533 – Ozotic

Hola companheiras!

Hoje iremos apreciar o maravilhoso policromático holográfico da Ozotic, 533. Eu estava louca para usar um holográfico desde antes de viajar para o cruzeiro, há um mês. Como fomos à casa da KK no último fim de semana, e trouxemos este Ozotic, resolvi testá-lo. Olha, ele é simplesmente divino! Eu AMAY demais esse esmalte; é todo colorido e drag queen, como eu gosto. Agora só espero que dure até eu voltar de brasília! Para onde estou indo amanhã (visitar titio e minha prima esmaltaradinha, Nina – não é a “nossa” Nina).

Foi preciso passar três camadas pra ele ficar assim, pois ele é “aguadinho”. É também bem fácil de limpar. Dependendo da posição dos dedos, o esmalte fica lilás, verde, “cor de burro quando foge”, azul, e ao mesmo tempo em que tem essas cores, fica holográfico. A cor que predomina é o azulzinho/lilazinho. Chega até a cegar a gente no sol!

Fizemos um vídeo, mas ele não ficou bom, porque foi feito com a luz do pôr do sol e a imagem ficou rosada/avermelhada demais, e não deu pra ver as cores diferentes mudando. E infelizmente as fotos não conseguem mostrar toda a belezura desse esmalte.

E aí, o que acharam?

Begos!

Gabi

E agora, na Seção BF, venho aqui dar umas explicações. Ontem a situação estava calamitosa para mim. Todo dia primeiro eu faço o faturamento da minha empresa, e antes de fazer as notas fiscais para meus clientes, eu precisei terminar um trabalho que estava pendente. O resultado é que eu simplesmente não consegui postar nada, porque eu tinha marcado um jantar com uma amiga, e estava tão quente ontem, que quando eu voltei eu fui direto me banhar e dormir. Estava um caquinho.

Esta manhã fui levar Mary e mamis na rodoviária. Elas foram para a casa da mamis no Rio, e amanhã estarão pegando um “viãozinho” pra Brasilia, e vão ficar lá quase duas semanas.

Hoje eu “xiliquei” duas vezes: uma de alegria e outra de raiva. A “xilicada” de alegria foi porque meus Layla magnéticos chegaram, da minha comprinha online. A “xilicada” de raiva foi porque a placa de vídeo do meu PC deu pau e eu fiquei sem PC, de volta ao notebook… A revoltinha e o nervosinho foram tão grandes que eu meti o dente na minha unha remendadinha, e créu! Aqui jaz uma unha. Resultado: cotocada geral da mão direita. Afffff! Vou ficar, sim, parecendo uma jeca, com uma mão compridinha e a outra cotoquette. Preciso de unhas para fazer reloginhos decentes! Obviamente vai ficar assim até eu xilicar novamente e então meter a lixa em tudo.

No jantar com essa  amiga ontem (aquela que é casada com o norueguês), ela convidou a mim e Mary para passar umas 2 semanas na Noruega em julho. Eu sempre quis ir lá, desde que minha mãe foi e disse que os fiordes (fjords) são lindíssimos. Não preciso nem dizer que eu fiquei empolgadíssima, não é? Ela tem casa lá, então não precisaremos gastar com hospedagem, só passagem. Ademais, ela falou que uma manicure lá custa 300 reais!!!! Sugeriu que eu fizesse umas manis por lá pra me distrair e ganhar um din din. Já pensou??? Se cobrar 100 pratas já está bom demais, e todas ficaremos felizes como pinto no lixo: eu e elas! Agora é torcer pra dar certo.

Amanhã volto pra mostrar umas comparações.

Bjus

Adri  =)))

Nail Art de Vida Curtíssima

Estou arrasada. Estava totalmente inspirada para fazer uma nail art hoje, e fiz, toda contente. Quando estava tirando as fotos, ouvi um barulinho estranho e quando olhei pra trás, percebi que aquele indigente verde estava jantando o headphone do meu iPhone. Gente, quase matei o desgraçado LITERALMENTE. Se por um instante eu não tivesse lembrado que num rompante de ódio a gente comete loucuras das quais nos arrependemos depois, eu teria matado o desgraçado. E meu iPhone está com problema. Eu só consigo ouvir música nele ou falar no Skype usando o headphone. Então vocês imaginam a raiva que eu senti na hora do flagra, né?

Na hora do quase papagaiocídio, eu borroquei toda a minha nail art, e só deu pra salvar as fotos que eu já tinha tirado. Espero que sejam suficientes para vocês conseguirem ver o que teria ficado lindo nas minhas mãos por algum tempo. Depois de todo o trabalho que eu tive, pintando quase à moda americana, para não usar palito, já que pintar com preto é um desastre, e ainda fazendo todo o resto a mão, eu não iria DE JEITO NENHUM fazer tudo de novo. Eu só tinha pintado a mão esquerda para poder fazer logo o post, e pintaria a direita depois. Então, agora, só me resta tirar tudo e olhar as fotos, sentindo pena.

Não foi difícil fazer. Só precisei de um pincel para nail art (fino e curto), instrumentos de fazer bolinhas e os esmaltes: Preto (serve qualquer um), Cool (Hits), 520 (Ozotic), Prism Navy (Peripera) e Dourado (Fine Hits).

O 520 pode ser substituído pelo Sex Appeal (Impala) e o Prism Navy pode ser substituído pelo Dreamer ou Artsy (Hits), apesar de esses não terem o mesmo tom de azul do Peripera. Poderia até ser o Balada da Passe Nati, ou quem tiver, o Gorgeous, da Sinful Colors.

Comecei pintando as unhas de preto, com cuidado para não esbarrar nas cutículas, porque depois que a gente limpa esmalte preto das cutículas, por mais que a gente esfregue ainda ficam manchas feias na pele. Depois, com o pincel de nail art, eu fiz as gotas usando o Cool, como está na foto abaixo.

Depois, ainda usando o mesmo pincel, eu fiz bolas maiores na parte de baixo das gotas. Usando um dos instrumentos de pintar bolinhas, fiz bolinhas menores usando o 520 e depois menores ainda usando o dourado. Nem passei top coat desta vez. Até porque não deu nem tempo, aff.

Quem ainda não sabe, esses instrumentos de fazer bolinhas podem ser comprados no Brechó da KK.

Bem, meninas, é isso aí. Confesso que não estou inspirada agora, depois do estresse demasiado por que passei há pouco. Desculpem a falta de educação, mas sairei à francesa.

Beijos!

Adri =(((

Fascinante – Ludurana

Ozotic Pro - 520

Ops, esmalte errado??? Mais ou menos. Coloquei o Ozotic aqui para vocês observarem a diferença que há entre ele e o Fascinante da Ludurana.

Fascinante - Ludurana

Conseguiram ver a diferença? O vermelho do Ozotic é mais cor de fogo, femme fatale mais chegay. O da Ludurana é mais puxado pro vinho e mais comportadinho, sendo ainda que tem determinadas posições e níveis de luminosidade que o fazem ficar roxo e até mesmo esverdeado, como vocês podem observar na foto abaixo. Conseguem ver o verdinho discreto?

No vidro a gente consegue ver melhor as outras cores “escondidas”, mas no vidro não interessa né? Na unha é que importa. Mas ô troço difícil de pegar na câmera, viu (as outras cores)?Tentei de todo jeito. Quase plantei bananeira, e nada! Por fim, desisti.

O que eu gostei mesmo nesse esmalte foi o perfuminho. pena que já no segundo dia ele já estava se fingindo de morto. Mas deu pra aproveitar o primeiro dia, pelo menos, rsrsrsrsrs. O problema era ficar cheirando as unhas. A coisa era sinistra!

Fascinante - Ludurana

Esse foi o segundo esmalte da linha de policromáticos da Ludurana que postamos aqui. O primeiro foi o Reluz.

Os Luduranas custam mais caro que os esmaltes comuns. Já vi custar 18 reais por aí. Mas no Brechó da KK você encontra eles por 11,90. Que diferença, não é? Aproveitem que ela recebeu uma remessa nova anteontem! Compre a coleção inteira que você vai gostar, se quer um esmalte nacional diferente e bonito.

Como sempre, eu dei um toque diferente ao polegar. Peguei a plaquinha Bundle Monster BM 209 e carimbei usando o esmalte perolado forte dourado da Hits, 351, e dei o toque final colocando um cristal Swarovski de 1,5mm cor Light Colorado Topaz. A KK comprou desses cristais, só não chegaram ainda. Mas esperem que breve, breve ela vai divulgar e colocar no site dela.

Bundle Monster 209 - Hits 351 - Swarovski 1,5mm Light Colorado Topaz

Eu queria um carimbo em que desse pra “encaixar” o cristal. E achei esse com bolinhas que serviu como uma luva, pois o cristal é do tamanho exato da bolinha do carimbo. Ficou super charmoso! O legal, que eu já comentei aqui, é que se você cuidar direitinho do cristal na unha, dá pra aproveitar ele depois. Ele sai facilmente com acetona e mantém seu brilho sensacional, já que é um cristal de verdade, com pedigree Swarovski. Lavou, ta novo!

Por falar em pedigree, na seção BOBEIRINHAS FAMILIARES de hoje, eu declaro que quase cometi um papagaiocídio hoje. Acordei de manhã, desci e quando cheguei lá em baixo, me deparei com a coisa verde, felicíssimo, detonando tudo o que encontrou em cima da mesa. Olhem o estrago que esse indigente fez!

Esse é um minitênis que é um chaveiro, e Mary leva pendurado na mochila da escola dela. Esse foi o aperitivo.

De entrada, o macaco da mochila. Os pés e o dedão que o macaco põe na boca dançaram. Agora Mary tem um macaco mutilado.

De prato principal, ele escolheu a mochila. Ele tirou a borracha que fica em volta do puxador do zíper, e resolveu degustar os dentes do zíper também.

De sobremesa, ele começou a tirar a borracha do zíper da minha bolsa (também da Kipling), mas conseguiu deixar algo inteiro.

Eu surtei quando vi a cena. Ele me viu, e, sabendo que tinha feito A CACA, já saiu voando pra tentar poupar as penas do rabo, porque sabia que eu ia ficar enfurecida com ele. E o pior é que o bandido sabe quando tá fazendo o que não deve! Dá vontade de estrangular o desgramado. Mas bem feito pra nós duas. Nós estamos ROXAS de saber que ele faz isso, e ainda assim deixamos coisas em cima da mesa.

Um dia o peguei degustando a alça de couro da minha bolsa Victor Hugo. A sorte é que eu o peguei no começo do ato ilícito. De castigo, passei uma fita adesiva em volta do bico e deixei uns 10 minutos. No começo ele ficou desesperado pra tirar a fita. Mas, do meio do tempo em diante ele se conformou, desistiu de tirar a fita, e ficou com ela no bico sem fazer nada. rsrsrsrsrsrs

Esse é o segundo papagaio que eu encontro na rua. Acho que Deus queria muito me dar um. O primeiro eu achei no meio da minha rua, no asfalto. Eu estava dirigindo quando o avistei. Saí do carro, o peguei e fiquei com ele (mansinho), na minha mão me perguntando o que fazer com ele. Na hora passou uma amiga minha e eu perguntei se ela queria. Ela acabou ficando com ele.

Anos depois, esse meu chegou voando à minha casa. Quando olhei, estava ele pousado na árvore. O peguei e fiz a mesma coisa: fiquei com cara de paisagem pensando o que eu ia fazer com MAIS UM papagaio. Fiquei com ele uns dias, na esperança de ver algum cartaz “Procura-se um papagaio” pregado em alguma árvore ou poste, mas isso nunca aconteceu. Quando eu já estava decidida a entregar a coisa verde pros “responsáveis”, ele começou a cantar “Atirei o Pau no Gato”. Na mesma hora eu entrei em pânico. Como podia me desfazer de um bicho tão prendado? Ele adora visitas. Quando chega alguém aqui em casa ele se joga em cima e nem quer mais voltar pra mim. Vai direto pro ombro da pessoa, abre o rabo em leque e fica todo saliente e falador.

Eu tenho muita pena de quem criou ele, pois criou com muito amor e carinho, para ele ser tão manso e amigo. Eu nunca vi um papagaio assim. Geralmente eles bicam de arrancar pedaço. Tenho certeza que quem o perdeu deve sentir ainda muita dor no coração e chorar até hoje. Sinto muito por essa pessoa. Se ao menos eu pudesse dizer que ele está bem… O que importa é que ele vive solto e faz o que bem entende (isso vocês não têm dúvidas, né???).

Um dia ele voou e foi parar lá na lagoa. Quase morri aquele dia, pois aqui na lagoa tem cobronas enormes (jiboias de 2 metros). Ele seria somente um aperitivo para elas. No dia chovia, e eu fui lá pro meio daquela aguinha “cheirosa” atras dele, e não enxergava nada por causa do mato alto. Maridón e Mary foram me ajudar a procurar. Eu gritava por ele e a chuva nada de dar uma trégua. Eu afundava naquela lama fedorenta, mas eu “paniquei” tanto com a ideia de ele virar jantar de cobra que nem estava ligando pro fedor ou com a possibilidade de pegar uma doença. Na verdade, na hora do desespero a gente não pensa em nada, não é mesmo?

Por fim, ele voou até perto de mim. Estava ensopado por causa da chuva. E eu não conseguia ve-lo por causa do mato. Mas Gabi gritou dizendo onde ele estava, e quando fui pega-lo, o retardado voou. Quase larguei o paspalho lá pras jiboias comerem. Enfim, com muito sacrifício de andar no meio daquele mato e lama no fundo da água, cheguei perto dele de novo e consegui pegar. Fiquei com taquicardia uns 30 minutos depois disso. Eu juro que foi a primeira vez na vida que pensei que iria morrer.

Quando cheguei em casa, fui correndo tomar um banho e passar álcool no corpo inteiro. Aquela lagoinha deve ter mais bactérias do que uma central de tratamento de esgoto (já que lá desagua esgoto). Tive que deitar pra tentar me recuperar da pior aventura que passei nos últimos anos.

Essa foi uma situação que nunca mais me esqueci, e jamais esquecerei. O dia em que quase morri por causa da coisa verde que detona nossas coisas. Afff

Bem meninas, espero que vocês tenham um ótimo fim de semana. Este findi a KK está em Florianópolis, no encontrinho. Espero que ela faça muitas vendas. Na terça-feira irei encontrá-la na casa dela para ajudá-la a terminar de organizar o estoque.

Bjs
Adri =)))

Prata Cromado (Up Colors) + 624 (Ozotic)

Desde que a Nina postou aquelas unhas estilo aço escovado eu caquei pra colocar um pratão nas unhas. Mas não queria escovado não, queria brilho! Muito brilho!  Eu tinha comprado o Prata Cromado da Up Colors pra usar nos carimbos, mas é um prata tão chegay que eu achay que seria exatamente o que eu procurava. Arrisquei.

Bem night esse esmalte não é? Isso à noite deve reluzir horrores. Pena que eu não saio.

Eu tinha visto uns videos na net e achei um que me deu uma ideia. Resolvi inovar e fazer algo diferente, que nunca fiz aqui antes. Por cima desse pratão, resolvi colocar um roxão holográfico, o 624 da Ozotic. Só que usei uma técnica diferentinha, mas que muitas já devem ter usado, não eu. Usei uma fita adesiva pra fazer o efeito que eu queria: uma linha diagonal; a chamada esmaltação espanhola. E, num estilo bem NINA, resolvi encher esse post de fotos, e de lambuja tasquei ainda um vídeo.

Primeiro eu deixei o prata secar um pouco, talvez uns 10 minutos, e coloquei a fita adesiva. Depois fiz como deveria fazer, pintando com o roxo na parte que eu queria, na ponta da unha. Só que quando eu tirei a fita adesiva, veio todo o esmalte prata de baixo. Não me restou outra alternativa senão tirar tudo e começar novamente. Na segunda vez, porém, eu não fui boba e meti um Seche Vite antes de colar a fita adesiva. Não precisa nem dizer nada, né? Ficou duro como pedra em alguns poucos minutinhos, e minha nail art saiu linda e loura roxa.

Pressionei bem a fita nos cantinhos da unha pra não borrar além do limite

Aqui, o esmalte roxo passado por cima da fita adesiva, antes de retirar.

Esmaltinhos usados

Depois que eu pintei o roxo, passei o Seche Vite Novamente.

Depois que eu terminei, resolvi colocar uma estrelinha prata nos polegares somente.

Aproveito agora para mostrar o vídeo que fiz.

Vocês poderão observar que os brilhos ofuscam a câmera, rsrsrrs.

Eu, particularmente cacay com o resultado. Amay, amay. A técnica com a durex é tão gostosinha que dá vontade de tentar outras coisas. Me aguardem!
E aí, o que acharam? Vão arriscar também?
Bjs
Adri =)

520 – Ozotic

Estou aqui ansiosa pra saber como será o dia da Ana amanhã nas lojas de cosméticos em São Paulo. Estava aqui escrevendo sobre ela, e de repente eis que entra ela no MSN!!! Parece até que foi transmissão de pensamento! Ela disse que tinha acabado de chegar ao hotel e que a visita à fábrica da Natura foi sensacional! Ganharam um tubo de creme de cacau cada aluno que foi no grupo, da linha Ekos. Pena que não deu pra eu ir…
Ela pintou as unhas com o mesmo esmalte que vou mostrar aqui hoje, sendo que ela pôs um marrom por baixo. Eu já apelei pro laranjão da OPI. Ela disse que a mulherada no buzão cacou de babar. É, de fato um esmalte pra lá de cacante.
Mesmo com cotocos de unhas, eu resolvi pôr o Ozotic. Eu lixei mais ainda as unhas. Agora estão no sabugão. Sabem aquelas pessoas que fazem autoflagelação? Ataquei-me assim. Eu estava meio revolts e meti a lixa nas unhas, como se isso fosse resolver os meus problemas. Não me perguntem que sentido tem isso. Não sei responder. Mas me senti bem melhor.
Mas vamos ao que interessa. Com vocês, 520 da Ozotic Pro.

Ele lembra bastante o Iris Dust, mas é mais chegay. Tudo nesse esmalte é exagerado. Ele é uma “agüinha” (sei que não tem mais trema, mas é a única forma de fazer entender que é o diminutivo de água), e tem que pôr no mínimo duas camadas pra prestar.O problema é que se passar base e duas camadas do esmalte de fundo, mais as duas do 520 fica tão grosso que logo começa a formar aquele chokitão! As bolinhas começaram a fermentar e eu meti logo em cima um Seche Vite pra controlar as danadas. Sorte que esse Seche é um milagre engarrafado. As bolinhas murcharam e o esmalte ficou lisinho. Comprei logo um estoque de Seche. Nunca mais na minha vida fico sem esse top coat dos deuses. Ele seca qualquer camada de esmalte quase que instantaneamente, e endurece como se tivessem se passado horas secando.
Voltando ao 520, apesar de aparecer no vidro um tom verde e até mesmo azul, nenhuma dessas duas cores aparece nas unhas depois de pintadas. Os reflexos variam somente entre o vinho rosado e o amarelo.
É um esmalte que realmente chama muito a atenção, é chegay ao extremo. São 16 ml no vidro, então tem esmalte pra muitas esmaltações.
É uma pena que eles pararam de entregar temporariamente para no Brazil. Espero que retomem logo as vendas.
Não vi os Ludurana ao vivo ainda, mas, sinceramente, não acredito que eles cheguem ao pedigree dos Ozotics.
Agora estou ansiosa para experimentar as outras 3 cores que tenho.
E na seção “bobeirinhas familiares”, hoje eu trago aqui o banho da Ave. Não dá pra ver a água, mas minha mãe estava molhando ele com a mangueira.

Adri =)