Metallic Green e Prism Navy – Peripera

Prism Navy e Metallic Green

Resolvi usar finalmente o famoso esmalte de gatinho que tanto a KK falava. Só não sabia qual dos dois usar primeiro. Então, acabei fazendo das minhas loucuras de sempre, e coloquei uma cor em cada mão, e para criar uma ligação entre os dois, pensei em carimbar uma cor com a outra. Já vou explicar…
Primeiro apliquei o Metallic Green P027. Não achei ele tão espesso assim. Precisei passar duas camadas para ficar opaco. O pincel é realmente muito bom. Ele é achatato e com cerdas longas. Ele abre bem na hora de aplicar, espalhando bem o esmalte. Muito bom mesmo.

Pincel Peripera

Metallic Green

Metallic Green P027

Vocês conseguem observar o azul nesse verde? Esse esmalte, por incrível que pareça é policromático. Ele oscila entre o verde abacate (amarelado) e o teal (verde-azulado). Só que a TAPADA aqui, não tirou foto das mutações coloridas do esmalte (se é que a dona câmera iria ajudar…). Contentem-se somente com aquele “cheiro” de azul que tem no dedo indicador da foto de cima.

Depois pintei a outra mão com o Prism Navy P019. Esse sim tem uma consistência mais encorpada, e se eu tivesse sido mais generosa na quantidade de esmalte no pincel eu não precisaria ter passado duas camadas como eu fiz, porque estando o pincel quase seco, nao ficou uma cobertura lisa (ficou a marca das cerdas), então tive que aplicar outra camada.

Prism Navy

Prism Navy P019

Depois veio a coisa ruim… Eu cometi um atentado contra esses esmaltes lindos. Principalmente contra o Metallic Green, porque, embora eu deteste verde, por esse verde eu fiquei totalmente IN LOVE. O cintilante dele é de um poder hipnótico indescritível. Parece granulado. É xilicante, um espetáculo de admirar!

Já o Prism Navy, embora seja uma cor linda, eu achei muito parecido com o YODEL ME ON MY CELL da OPI e mais ainda com o DIVE BAR da ESSIE. Porém, o Peripera parece ter um pouquinho mais de brilho verde. Se olhar os 3 juntos de longe, parecem idênticos. Só na mão e pertinho a gente vê a diferença.

Prism Navy x Dive Bar x Yodel Me on My Cell

Agora, o atentado. Eu resolvi carimbar esses esmaltes cacantes. Usei uma cor sobre a outra para dar contraste. Embora tenha ficado interessante, acho que se eu tivesse escolhido outra estampa teria ficado melhor. Agora a Inês é morta! Usei o carimbo BM-202 da Bundle Monster.

Carimbo com BM 202

Melhor mesmo seria não ter carimbado o Metallic Green, porque toda a sua formosura foi pro brejo com esse carimbo. Vai haver controvérsia. Umas vão gostar, outras odiar. Eu estou em cima do muro pendendo pro arrependimento, por causa do verde. O grande problema mesmo é saber que sabe Deus quando vou colocar o Metallic Green de novo, já que a FILA TEM QUE ANDAR, com quase 500 esmaltes se acotovelando no meu escritório. Por falar nisso, ontem, na casa de uma amiga, fiquei até meio envergonhada, porque Dona Mary, sem papas na língua, no meio de uma conversa falou na frente de todo mundo que daqui a pouco terei que pedir licença pros esmaltes pra entar no meu escritório. Todos se entreolharam meio sem entender aquela colocação dela. Mas graças a Deus não perguntaram a quantos esmaltes ela estava se referindo, senão iriam chamar o manicômio na mesma hora e me mandar internar. Sabe como é; quando a pessoa não liga pra esmalte, acha que a gente é doida de ter tantos esmaltes. A minha desculpa, pelo menos, é que eu tenho um blog de esmalte, e preciso de “combustível para alimentá-lo”, rsrsrsrsrsrs. Verdade seja dita: saco vazio não para em pé!

Bem, vocês já sabem onde encontrar os Peripera: no Brechó da KK. Ela já fez um novo pedido de Periperas, e desta vez com mais cores. Os que ela comprou foram poucos, e se foram num piscar de olhos. Tem só alguns pra contar a história. Fiquem de olho que em breve as cores novas estarão disponíveis.
Bjus
Adri =)))

Fascinante – Ludurana

Ozotic Pro - 520

Ops, esmalte errado??? Mais ou menos. Coloquei o Ozotic aqui para vocês observarem a diferença que há entre ele e o Fascinante da Ludurana.

Fascinante - Ludurana

Conseguiram ver a diferença? O vermelho do Ozotic é mais cor de fogo, femme fatale mais chegay. O da Ludurana é mais puxado pro vinho e mais comportadinho, sendo ainda que tem determinadas posições e níveis de luminosidade que o fazem ficar roxo e até mesmo esverdeado, como vocês podem observar na foto abaixo. Conseguem ver o verdinho discreto?

No vidro a gente consegue ver melhor as outras cores “escondidas”, mas no vidro não interessa né? Na unha é que importa. Mas ô troço difícil de pegar na câmera, viu (as outras cores)?Tentei de todo jeito. Quase plantei bananeira, e nada! Por fim, desisti.

O que eu gostei mesmo nesse esmalte foi o perfuminho. pena que já no segundo dia ele já estava se fingindo de morto. Mas deu pra aproveitar o primeiro dia, pelo menos, rsrsrsrsrs. O problema era ficar cheirando as unhas. A coisa era sinistra!

Fascinante - Ludurana

Esse foi o segundo esmalte da linha de policromáticos da Ludurana que postamos aqui. O primeiro foi o Reluz.

Os Luduranas custam mais caro que os esmaltes comuns. Já vi custar 18 reais por aí. Mas no Brechó da KK você encontra eles por 11,90. Que diferença, não é? Aproveitem que ela recebeu uma remessa nova anteontem! Compre a coleção inteira que você vai gostar, se quer um esmalte nacional diferente e bonito.

Como sempre, eu dei um toque diferente ao polegar. Peguei a plaquinha Bundle Monster BM 209 e carimbei usando o esmalte perolado forte dourado da Hits, 351, e dei o toque final colocando um cristal Swarovski de 1,5mm cor Light Colorado Topaz. A KK comprou desses cristais, só não chegaram ainda. Mas esperem que breve, breve ela vai divulgar e colocar no site dela.

Bundle Monster 209 - Hits 351 - Swarovski 1,5mm Light Colorado Topaz

Eu queria um carimbo em que desse pra “encaixar” o cristal. E achei esse com bolinhas que serviu como uma luva, pois o cristal é do tamanho exato da bolinha do carimbo. Ficou super charmoso! O legal, que eu já comentei aqui, é que se você cuidar direitinho do cristal na unha, dá pra aproveitar ele depois. Ele sai facilmente com acetona e mantém seu brilho sensacional, já que é um cristal de verdade, com pedigree Swarovski. Lavou, ta novo!

Por falar em pedigree, na seção BOBEIRINHAS FAMILIARES de hoje, eu declaro que quase cometi um papagaiocídio hoje. Acordei de manhã, desci e quando cheguei lá em baixo, me deparei com a coisa verde, felicíssimo, detonando tudo o que encontrou em cima da mesa. Olhem o estrago que esse indigente fez!

Esse é um minitênis que é um chaveiro, e Mary leva pendurado na mochila da escola dela. Esse foi o aperitivo.

De entrada, o macaco da mochila. Os pés e o dedão que o macaco põe na boca dançaram. Agora Mary tem um macaco mutilado.

De prato principal, ele escolheu a mochila. Ele tirou a borracha que fica em volta do puxador do zíper, e resolveu degustar os dentes do zíper também.

De sobremesa, ele começou a tirar a borracha do zíper da minha bolsa (também da Kipling), mas conseguiu deixar algo inteiro.

Eu surtei quando vi a cena. Ele me viu, e, sabendo que tinha feito A CACA, já saiu voando pra tentar poupar as penas do rabo, porque sabia que eu ia ficar enfurecida com ele. E o pior é que o bandido sabe quando tá fazendo o que não deve! Dá vontade de estrangular o desgramado. Mas bem feito pra nós duas. Nós estamos ROXAS de saber que ele faz isso, e ainda assim deixamos coisas em cima da mesa.

Um dia o peguei degustando a alça de couro da minha bolsa Victor Hugo. A sorte é que eu o peguei no começo do ato ilícito. De castigo, passei uma fita adesiva em volta do bico e deixei uns 10 minutos. No começo ele ficou desesperado pra tirar a fita. Mas, do meio do tempo em diante ele se conformou, desistiu de tirar a fita, e ficou com ela no bico sem fazer nada. rsrsrsrsrsrs

Esse é o segundo papagaio que eu encontro na rua. Acho que Deus queria muito me dar um. O primeiro eu achei no meio da minha rua, no asfalto. Eu estava dirigindo quando o avistei. Saí do carro, o peguei e fiquei com ele (mansinho), na minha mão me perguntando o que fazer com ele. Na hora passou uma amiga minha e eu perguntei se ela queria. Ela acabou ficando com ele.

Anos depois, esse meu chegou voando à minha casa. Quando olhei, estava ele pousado na árvore. O peguei e fiz a mesma coisa: fiquei com cara de paisagem pensando o que eu ia fazer com MAIS UM papagaio. Fiquei com ele uns dias, na esperança de ver algum cartaz “Procura-se um papagaio” pregado em alguma árvore ou poste, mas isso nunca aconteceu. Quando eu já estava decidida a entregar a coisa verde pros “responsáveis”, ele começou a cantar “Atirei o Pau no Gato”. Na mesma hora eu entrei em pânico. Como podia me desfazer de um bicho tão prendado? Ele adora visitas. Quando chega alguém aqui em casa ele se joga em cima e nem quer mais voltar pra mim. Vai direto pro ombro da pessoa, abre o rabo em leque e fica todo saliente e falador.

Eu tenho muita pena de quem criou ele, pois criou com muito amor e carinho, para ele ser tão manso e amigo. Eu nunca vi um papagaio assim. Geralmente eles bicam de arrancar pedaço. Tenho certeza que quem o perdeu deve sentir ainda muita dor no coração e chorar até hoje. Sinto muito por essa pessoa. Se ao menos eu pudesse dizer que ele está bem… O que importa é que ele vive solto e faz o que bem entende (isso vocês não têm dúvidas, né???).

Um dia ele voou e foi parar lá na lagoa. Quase morri aquele dia, pois aqui na lagoa tem cobronas enormes (jiboias de 2 metros). Ele seria somente um aperitivo para elas. No dia chovia, e eu fui lá pro meio daquela aguinha “cheirosa” atras dele, e não enxergava nada por causa do mato alto. Maridón e Mary foram me ajudar a procurar. Eu gritava por ele e a chuva nada de dar uma trégua. Eu afundava naquela lama fedorenta, mas eu “paniquei” tanto com a ideia de ele virar jantar de cobra que nem estava ligando pro fedor ou com a possibilidade de pegar uma doença. Na verdade, na hora do desespero a gente não pensa em nada, não é mesmo?

Por fim, ele voou até perto de mim. Estava ensopado por causa da chuva. E eu não conseguia ve-lo por causa do mato. Mas Gabi gritou dizendo onde ele estava, e quando fui pega-lo, o retardado voou. Quase larguei o paspalho lá pras jiboias comerem. Enfim, com muito sacrifício de andar no meio daquele mato e lama no fundo da água, cheguei perto dele de novo e consegui pegar. Fiquei com taquicardia uns 30 minutos depois disso. Eu juro que foi a primeira vez na vida que pensei que iria morrer.

Quando cheguei em casa, fui correndo tomar um banho e passar álcool no corpo inteiro. Aquela lagoinha deve ter mais bactérias do que uma central de tratamento de esgoto (já que lá desagua esgoto). Tive que deitar pra tentar me recuperar da pior aventura que passei nos últimos anos.

Essa foi uma situação que nunca mais me esqueci, e jamais esquecerei. O dia em que quase morri por causa da coisa verde que detona nossas coisas. Afff

Bem meninas, espero que vocês tenham um ótimo fim de semana. Este findi a KK está em Florianópolis, no encontrinho. Espero que ela faça muitas vendas. Na terça-feira irei encontrá-la na casa dela para ajudá-la a terminar de organizar o estoque.

Bjs
Adri =)))

Plaquinhas Bundle Monster



Quem não ficaria louca com isso? Mesmo as que não são muito chegadas ou as que têm preguiça, acabam cacando com tanta placa e com tantos desenhos super legais. Dá para a gente criar uma infinidade de combinações super maneiras. É claro, que carimbar requer prática e materiais de qualidade. Eu sempre li em tudo quanto é post sobre os kits de plaquinhas Bundle Monster que você será premiada com pelo menos uma plaquinha “que poderia ser mais bem acabada”. Mas, considerando que em cada placa tem 6 desenhos, unzinho com defeito não será nada gritante demais, em um kit com tantas placas. No meu caso, eu comprei por USD26, na Amazon.com, o kit de Bundle Monster com 25 plaquinhas. Comprei no dia 22 de setembro, e chegou hoje, dia 20 de outubro, portanto, quase um mês certinho. Eu achei que uma veio com um defeitículo ridículo, mas Mary insiste que está normal. Bem, levando em conta que ela enxerga melhor que eu, eu vou acreditar. Mesmo assim, seria um desenhinho no meio de 150 desenhos. Isso não é nada gritante, é?
Para quem morre de curiosidade de conhecer todos os desenhos das BM, mas tem preguiça de catar na net todas as referências, eu entrego a vocês aqui, mastigadinho, fotinhas do kit inteiro de 25 placas BM. Basta clicar em cada placa que ela será ampliada para você ver com mais detalhes. Divirtam-se!!!


Comprei recentemente duas placonas DASHICA, holandesas. É claro que não chegaram ainda, mas assim que chegarem tirarei fotos dignas (como diz a Nina), para vocês verem que espetáculo são os desenhos.
Quem não era muito chegada a carimbos, aposto que vai agora pensar duas vezes… rsrsrsrrs

E na seção Bobeirinhas Familiares de hoje, apresento a vocês os dotes culinários da Gabs. Pão de Queijo Africano! rsrsrsrsrs Ela estava acostumada com o forno “cágado tetraplégico” que tínhamos na cozinha antiga, e, achando que o forno novo levaria o mesmo tempo que o antigo, esqueceu-se da vida, como fazia antes. O resultado é isso que vocês podem ver.

Mesmo brozeados como quem torrou no sol de Aruba durante todo o verão, Mary caiu dentro das pedras dos pães de queijo. Estão servidas????
Bjs
Adri =)))