas delícias de vez em quando… Tenho um tio que graças a Deus procurou ajuda antes que fosse tarde. Ele é mano da minha mãe, mas por ter descoberto o problema de diabetes em tempo, começou a se controlar, retirou o açúcar da vida dele e implantou a bicicleta como meio de transporte. Ele emagreceu e o médico retirou o remédio da diabetes, porque só com a atividade física e com o controle alimentar ele conseguiu. Claro que cada caso é um caso, mas existe luz no fim do túnel. E não é um trem! Força que vai dar tudo certo, viu? No começo é normal sentir o chão fugir dos pés, mas você vai vencer! Beijo no seu coração… vou procurar sua página no Facebook… Bj, Solange (Paixão)

    • Sô, você sempre tão irremediavelmente querida. Obrigada, lindona. Suas palavras sempre são um grande consolo. Sei que essa fase negra vai melhorar, embora não vá passar. Mas já estou agendando um médico para ver isso. O problema maior, sem dúvida, vai ser me mexer. Mas um dia a ficha cai.
      Beijos no coração!
      Adri

Obrigada pela visita e pelo seu comentário!!! <3

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s