O Retorno Selvagem

Olá meninas.

Sei que desapareci, mas se vocês já conhecem a minha correria, podem dobrar o volume e imaginem como estão as coisas por aqui. Se eu me ausento, quando volto, parece que despejam um caminhão de areia em cima de mim, e nem os olhinhos consigo mexer, de tanto trabalho.

Saímos às 10 horas de quinta-feira rumo à casa da KK. Chegamos lá e começamos a empacotar os produtos para levar para os encontrinhos. Como não podia deixar de ser, é IMPOSSÍVEL estar na casa da KK e não trazer coisas para casa. Saldo da vez: 34 esmaltes. Tô lascada, como sempre. Agora precisarei de 50 anos para gastar todos os esmaltes que tenho.

No almoço/quase janta, KK fez uma massinha MARAVILHOSA, com molho tailandês. Gente, KK deveria, definitivamente, trocar de profissão. Ela seria uma excelente chef de cozinha! Ô comida gostosa dessa mulher!!! Preciso é pegar a receita desse molho, que eu amei de cacar. Depois de ter comido como uma jiboia, e ter ficado algumas horas empacotando esmaltes, no fim do dia estava muerta. Fomos dormir por volta das 23h, e no dia seguinte iríamos acordar às 5 da matina para irmos para o aeroporto.

Chovia horrores. Morria sapo afogado. Escuro, toró dos brabos e um calor desgraçado, às 6 da manhã. Estava rezando para encontrar a friaca que dona Nina disse estar lá no sul. Chegamos ao aeroporto, despachamos as malas, uma delas cheia de esmaltes, e embarcamos rumo ao paraíso do frio (tadinha de mim…mal sabia que NÃO o encontraria).

Ao chegar em POA, estava achando que tinha ido pro lugar errado. Cadê o raio da friaca????? Quis esganar a Nina, que apareceu ao nosso encontro no aeroporto algum tempo depois que chegamos. Nossos casacos foram passear em Porto Alegre!

Pegamos um taxi e fomos para o hotel. Depois de ter ficado naquela pousadinha super aconchegante de Búzios, minha decepção foi grande quando chegamos ao nosso hotel em Porto Alegre. A localização é sofrível e as acomodações não ficam atrás. Aquela fotinho que está no site, é para enganar trouxa. Paredes remendadas sem pintura, isso quando não tinha o buraco na parede ao invés do remendo. Foi “maravilhoso” constatarmos que a privada estava entupida, onde boiava a caca alheia. A vontade que tive foi de sair correndo. Foi uma vez, para nunca mais. Pelo menos o chuveiro era maravilhoso – foi a única coisa que prestou do hotel.

Assim que chegamos, não estava ainda na hora do check-in. Deixamos as malas guardadas no hotel e fomos almoçar. Eu queria ir em um restaurante chamado Calamares, porque nele é servido o prato da Boa Lembrança. Por todo Brasil há restaurantes, que fazem parte da Associação da Boa Lembrança. Nesses restaurantes, você come um prato específico e recebe um prato pintado a mão com o nome do prato que se comeu, o ano e a cidade, para pendurar na parede. Eu coleciono esses pratos, e por isso sempre que vou a uma cidade diferente eu procuro um restaurante associado para trazer um prato. Os restaurantes todos têm que ter uma excelente comida, para fazerem parte da Associação. E boa comida geralmente é sinônimo de comida mais cara, mas ainda assim vale a pena, pois a coisa que eu mais gosto de fazer na vida, depois de viajar e comprar, é comer. Então, por que não comer BEM?

Eis alguns dos meus pratos. Tenho mais alguns, em uma parede que não fotei, e tenho outros guardados para pendurar.

Com muito sacrifício, conseguimos um taxi, porque absolutamente nenhum parava na rua para nós. Tivemos que pedir para o recepcionista do hotel pedir o taxi, que nos levou e nos proporcionou uma viagem no mínimo inusitada. Foi o primeiro passeio de carro em marcha à ré que já fiz na vida.

Quando chegamos à rua do restaurante, o carro estava na extremidade oposta à mão da rua, ou seja, o motorista não podia entrar na rua pelo lado em que ele chegou, porque era contramão. Sendo assim, ele colocou a bundinha do carro na rua e foi dando marcha à ré até quase o outro extremo da rua, onde ficava o restaurante. Após muitas risadas da loucura do velhinho, finalmente chegamos ao Calamares, onde comi uma comida maravilhosa.

Este foi o prato que pedi. É um bacalhau com curry e batata palha! Eu nunca tinha comido bacalhau com curry antes, e adorei a combinação. Eu adoro curry, e amo igualmente bacalhau. Foi perfeito!

Este foi o prato da Gabi. Um filé ao molho gongorzola. Ela disse que não foi nada fenomenal, mas eu gostei (belisquei o dela).

Na volta, passamos na Mega Panvel, onde fui fuçar para ver se tinha alguma novidade. De esmalte não achei nada que prestasse, muito embora fosse uma heresia querer achar algum esmalte cacante, tendo um ido a um encontrinho com esmaltes importados lindíssimos.

Não achei o esmalte, mas quase morry quando vi isso. Vocês sabem que eu sou A TARADA por sabonetes, né? Gente, esses são sabonetes italianos. Na verdade nem deveriam se chamar sabonetes, mas tijolos. Cada bichinho desses pesa 250 gramas. É uma arma! Se tacar na cabeça “dum”, causa traumatismo craniano. E o perfume dos danados!?!?!?! Surtei, gentem! Era um mais cheiroso que o outro. Na dúvida, passei a mão em 9! Cortei o primeiro que usei em 3 barrinhas. Muito melhor de manusear. Partindo todos em 3, terei então 27 sabonetinhos maravilhosos. Se quiserem se aventurar, vale a pena.

Depois da Panvel, pegamos um taxi para voltar para o hotel.

Na volta, tomei um banho e deitamos todas para descansar um cadim. Quando eu estava quase pregando o olho, o telefone toca. Era Day, que chegava ao hotel, indo ao nosso encontro. Acreditem se quiser, mas não deixaram ela subir. Como vimos muitos grupinhos de “rapazes” no hotel, fiquei imaginando se essa política de impedir visitas seria para evitar que o lugar virasse um bordel. Fato é que não deixaram a Day subir, e eu fiquei uma fera. Descemos para encontrá-la, e Gabi Moura chegaria em seguida.

Dei um grande abraço na queridíssima Day. Ela é uma super fofa! Enquanto estávamos lá em baixo, o rapaz da manutenção estava subindo para ver a privada. Subi para acompanhar o serviço, já que tudo nosso estava no quarto. Do jeito que o lugar era, não podia simplesmente confiar.

Depois que ele consertou a privada, aquela aguinha maravilhosa espalhou-se por toda a borda da privada e pelo chão. Mas pelo menos conseguiram desentupir o vaso. Ainda bem que durante nossa estada, Mary não mostrou do que ela é capaz! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Incrivelmente, ela não entupiu a privada do quarto também. Fiquei super preocupada com isso! uhahuahuahuahuahuhua

Desci e pedi que mandassem limpar o banheiro de novo, que diga-se de passagem, tinha algo “marrom” impresso na parede. Seria caca também?

Quando cheguei lá em baixo logo estávamos todas juntas fazendo a maior bagunça. Gabi Moura chegou com a filhota e logo saímos para ir a um shopping para comprarmos algumas coisas para abastecer o frigobar do quarto. Eu estava de bermuda e sandália rasteirinha. A noite já estava caindo, mas fui de bermuda mesmo assim. Só sei que enquanto eu via várias pessoas encasacadas e com botas de neve dentro do shopping, eu passeava alegremente com minhas celulites e dedinhos de fora. Quando as pessoas me olhavam com olhos arregalados, não sabia dizer se olhavam porque eu estava branca demais, tinha celulite demais ou se era por causa da bermuda, heheheh.

Quando voltamos ao hotel, KK já havia chegado. Saímos logo para comer em na churrascaria Galpão Crioulo. Não era um Porcão Rio’s (churrascaria famosa e VIP no Rio de Janeiro), mas quebrou o galho. O show foi super legal e bem animado. Valeu a pena. Comi bastante, como sempre.

Dormi só Deus sabe como, pois o colchão mole acabou com minhas costas. Eu já vinha sentindo dores no ombro esquerdo. Agora sentia dor no direito também, pra contrabalançar, huahuauhauhah.

O restante, contarei no post de amanhã. Cenas dos próximos capítulos. Depois de tanta comilança, eu decidi que vou tomar vergonha na cara e vou caminhar todo dia. Depois que vi as fotos das meninas comigo no encontrinho, vi como eu estou balofa! Aff! Estou indo dormir para poder acordar cedo.

Beijocas e até amanhã!

Adri =DD

Anúncios

Sobre Adri Portas

Tradutora, Blogueira e Filósofa (da vida)
Esta entrada foi publicada em Bobeirinhas Familiares. ligação permanente.

12 respostas a O Retorno Selvagem

  1. danakscully diz:

    Finalmente estou conseguindo ler os posts pós POA e adorei este primeiro. Não sabia da existência da Associação da Boa Lembrança e adorei a ideia!!! Quando finalmente eu tomar coragem para começar a viajar, com certeza vou procurar por algum restaurante associado. Por falar em coragem para viajar, o tempo que eu arrumei para ler os posts é devido a uma coisa ruim: tive uma recaída e estou com dor, mas por enquanto suportável. Estou dando conta de ler o blog, só não estou conseguindo me mexer. Tomara que amanhã eu acorde melhor e consiga sair da cama porque é o dia de eu entregar os documentos na PF para tirar o passaporte. Muito azar eu ficar ruim justo hoje. Mas voltando ao post, “para nossa alegria” em suas viagens sempre acontecem imprevistos muito bizarros!!! 😛 Nem consigo imaginar direito o taxi andando de ré porque na rua em que se tem que passar só pode trafegar em um sentido! hahahaha Agora, deu até dó de vocês imaginar o hotel em que vocês ficaram…
    Beijos Dri e lá vou eu para o próximo post,
    Van

  2. jehmikui diz:

    hahahahah
    que aventura amiga!!!
    e a pousada de Búzios realmente é melhor viu hahahahahah
    essa ai foi furada!!!!!
    massssssssss só pelo passeio já vale a pena, eu fico com agua na boca, sua ruim, detalha e tira foto dos pratos pra matar a gente *—————————————-* hahahahahah

  3. solangepaixao diz:

    Gabs, eu adorei o seu prato, escolheria igual!!! Bjinhos, meninas!!! Sô

  4. Esse hotel foi pra pagar os pecados da próxima encarnação, cruzes! Bem que merecia uma propaganda negativa pra tomarem vergonha na cara, rs!
    Só de olhar as fotos deu uma vontade de estar lá com vocês!!!

  5. G-SUIS! Morri de vergonha deste hotel do inferno! Juro que na próxima vez, procuro um decente para vocês, só não posso prometer o frio! hehehe Tu esqueceu de dizer que quando eu liguei pra Nina, recebi uma tremenda”ovação”! E quando cheguei ao hotel, recebi um abraço “sanduíche” teu e da Gabs! Pena que não fotografamos nossas unhas juntas. Seria uma boa foto para este post, né? #metida Não vou falar mais, para não estragar o post de amanhã…a boca-de-jacaré pode falar demais! hehehe

  6. Aff…já tava em surto sem post para ler!!!!!! Só faltou a fotinho com suas 34 aquisições!!! Huhuhuhuaaaaa……bjus e boa noite!!! Também to morta!!!!!!

Obrigada pela visita e pelo seu comentário!!! <3

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s