Tutorial Degradê prata-ouro-cobre

Boa tarde meninas,

Minha última mani fez tanto sucesso, que me pediram para fazer um tutorial do degradê dyvo que fiz, prata-ouro-cobre.

Vejam o vídeo do resultado final, antes de iniciarmos o tutorial.

Para iniciar, precisaremos do seguinte material:

1. Esponjinha de maquiagem (de preferência, de látex, que é bem macia e tem os poros bem fechadinhos)

2. Esmalte prata, ouro e cobre. Aqui, usei o Excellence (prata) e Vibrancy (ouro) da Eliana e o esmalte de carimbo cor bronze da La Femme.

3. Tesoura

4. Superfície plana e impermeável

5. Algodão

6. Palito

7. Acetona

Como fazer:

tutorial

Pegue a esponjinha de maquiagem. Pode vir em diversos formatos. Essa é um triângulo.

tutorial

Para ficar mais fácil de manusear e economizar esponja, já que usaremos só um pedacinho, pegue a tesoura e corte  “tijolinhos”.

tutorial

Estes são os três esmaltes que usei.

tutorial

Pinte as unhas com o esmalte prata, para fazer o fundo do degradê.

tutorial

Aqui passei duas camadas. Não precisa limpar, pois vamos melecar tudo mesmo…

tutorial

Na superfície impermeável, coloque uma gota “gordinha” de cada esmalte, deixando que se misturem. A sequência é prata, ouro e cobre.

tutorial

Coloque a esponja sobre os esmaltes para absorver.

tutorial

Sem demora (senão o esmalte seca), agora vamos esponjar a unha, tendo em mente que a parte PRATA ficará onde nasce a unha, e o COBRE na ponta da unha.

tutorial

Dê  pancadinhas com a esponja molhada sobre a unha de forma que homogeneize os esmaltes, fazendo um degradê perfeito. Uma só “esponjada” não é suficiente. Eu fiz pelo menos umas três em cada unha, para o esmalte ficar bem forte. Cuidado para não deixar secar o esmalte na esponja e na unha enquanto esponja, senão pedacinhos da esponja ficarão colados na unha, aí, danou-se… vai estragar o trabalho.

Copper Gradient2

Faça isso em todas as unhas, até que fique na tonalidade do seu gosto. Use várias esponjas conforme necessário (as esponjas são descartadas ao final do trabalho, pois não vale a pena limpar). Finalize com um bom top coat e limpe o esmalte dos dedos. Eu gosto de passar o top coat antes de limpar, porque o top coat penetra nos cantinhos, e quando passamos o palito para tirar o excesso de top coat, o próprio top coat se encarrega de iniciar a limpeza, pois um tanto de esmalte vem junto com o top coat no palito. Depois fica bem mais fácil limpar o resto.

Esses esmaltes são chatinhos de limpar, pois fica uma purpurininha no dedo, que não sai totalmente quando limpamos com acetona. Geralmente basta lavar as mãos com sabonete (depois que está tudo seco, claro) que a purpurina sai.

Espero que tenham gostado. Depois contem se conseguiram!

Beijocas!

Adri =D

Maresia – Dote Eliana

Olá meninas!

Na sua nova linha da Eliana, que deixou a Super Pérola, a Dote lançou uma linha de esmaltes metálicos, seguindo a linha dos esmaltes L’Apogéé que a Vivi apresentou aqui ontem. É basicamente a mesma coisa. Vejam essa foto que tirei da coleção, na Ikezaki na Beauty Fair.

Comprei o azul e o roxo dessa coleção. E hoje vou mostrar pra vocês o “azul”: Maresia

Parece um inofensivo azul, não é? Ele é praticamente um teal. Eu não acreditei quando vi o esmalte no vidro azul e nas unhas teal. Não entendi nada!

Não sei se é a iluminação, só sei que achei liiiiiiiiinda a cor. Bem o estilo do esmalte que Vivi pôs aqui ontem, mesmo. Tem um pozinho prateado, que confere um brilho bem legal à mani.

Uma boa camada é suficiente. Não precisa de mais, mesmo! A cobertura é fantástica!

Como eu praticamente fiz esmaltação americana, só que sem pincel, usando o palito mesmo pra limpar, eu não sei se é muito torturante limpar o pozinho, já que eu limpei um mínimo do mínimo.

A única coisa que eu posso dizer é que é uma pena que a minha mão direita esteja com cotoquettes. Esse esmalte num unhão grande e lindo como o da Vivi, deve parar o trânsito. A cor é lindíssima, e e acho que a Nina iria cacar com ele. O roxo é muito bonito no vidro, também, e imagino que nas unhas também deve ficar um dyvo.

Eu confesso que eu não esperava me surpreender tanto com esse esmalte. Ao vivo, como sempre, nunca é igual à “sengracice” das fotos, já que a incidência da luz ao vivo empre nos arranca suspiros que as fotos não arrancam. Podem acreditar, se comprarem não vão se arrepender NADA! A cor e o resultado final são lindos!

Eu finalizei o dito com Brilho Cristal, porque pensei em carimbar, mas estou com uma baita pena. Além do mais, não vejo mesmo muita graça em carimbar em cotoquettes, já que quase não aparece carimbo. =/

Bem, é isso aí. Vou trabalhar, como sempre. Bom findi pra vocês!

Bjus Adri =DDD

Salsa – Eliana

Estava tirando fotos das unhas e vendo o estrago que esse Harryinho fez no meu braço com as brincadeiras selvagens dele. Parece que andei brigando com um tigre, e não com um gato. E olha que eu aparei as unhas dele com a tesourinha específica. A coisa está feia mesmo, heheheheh

Eu tenho uns esmaltes vermelhos cintilantes, metálicos, sei lá, e resolvi pôr um. O que usei no post de hoje é o SALSA, da Eliana.

Quando a gente olha o vidro, acha o vermelho cintilante dele comum e monótono. Chegamos a quase dormir, de tão entediante que é no vidro. Mas mesmo assim resolvi colocar.

Meninas…o desgramado do esmalte fica super cacante nas unhas (para quem gosta de vermelhão, né Day?). Acredito que o efeito boosting da cor tenha sido o top coat, que geralmente levanta a moral de qualquer cor sem graça.

Minha paixão por vermelho vem de longa data, mas eu fico tanto tempo sem usar que me esqueço como é uma cor caliente e linda.

Eu ia carimbar, mas desisti, para poder namorar melhor esse reflexo vermelho de luz tão lindo.

Passei duas camadas dele, com perfeição. Gosto muito de esmaltar com o pincel da Eliana, porque tenho a impressão de que ele é comprido, apesar de as cerdas serem ainda old style.

Com medinho de fazer caca, porque achei que ficou lindo, arrisquei no polegar usar o glitter holográfico dourado da linha Ultimate 3D da Top Beauty. Quando coloquei, achei que o dourado amarelado do glitter não ficou lá essas coisas sobre o vermelho, embora o reflexo holográfico em contraste com a luz seja sempre um show à parte.

Nem pintei as outras unhas, porque não gostei muito do resultado. Resolvi, então, passar o top coat para tirar a aspereza do glitter. Uma camada, e continuava com saliências. Duas camadas, estava com ondulações. Terceira camada, ficou lisinho, vitrificado e perfeito! Como estava esmaltando à noite, eu achei que estivesse bêbada de sono, pois já não via mais a cor do glitter dourado, embora o efeito holográfico continuasse. Eu não estava bêbada de sono; o amarelo do glitter estava mesmo desaparecendo, se amalgamando ao esmalte vermelho. Estava virando vermelho. E virou!

Na foto acima não se consegue perceber 1/10 da formosura que ficou o esmalte com esse glitter “vermelho holográfico” em cima. Gente, o diacho brilha demais da conta, sem falar que até na sombra a cor é escandalosamente linda. O glitter que ficou da cor do esmalte, brilhando ainda lindamente, e mais a cobertura vitrificada do top coat, transformaram o patinho feio em cisne com pedigreeeeee!

Na tentativa quase frustrada de tentar mostrar essa beleza toda, fiz um videozinho com minha “mara” câmera do iPhone. Ficou uma “xosta”, mas dá pra ter uma vaga ideia, por causa das “estrelinhas” que acendem conforme movo os dedos.

Hoje de manhã eu resolvi pegar o Ares, da Hits, e passar na outra mão para ver se ficava tão bonito quanto a outra mão. Na na ni na na… O holográfico do Artes é mais fininho, e tem a delimitação das cores do holográfico e tals, mas o acabamento “leitoso / esbranquiçado” que ele deixa não me agrada. Já o Top Beauty ficou totalmente transparente, e o gritter brilha como eu falei acima: parecendo estrelas que acendem e apagam conforme se mexe a mão.

Podem me chamar de exagerada, e até rir, por não achar que ficou lá essas coisas. Eu só digo uma coisa: é porque você não está vendo ao vivo!!! É tudo! Definitivamente deveria ter colocado essa cor quando fui àquela festa. Teria ficado um escâââââââââândalo!

E na BF de hoje, vi uma abelha no vidro da porta da sala de jantar, querendo sair. Voa pra cá, voa pra lá, e de  repente ela desceu. No que desceu, Harry avistou-a-a e veio ao seu encontro todo serelepe. Patada aqui, patada ali, a abelha, tenta subir mas Harry praticamente abraçou a abelha pra ela não fugir. Foi tudo muito rápido. Quando eu pensei: “ela vai pica-lo!”, tarde demais. Vem Harry dando pinotes, com o olho fechado e passando freneticamente a para direita na cara, em total desespero, com miaus de dor (“não sei por que”, mas lembrei da minha noite do marimbondo… aff!). Na hora deu paniquinho, mas depois achei que ele saberia lidar bem com isso, afinal, uma picada de uma abelha só não o mataria, e além disso, seria bom pra ele aprender que brincar com aquele brinquedinho dói! Peguei-o no colo e olhei. Mas nada estava aparente. Agora, algumas horas depois, ele já não parece sentir nada. Ele está ótimo, e crescendo rápido demais. Logo vai ficar preguiçoso e inerte. =(

E hoje fazem 6 anos que pappy se foi. O dia está lindo, e é um dia especial. Deveríamos estar tristes, mas estamos felizes. Meu irmão, que passou a vida inteira pagando aluguel, mudou hoje para sua casa própria, que ele está construindo ainda. Ver meu irmão em sua casa própria era tudo o que meu pai mais queria ter visto em vida. E espero que meu pai esteja satisfeito por ver nossa felicidade em um dia em que “deveríamos” estar tristes.

Ter a casa própria é o sonho de muita gente. Muitas vezes só se consegue isso com muito sacrifício. Mas uma vez que se consiga, só o fato de parar de pagar aluguel já alivia bastante qualquer sacrifício, já que aluguel é um dinheiro que “vai para o ralo”, mas que é bem empregado depois que se muda para a casa própria. Meu irmão contraiu muitas dívidas, mas se Deus quiser vai conseguir quitar tudo direitinho e ainda vai poder ir para Orlando comigo e Gabs ano que vem. Esse “milagre” (de ter a casa própria), depois de 48 anos, me faz “ouvir” coros de anjos.

Por falar em coro de anjos, eu estava lembrando da Sô falando sobre canto gregoriano. Eu adoro! Estava há pouco ouvindo uma música da Lorena McKennit, alguém conhece? As músicas dela têm um ar de mistério, e me lembram muito o canto gregoriano. Adoro!

Vou nessa porque vou para a aulita.

Bjs

Adri =)))

Comprinhas cariocas

Hola!

Como estão?

Como vocês já devem saber, eu vim para a casa do meu pai no RJ, passar o feriado. Minha madrasta e meu irmão estavam morrendo de saudade também, e os coitados mal sabiam o que estava por vir. Assim que cheguei, tratei de dizer que faria pra gente um jantar com aquele famoso risoto funghi com filé da KK. O esmalte que eu usava (o Layla magnético) chamou a atenção da tia (como chamo minha madrasta, Rosana) que não conhecia os tais magnéticos. Perguntei pra ela se não conhecia os holográficos, multichromes… Disse que não sabia o que eram, então… já era! Que Nossa Senhora das Esmaltaradas a tenha, pois foi mais uma alma vendida para o mundo esmaltarádico.

No dia seguinte nós (eu e minha madrasta) fomos comprar os ingredientes para o risoto, mas também tínhamos que passar num lugar pra pegar os exames dela, e eu, como uma boa esmaltarada, estava com meu “radar” ligado, e avistei uma loja de cosméticos. Quis loucamente entrar para ver quais marcas encontrávamos. Na volta do tal lugar, entramos na loja que é a Rio Bel, aqui na Taquara (vocês já devem ter visto a foto das prateleiras no post anterior). Meninas, eu literalmente CAKAY quando vi aquele montaréu de esmaltes. Meu queixo foi na chón e meus olhinhos devem ter ofuscado a vista das clientes que por lá passavam, de tanto que brilhavam. Me senti como o Scrat (da Era do Gelo – a velha historinha do céu de avelãs). Acho que podemos criar um termo novo para esses sentimentos de felicidade e empolgação do Scrat. Eu “Scratei”. A primeira marca na qual bati o olho foi a Big Universo. Logo em seguida Dote, 5Cinco, Sancion Devil Angel, Beauty Color, Passe Nati, Ludurana e, é claro, nosso trio maravilha, que não podia faltar, Risqué, Impala, Colorama (o trio RIC). A tia ficou toda empolgada com as cores RIC, me mostrava tudo que ela via de novo (aliás, tudo era novo pra ela, creio eu rsrs), e eu, não ligando muito para o que ela me mostrava (já estou cansada de ver RIC por ai!), coitada, estava prestando atenção mesmo era nos Big Universo, marca que nunca tinha visto em lugar nenhum, além da internet. Ficamos na loja cerca de uma hora; reviramos tudo lá, e cada coisa linda que a tia encontrava já jogava na cestinha de compras. Coitada, a levei para o mau caminho, e logo de cara, na primeira compra de esmaltes dela, gastou 50 reais com 8 vidrinhos de esmalte, removedor de cutículas da 5Cinco, palitos para fazer as unhas e uma lixinha Magic Shine da Fingers’ (não pude resistir e contaminá-la nisso também, viu Nina! hehe). Nesse dia, eu passei a mão em 12 esmaltes, e como já estava ficando tarde (e ainda tínhamos que ir no mercado!), fomos embora. Chegando no mercado, a outra já estava dizendo que queria voltar na Rio Bel pra fuxicar as outras cores que não tinha visto, e que faríamos isso no dia seguinte.

Lá no mercado, pegamos os ingredientes do risoto e quando vi o “Meu Frango Assado”, da Knorr (já comentado aqui no blog em algum lugar) disse a ela que eles deveriam experimentar o tempero para fazer o frango não, pra fazer peixe!. Já cheguei influenciando-a usar o tal tempero também… E ainda comentei sobre o “Meu Arroz”, que ela tratou de passar a mão em uma caixinha para experimentar, também. Chegando em casa, apreciamos nossas comprinhas,  fiz o risoto (que ficou uma delíííííícia!) e fomos dormir parecendo sucuris depois de comer um bezerro, de tanto que comemos. Ontem, domingo, fui com meu pai e meu irmão visitar meus avós no sítio, e o comércio também estava fechado, então não pudemos ir à Rio Bel novamente. À noite, minhas inspirações de Chef continuaram, e fiz carne ao molho madeira com purê, arroz e feijão. Também ficou maravilhoso, e segundo meu meio-irmão, eu não posso mais voltar pra casa, pois ele quer comer essas iguarias sempre!

Quando foi hoje de manhã, o dia estava frio, nublado e já havia chovido um bocado mais cedo. Mesmo assim, resolvemos sair, determinadas a passar em todas as lojas e farmácias que encontrássemos no meio do caminho até a Rio Bel, para averiguar as marcas e cores de esmaltes, heheheh. Saímos por volta das 11h da manhã rumo ao nosso destino. Entramos nem 4 lojas antes da Rio Bel, mas só encontrávamos mais do mesmo: RIC. Chegamos então na nossa lojinha de cosméticos, e fomos à caça! Pegamos cerca de 10 esmaltes, pagamos, e quando saímos da loja,  estava choveeeendo, mas chovia muuuuuito! Aproveitamos para ir na loja ao lado (que também tinha esmalte! – comprei um lá!) e tentamos comprar um guarda-chuva, mas como a fila estava imensa, desistimos… Saímos, na chuva mesmo, e fomos para a padaria comprar nosso almoço: frango assado *-*. Na frente da padaria tinha um cara vendendo guarda-chuvas por 10 pratas. Passamos a mão em um, agarramos o frango assado e partimos para o mercado (novamente, resolvi dar uma de Chef, e inventei de fazer farofa e carne moída com a receita da minha avó), lá compramos as folhas e temperos necessários pra fazer a orgia gastronômica, e ainda tínhamos uns 4 ou 5  quarteirões para percorrer antes de chegar em casa. A Rosana queria pegar um taxi pra casa, mas eu não estava com saco de ficar esperando as duas pessoas que estavam na nossa frente, e disse “vamos voltar a pé mesmo, é tão perto!”. Pra quê! Consegui convencê-la, e saímos do mercado, as duas espremidas debaixo do guarda-chuva; eu molhando meu ombro esquerdo e ela molhando seu ombro direito. Passamos por cada poça no meio do caminho! E eu estava de rasteirinha; a chuva apertava, e ventava também, de modo que, com o peso das sacolas de mercado no meu antebraço, eu não conseguia manter o cabo do guarda-chuva firme. O resultado foi que de 30 em 30 segundos o negócio batia na minha cabeça ou na cabeça dela, e foi assim durante dois longos quarteirões, que não terminavam nunca, até que, já que estava ficando molhada e sendo atacada pelo guarda-chuva mesmo,  ela optou por andar na chuva mesmo, e não ser mais vítima do ataque.

E lá foi ela na chuva; disparou na frente. Levava com ela a bolsa de mão (que ela tinha levado vazia pra encher com os esmaltes), e duas sacolas de mercado. Eu estava segurando coisas mais pesadas, e comecei a “lerdar” o passo. A perdi de vista, mas já tínhamos entrado no condomínio, e continuei seguindo. Estava tudo muito pesado, eu estava cansada e minhas costas começaram a doer. Assim que entrei no prédio, larguei tudo no primeiro degrau da escada. Olhei para o guarda-chuva, olhei para os dois lances de escada que eu teria que subir, e tive a brilhante ideia de colocar todas as sacolas penduradas no cabo do guarda-chuva! E lá fui eu subindo as escadas, contente pela minha astúcia! Quando cheguei na porta para tocar a campainha, vi tudo indo pro chão. Caiu tudo, e só restou meio cabo de guarda-chuva na minha mão. Aff! O guarda-chuva carésimo de 10 pratas foi pro espaço. Antes tivéssemos voltado de táxi!

Depois dessa aventura toda, já eram 14:25 h quando chegamos e fizemos nosso almoço. O resultado das minhas compras nesse feriado foi esse:

Estou louca para passar todos e fazer reloginhos. Gostaram das cores? Eu amay todas! É isso então galera! Begos :B

Gabi “Mary”

Nail Art de Vida Curtíssima

Estou arrasada. Estava totalmente inspirada para fazer uma nail art hoje, e fiz, toda contente. Quando estava tirando as fotos, ouvi um barulinho estranho e quando olhei pra trás, percebi que aquele indigente verde estava jantando o headphone do meu iPhone. Gente, quase matei o desgraçado LITERALMENTE. Se por um instante eu não tivesse lembrado que num rompante de ódio a gente comete loucuras das quais nos arrependemos depois, eu teria matado o desgraçado. E meu iPhone está com problema. Eu só consigo ouvir música nele ou falar no Skype usando o headphone. Então vocês imaginam a raiva que eu senti na hora do flagra, né?

Na hora do quase papagaiocídio, eu borroquei toda a minha nail art, e só deu pra salvar as fotos que eu já tinha tirado. Espero que sejam suficientes para vocês conseguirem ver o que teria ficado lindo nas minhas mãos por algum tempo. Depois de todo o trabalho que eu tive, pintando quase à moda americana, para não usar palito, já que pintar com preto é um desastre, e ainda fazendo todo o resto a mão, eu não iria DE JEITO NENHUM fazer tudo de novo. Eu só tinha pintado a mão esquerda para poder fazer logo o post, e pintaria a direita depois. Então, agora, só me resta tirar tudo e olhar as fotos, sentindo pena.

Não foi difícil fazer. Só precisei de um pincel para nail art (fino e curto), instrumentos de fazer bolinhas e os esmaltes: Preto (serve qualquer um), Cool (Hits), 520 (Ozotic), Prism Navy (Peripera) e Dourado (Fine Hits).

O 520 pode ser substituído pelo Sex Appeal (Impala) e o Prism Navy pode ser substituído pelo Dreamer ou Artsy (Hits), apesar de esses não terem o mesmo tom de azul do Peripera. Poderia até ser o Balada da Passe Nati, ou quem tiver, o Gorgeous, da Sinful Colors.

Comecei pintando as unhas de preto, com cuidado para não esbarrar nas cutículas, porque depois que a gente limpa esmalte preto das cutículas, por mais que a gente esfregue ainda ficam manchas feias na pele. Depois, com o pincel de nail art, eu fiz as gotas usando o Cool, como está na foto abaixo.

Depois, ainda usando o mesmo pincel, eu fiz bolas maiores na parte de baixo das gotas. Usando um dos instrumentos de pintar bolinhas, fiz bolinhas menores usando o 520 e depois menores ainda usando o dourado. Nem passei top coat desta vez. Até porque não deu nem tempo, aff.

Quem ainda não sabe, esses instrumentos de fazer bolinhas podem ser comprados no Brechó da KK.

Bem, meninas, é isso aí. Confesso que não estou inspirada agora, depois do estresse demasiado por que passei há pouco. Desculpem a falta de educação, mas sairei à francesa.

Beijos!

Adri =(((

Pimenta – Ana Hickmann, e Excellence -Eliana Super Pérola

Holla chicas!

Preparadas pra mani natalina? Lembram que eu disse que ia mostrar uma combinação com o Excellence? Então, na verdade a cor pode ser qualquer uma, desde que o esmalte seja do tipo transparente. Eu escolhi o vermelho por transmitir mais a ideia de Natal, mas fica a dica pra testar com outras cores. Já usei essa técnica com o Azul Hortência da Risqué e ficou lindo também. O negócio é experimentar mesmo. Outra dica importante: o esmalte prata tem que ser desses cromados, bem escandalosos, para o efeito ficar mais legal. Esmaltes pratas “comuns” não ficam tão bonitos, porque não brilham tanto e não passam a mesma ideia de “profundidade” que o cromado dá ao esmalte que passamos por cima.

Vocês sabem que vermelho não é minha cor favorita, mas essa combinação mexeu comigo hehe, pois fica realmente diferente. Parece uma bolinha de natal. Taí uma boa definição… pensem no brilho lindo das bolinhas de natal. Pensaram? Agora imaginem exatamente isso nas unhas de vocês. Pronto, é assim que fica. As fotos não mostram toda a profundidade da cor, mas se vocês conseguiram mentalizar a bolinha de natal vão ter a noção exata do resultado final dessa mani nas unhas.

Eu suspeito que a Day vai ter um chilique com esse post…

As fotos acima foram feitas na luz natural, sem flash. Nessa abaixo eu usei o flash pra vocês terem uma ideia de como ele fica no sol. Essa “mancha” alaranjada não corresponde à realidade. É que o brilho é tanto que a minha câmera ficou louca e não soube o que captar. O esmalte é vermelho e apenas vermelho.

E o vidrinho desse esmalte, que não é novo e que, apesar de transparente, fecha com duas camadas quando usado puro. É do início do meu vício. Pras amantes da cor, recomendo.

(Puxa Nina, que sorte você deu, seu AH não foi roubado no excesso de vidro! Adri)

Besitos,
Nina

Excellence – Eliana Super Pérola

Oi gurias!

Já estão contando os dias pras festividades de final de ano? Eu andei me “contagiando” com o clima das festas e a mani de hoje é uma sugestão para o Ano Novo (é, vou começar com a ordem invertida).

Não sei se vocês acham esmalte prata uma ideia muito “batida” pro Ano Novo, mas eu acho lindo. Muito provavelmente eu usarei um esmalte prateado, só me falta decidir com que tipo de acabamento: cromado, holográfico, metálico, fosco… quem sabe até mesmo um nail foil.

O primeiro prata que resolvi testar é o Excellence da Eliana Super Pérola, um prata cromado que brilha tanto que chega a doer os olhos hehe. Ele tem umas nano partículas que são meio chatinhas na hora de limpar o esmalte porque elas grudam na pele de um jeito tal que só vendo… mas ele não é glitter não. A textura depois de seco é super lisinha e não há necessidade de usar top coat. Ele fecha bem com duas camadinhas.

Pra começar, uma foto dele no sol. A foto não faz jus ao tanto que ele brilha. Acreditem em mim, no sol os olhos ardem ao olhar pras unhas auahauhauh

Mas na sombra ele também é cacante:

É ou não lindíssimo? Acho super digno pra virada do ano.

Se vocês encontrarem um vidrinho desse dando sopa na lojinha, se joguem. Vale muito a pena. E depois eu vou mostrar pra vocês uma combinação cacantésima que dá pra fazer com ele.

Beijos,
Nina