Eva – Impala

Bom dia pessoal!

Não acho que essa cor de esmalte combine com cotoquettes, mas aí vai: EVA, da nova coleção de inverno da Isis Valverde, da Impala.

Eva - Impala

Ele é um marronzinho, cor de caramelo, com microbrilhinhos prateados, que ficam bem visíveis.

Nesta mani eu passei uma camada normal, e a segunda caprichei um pouquinho mais, e assim cobriu à satisfação. Porque fiz caca, duas das unhas estão com top coat, e duas não. Não vi nenhuma diferença no brilho, que é excelente.

*** ESTE ESMALTE É 3 FREE ***

Eva - Impala2

Já mencionei aqui em posts dos outros esmaltes da coleção o quanto estou  surpresa com a melhora da qualidade dos Impala, principalmente pelo fato de agora serem hipoalergênicos.

As cores desta coleção, embora não sejam nenhuma novidade, são cores que se encaixam bem na proposta de coleção de inverno, sendo cores “tradicionais” – algumas com um toque especial de microglitter - e que eu considero como sendo cores elegantes.

Eva - Impala3

Ainda tenho 3 cores da coleção para mostrar, o que farei em breve.

Por ora, ficarei curtindo minha dor de cotovelo, porque a menina que ia trazer o relógio de Londres para mim amarelou, e eu vou ter que começar o processo todo de novo, pedindo que me enviem pelo correio, rezando para que não me tributem o relógio, que já tinha 3 anos de uso. De qualquer maneira, já vou dar o relógio como perdido, porque se ele realmente se perder, já terei me conformado; simples assim!

Aliás, isso puxa um assunto bastante polêmico, que discuti ontem com minha mãe. Meu irmão vai vender a casa onde ela mora (que é dele), de forma que ela virá morar comigo. Só que ela está desesperada por causa dos móveis que tem, dos quais não quer se desfazer, já que na minha casa não tem lugar para eles. Eu briguei com ela, porque ela não pode se apegar tanto assim a coisas materiais. Pra vocês verem o nível de apego, minha mãe está numa fase em que quer guardar até caixinha de isopor de sanduíche usada!

Trazer os móveis, além de custar caro, já que a casa dela fica a mais de 300 km de distância da minha, não combinaria com nada na minha casa. Alguns móveis são móveis bastante antigos, de madeira-de-lei (jacarandá, preto) e mármore raro, cor-de-rosa, e que ela poderia ganhar um troquinho bom vendendo em algum brechó especializado em móveis antigos BONS. Ela, assim como eu e todas vocês, não vai precisar dos móveis quando morrer, então temos mesmo que ter desapego de coisas materiais. Ela deveria aproveitar o dinheiro dos móveis para passear, talvez, e curtir o tanto de vida que ainda tem.

Desta vida nada levamos, exceto as coisas boas que deixamos para trás, como a boa educação de um filho, para que ele possa ser uma pessoa melhor no futuro, e as boas ações, tornando melhor a vida de algumas pessoas pelas caridades que fazemos enquanto em vida. Mas debaixo de sete palmos, nosso corpo é só uma carcaça de carne e osso, como são os animais que comemos todos os dias.

Eu já fui uma pessoa apegada demais às minhas coisas materiais, mas a convivência com pessoas demasiadamente materialistas nos últimos anos se encarregou de me mostrar que coisas materiais não são essenciais para vivermos, como é o amor, a paz interior e a felicidade. Não amor de homem-mulher, mas AMOR DE SER HUMANO. O amor traz coisas boas, bons gestos, bons pensamentos, boas relações, bons sentimentos. 

Eu gosto de coisas materiais, claro, como todo mundo, mas não morro, não fico doente e nem fico dias sem comer se eu as perder, ou se estragarem, ou se me roubarem. Essas coisas fazem parte da vida, e assim como precisamos nos conformar com nossos entes queridos que se vão, temos que nos conformar com as coisas materiais e substituíveis que adquirimos na nossa vida, e que perdemos por alguma razão.

Para ilustrar melhor o que quero dizer, vou citar como exemplo a minha bolsa Louis Vuitton nova, que como todas sabem custa uma pequena fortuna. Ela é clarinha, forrada de tecido igualmente claro, cor de marfim. Na viagem de volta para o braseeeel, o copo de suco de laranja todinho entornou dentro da bolsa no avião. Eu peguei uma toalhinha que sempre carrego, sequei, mas ficou manchada de amarelo. Foi um acidente, PONTO. 

Já aqui no braseeel, eu deixei cair gordura de queijo derretido no tecido interno da bolsa, e não morri, não esperneei e nem fiquei arrasada. Limpei e segui adiante com minha vida, levando comigo minha bolsinha phyna, funcional e manchada para todo lugar. Tudo isso faz parte de USAR a bolsa.

O falecido quase morria quando aparecia um arranhão ou algum amassadinho no carro. Eu dizia pra ele: SE NÃO QUER QUE NADA ACONTEÇA AO CARRO, DEIXE NA GARAGEM OU VENDA E FIQUE SEM CARRO! Determinadas coisas não podem ser evitadas, assim como a morte. Eu me aporrinhei TANTO com o materialismo do falecido, que no fundo tenho que agradecer a ele, porque foi seu materialismo que me fez deixar de ser materialista. Perdemos MUITO tempo valioso da nossa vida ficando tristes porque algo ruim aconteceu a algo material nosso. Nos últimos poucos anos tenho valorizado demais a paz interior, e ignorar coisas superficiais que não afetam minha vida (efetivamente) foi uma das melhores coisas que eu fiz para ser premiada com minha paz interior.

Então, a moral da dissertação de hoje é: VIVA COM COISAS MATERIAIS, MAS NÃO MORRA POR ELAS!

Beijos em todas!

Adri :D

 

Blueberry Blast – Misa

BOM DIA MENINAAAAAAS!

Hoje acordei beeeem animada, apesar do dia chuvoso e chatinho. Mas já começou bem porque está fresquinho, e eu odeio calor!

O esmalte de hoje andava rolando pela minha mesa havia dias, sempre procurando uma oportunidadezinha de usar. E ontem ele não me escapou. BLUEBERRY BLAST, da Misa.

Blueberry Blast - Misa3

O Blueberry tem uma ótima cobertura. Se passar uma “arrumada” nem precisa de duas. Mas com medo de bolinhas, passei duas camadas normais, e ficou show!

Blueberry Blast - Misa2

Finalizei com o Seche Vite nosso de cada dia.

Blueberry Blast - Misa

A Misa tem uns esmaltinhos que são show de cobertura. Outros nem tanto, mas alguns são espetaculares. O Blueberry é um exemplo de perfeição. Se bobear, até pra carimbar serve! Custa 18 realitos na Esmalteria da KK, e tem maravilhosos 15 ml!

E ontem fui jantar no meu restaurante preferido com Gabi e uma amiga minha (que chamarei de Cristina, protegendo sua identidade) que estava arrasada e precisava conversar com alguém para desabafar.

Há alguns anos o pai dela vinha traindo a mãe com outra ou outras mulheres, não sei ao certo. Mas chegou num estágio tal que a mãe dela pediu separação e ficou arrasada com isso. Coincidentemente, eles se separaram na mesma época que eu. Estes 2-3 anos se passaram, e segundo a mãe dela me contou, ele vivia pedindo pra voltar, e dizia que não queria. Mas recentemente soube que ela o aceitou de volta, o que deixou toda a família irada, com exceção da Cristina, que queria ver a mãe feliz, e finalmente estava vendo isso, com o retorno do pai ao lar.

Cristina sempre foi a defensora do pai, visto que ela nunca tinha tido provas concretas da traição dele, e isso chegou a causar muitas brigas entre ela e a mãe. Porém, um dia a porca torce o rabo, e esse dia chegou ontem.

Ela me contou que estava em casa com o pai, e a mãe havia viajado para visitar a irmã em outra cidade. Ela acordou cedo para fazer café para o pai, o que não costumava fazer, e de repente ouviu o pai falando ao telefone com alguém, que ela pensava ser a mãe dela. Num dado momento, ele disse que “também estava com saudades”, e mencionou que não poderia ir à cidade onde a pessoa morava antes de resolver uns assuntos, e foi então que ela ficou com as orelhas em pé, ouvindo toda a conversa pela porta entreaberta do quarto da mãe, onde ele estava deitado na cama. Quando ele desligou o telefone, encerrando mandando um beijo para a pessoa, Cristina abriu a porta enquanto o pai futucava o telefone, certamente para apagar o registro da chamada, surpreendido com a invasão repentina. Furiosa, Cristina perguntou com quem ele estava falando, e ele tentando desajeitadamente e nervosamente apagar tudo no telefone, disse que estava falando com o capataz da fazenda dele. Enquanto arrancava o telefone da mão dele, Cristina disse que não se dizia que “estava com saudades” do capataz da fazenda e nem se mandava beijo para ele, enquanto olhava o número que o pai não conseguiu apagar. Foi então que ela ligou para o número, e a mulher do outro lado atendeu alegremente, pensando que era ele ligando de volta. Cristina, então, perguntou quem era a pessoa do outro lado da linha, e a mulher, depois de alguns segundos muda, resolveu dizer seu nome, e perguntou quem falava ao telefone com ela. Foi então que Cristina disse que era a filha do amante dela, e que ouvira toda a conversa, e desligou o telefone.

Furiosa, ela atirou o telefone contra o pai e o pôs para fora de casa, depois de falar barbaridades para ele. Finalmente ela teve a prova que precisava para parar de defender o pai, que nunca a apoiou em nada na vida. Ela disse que ficou arrasada como se fosse ela a esposa traída, e que chorou o dia inteiro por causa disso. Arrasada, ela foi pra casa da irmã encontrar a mãe e contar tudo.

Eu não sou a melhor pessoa para ajudar ninguém nessas questões, visto que pra mim TODO E QUALQUER HOMEM NA FACE DA TERRA TRAI, considerando as muitas provas que já tive na vida, não só com ex-marido meu, mas com os ainda maridos alheios. Homens que indiscutivelmente pareciam os mais fiéis da Terra.

Por mais apaixonado ou caseiro que seja, o homem sempre trai, seja ao vivo, ou ciberneticamente, ou com a revistinha pornográfica que esconde da mulher. Pensou em ou desejou outra, pra mim, já traiu! A grama do vizinho é sempre mais verdinha, e não me iludo mais que o cara que está contigo na cama só pensa em você enquanto “desempenha o seu papel”, e nunca fantasia que está “comendo” outra enquanto “termina o serviço”. Atire a primeira pedra aquela que nunca ouviu o marido fantasiar na cama com outra pessoa enquanto estava nos finalmentes com ela.

Falei para a Cristina, que está noiva de um cara “gostosão”, que se prepare, pois com ela não será diferente (não sou de pôr panos quentes, falo mesmo!). Ela ficou apavorada com minha jogada de balde de água gelada nela, mas concordou que daqui pra frente tem que pensar diferente em relação aos homens, inclusive o dela.

O homem pode amar loucamente a esposa, e não querer nunca se separar dela, mas sempre pula a cerca atrás de uma “aventura eletrizante”, ou acaba não cedendo às cantadas de mulheres sem-vergonha que não fazem a mínima cerimônia para destruir os casamentos alheios, seja no trabalho, na rua ou nos barzinhos da vida. Parece que se não tiver esse momento desafiador, onde o homem tenta provar pra si mesmo que é capaz de pular a cerca sem ser descoberto pela mulher, a vida matrimonial não tem graça. É a realidade masculina, não tem jeito. Mas sei que ainda têm as iludidas que acham que o marido é santo. E eu já vi conhecidas minhas defenderem os maridos com unhas e dentes, eu mesma já tendo sido descaradamente assediada por eles, tsc tsc tsc. Depois de uma cachaça, então, eles não perdem a chance de atacar! Mas deixo pra lá. Que se iludam! Não adianta eu falar a verdade, porque não acreditarão em mim mesmo, mas nos maridos. Então fico na minha. Pra mim, o único homem santo alegadamente um dia virá para o dia do Juízo Final, hhehehe.

Outra conhecida minha esta semana colocou no Face que casou. Eu, sem papas na língua como sou (e até desagradável pelo meu excesso de “transparência”), disse a ela que não sabia se dava os parabéns ou os pêsames, mu-ah-ha-ha-hah tadinha… mais uma pobre coitada que em breve começará a ter adereços na cabeça.

Enfim, isso não é problema meu. Quem quiser continuar iludida com seu homem, que continue.

No meu último casamento, nunca confiei no meu ex-marido, desde o primeiro dia juntos, e dizia isso pra ele. E a prova de que fui traída por muitos anos só veio depois da nossa separação. Mas isso realmente não foi nenhuma surpresa pra mim, pois eu era casada consciente de que ele certamente pularia cercas. Depois do meu casamento anterior, tive provas de que todo e qualquer homem, por mais banana que seja, é capaz de trair! E por isso adquiri “anticorpos” para o meu último casamento. Ou eu convivia com o fato de ser possivelmente traída ou deveria me separar logo. Foi conveniente pra mim ter um companheiro, mas agora, com a certeza de que não sou mais traída, estou MUITO melhor. Eu sigo minha vidinha com meu pensamento e minha experiência de quase 47 anos. Maridos, namorados ou namoridos, nunca mais!!! Pode até rolar um amassozinho, porque ninguém é de ferro, mas compromisso, never more!

Então esse é o discurso de hoje, meninas. Bom domingo a todas.

Bjus

Adri =D

Sugar Rush – Julie G

Olá moças!

Cá estou de volta com mais um sand super lindo: SUGAR RUSH, da Julie G, uma marquinha que eu estou adorando usar, pois é bonito, fácil de esmaltar, e tem cores e textura super na moda!

Sugar Rush - Julie G

O Sugar Rush é um sand coral bem alaranjado, com floquinhos dourados, que lhe conferem brilhinhos especiais (e discretos) quando seco.

Sugar Rush - Julie G6

Sugar Rush - Julie G4

Para essa mani, eu usei duas camadas do Sugar Rush sobre peel off Peripera. Ficou super lindo, e eu não parava de olhar. Amo corais, amo sands e brilhinhos discretinhos. Não podia ser mais perfeito!

Sugar Rush - Julie G3

Sugar Rush - Julie G2

Esse lindinho está custando 20 reais na Esmalteria da KK. Aproveite, enquanto ainda tem! Tenho certeza que, assim como eu, vocês vão se apaixonar pelas suas unhas quando estiverem usando esse lindo!

Eu resolvi fazer uma experiência com esse lindo, e esponjei com SHE WALKS IN BEAUTY, da AEnglad. Vejam como ficou…

Sugar Rush Esponjado

Ficou lindooooo de morrer ao vivo!

E esse esmalte usei outro dia, e essas fotos estavam guardadas esperando a vez delas. Foi a sorte, né, porque ontem, me arrumando para sair para jantar com Gabi, minha unha quebrou vestindo uma meia-calça, vocês já viram isso???? Já vi unha puxar fio de meia-calça, mas ser quebrada por ela, foi a primeira vez que vi!

Fiquei bem chateada, né, porque eu estava tão felizinha com minhas unhas compridettes. Ainda tem outro post “pré-funeral”, que eu fiz ontem, antes do episódio.

Saímos para jantar eu, Gabs e mamis, pois fomos comemorar o niver de Mary. 19 aninhos de pura gostosura, heheheheh.

O mais engraçado foi ela tomando vinho comigo, e a galerinha das mesas ao lado olhando meio “reprovando”, por uma “menor” estar bebendo vinho, já que Gabi ainda tem cara de 15 anos, como algumas pessoas acham. A altura (ou a falta dela, hehehehe) da Gabi ajuda um pouco nessa confusão de idades. Vocês precisam ver, então, quando ela está dirigindo meu carro, aí é que o povo olha mesmo. Não sei como a polícia ainda não a parou!

Como fomos jantar no nosso restaurante preferido, que frequentamos sempre, o Maitre já nos trata como “da casa”, e no final do jantar presenteou Gabi (e eu e mamis, por tabela), com um lindo petit gateau com uma velinha, e ele e os garçons (e eu e mamis, claro), cantamos parabéns pra ela. Foi uma noite bem legal. E mais uma vez, PARABÉNS PRA GABI!!!!

Ela hoje está com uma turminha aqui em casa fazendo uma reuniãozinha, para não passar em brancas nuvens. Vai rolar um bolinho em forma de piano, que não ficou exatamente como queríamos, mas dá pro gasto. Espero que pelo menos esteja gostoso!

É isso então, meninas. Encerrei meu expediente por hoje, e vou, então, tentar me livrar da fase 74 do Candy Crush, heheheh.

Mas antes de partir, deixo aqui um comentário sobre a hipocrisia de alguns ditos “evangélicos”.

Acho um absurdo pessoas dizerem que são “de Deus”, se só agem como tal dentro de suas igrejas. Pessoas de Deus, de verdade, são humildes, solícitas, amigas, dão a outra face, são pacientes, tolerantes, amam o próximo como a si próprios, querem o bem dos outros como a si mesmos. Esse comportamento, de um servo de Deus, DE VERDADE, não consigo ver nos meus vizinhos hipócritas, que estão lá, agora, fazendo um culto e cantando pra vizinhança inteira ouvir, mas que no dia a dia viram o rosto para mim e mudam de calçada quando estou por perto, sem eu sequer ter feito nada com eles. Detalhe: antes, eles falavam comigo, e mesmo eu tendo perguntado o que houve para essa mudança de comportamento, e ter ouvido um “VOCÊ NÃO FEZ NADA”, eles nunca mais falaram comigo. Outro detalhe, é que foram pessoas que eu ajudei muito assim que eles se mudaram para a casa onde moram, em frente à minha. Inclusive, meu pai ajudou eles com instalação de ventiladores, colocação do número da casa no muro, etc. Eu, também, dei um garrafão de água de 20 litros para eles (pois não tinham como comprar) e ainda os deixei tomar banho na minha casa, pois eles estavam sem água.

Eu, sinceramente, estou me lixando pra eles não falarem mais comigo, qualquer que seja o motivo, pois eu sei o que fiz por eles, e sei que DEUS, também viu tudo o que fiz por eles, embora eu “não siga nenhuma religião”. Ter Deus no coração é muito mais do que cantar na igreja e orar. A gente vê quem tem Deus no coração (e não religião), pelo comportamento das pessoas. E foi devido à hipocrisia de muitos dos evangélicos que vi na minha vida (inclusive na igreja que eu frequentava), que eu resolvi “servir a Deus” à minha maneira, na minha própria casa, com minha consciência e julgamento próprio do que é certo e errado, do que agrada a Deus ou não. Definitivamente, o comportamento dos vizinhos, denota que eles são “servos de Deus” somente na aparência (para inglês ver), pois no coração, Deus certamente deve se envergonhar do comportamento deles.

E aqui fico! Boa noite!

Beijos

Adri =)

Os 10 mandamentos das Esmaltaradas

Olá garotas!
Hoje Gabs estava inspiradíssima. Esses dias ela me mandou uma foto da amiga Isabella, que é carinhosamente aqui conhecida como 0800 ou cobaia. (Liga não Isa, é só brincadeira heim!). Na foto, a Isabella devia estar sem nada pra fazer, e resolveu fazer uma nail art diferente. Ela pintou as unhas com caneta corretiva!!!! Vejam isso!

Já foi apelidado de Nail Art by Isabella. Se essa moda pega, Deus salve as unhas! (e não a Rainha)
É claro que esse tipo de “arte” não deve ser feito, né? Isso não deve mesmo ser nadinha bom pras unhas. Mas que ficou engraçado, ficou.
E, com base nisso, Gabs, inspiradíssima, resolveu criar os 10 mandamentos das Esmaltaradas, e eu quase morri de tanto rir da criatividade dessa franguinha. Vejam:

Os 10 mandamentos das Esmaltaradas
==================================
I) Amarás suas unhas acima de todas as coisas
II) Não usarás todo o esmalte em vão
III) Guardarás um dia da semana para pintar suas unhas
IV) Honrarás os fortalecedores e vitaminas para unhas
V) Não roerás (as unhas) nem usarás alicates (nas cutículas)
VI) Gastarás todas as economias em produtos para unhas e esmaltes
VII) Não roubarás esmaltes da farmácia
VIII) Não pintarás as unhas com falsos esmaltes (tais como corretivo líquido)
IX) Resistirás à tentação de trocar o esmalte a cada 2 dias
X) Não cobiçarás os esmaltes da próxima

O problema é que toda vez que Gabs está em época de prova eu acho que ela surta. Eu acho que o excesso de criatividade deve ser um efeito colateral do excesso de uso dos neurônios.
De qualquer maneira, eu quase molhei minha bermudinha de tanto rir do que eu li e mal acreditava no que estava lendo.
Isso me faz até lembrar desses filmes americanos onde existe um clube “Lambda” ou algo assim, de garotas, onde elas têm lá os mandamentos delas. No filme LEGALMENTE LOIRA tem um tal clubinho assim. Então, no nosso clubinho Esmaltaradas, agora temos nossos 10 mandamentos, meninas. Levantem a mão direita e falem os 10 mandamentos! rsrsrsrsrsrsrsrsr

Hoje o post é tagarelação/atualizações

MIMIMIMINHO
===========
Eu ganhei um miminho hoje da “alegra saltitante” Ana. Ela comprou pra mimar sua gurua fotográfica, um tubinho de amolecedor de cutículas Ideal. O cheirinho do bagulho é uma delícia. Dá vontade de comer. Tudo bem que a essa hora Fifi está carecendo de uma refeição. Mas vamos dar um desconto. Olhem o miminho aí!

Sabe, Ana, eu de repente fiquei com uma vontade tão grande de te ensinar mais coisas! rsrsrsrsrsrsrs Quem sabe na próxima vem uma caixa com uns 50 esmaltinhos. huashuashuahuahauhua
Tirando a brincadeira, muitíssimo obrigada. AMAY o presentinho. Agora vou experimentar essa sugestão do kit SEXY CUTICLES da Nina.

CONCURSO
========
Faltam DOIS dias pro concurso, e muita gente enfiou a violinha no saco e saiu de fininho sem criar coragem de mandar o mico. Não querem mesmo o Del Sol. Paciência…Azar o de vocês que não terão um esmalte legal.

LOJINHA ESMALTARADAS
======================
Quanto à nossa lojinha virtual, está bombando galera! Meu estoque de esferinhas já lambe o fundo do saco, e estou enviando praticamente um pedido de esmaltes a cada semana para atender à demanda. E junto com os pedidos, peço mais umas coisinhas diferentes pra mim. Nos próximos pedidos, então, teremos novidades. Difícil está receber os bandidos dos pacotes. Deve estar tudo parado na alfândega! haahhaahhaahhahaha Só demorei tanto assim a receber um pedido quando comprei na MBeauty Lounge. Deus me livre! Demorou tanto que eu já até tinha esquecido que tinha comprado os esmaltes.

A COZINHA
=========
Para quem acompanhou essa novela, ela continua…
Depois de descobrir que meu forno não cabia no armário (ficava uns 10 cm pra fora), de rodar a baiana com a loja dos armários, de eles virem consertar a caca que fizeram, de ver que o granito que entregaram não permitia usar panela na boca próxima à parede porque a panela batia na parede, de receber a pedra nova e descobrir que o buraco do cooktop ficou descentralizado em relação ao forno, de dar meu jeito e tentar minimizar essa caca, e finalmente depois de instalar o cooktop e o forno (nisso foram 3-4 semanas), eu resolvi testar o forno, que eu não tinha testado ainda. E??? Acendeu o seu forno? O meu também não!
Quase enfartei. Peguei o manual, li de cabo a rabo, fiquei mexendo no diacho do botão regulador do gás e do piloto de chama umas 2 horas e nada. Gastei ainda algumas ligações pra terrinha da Day pra reclamar do forno que não acendia. Alguém já viu um forno novo não acender???? Eu vi, pela primeira vez. Depois de dar “xilykes” (com toda classe), quase plantar bananeira pro forno acender e de desmontar (literalmente) o forno todo, a conclusão que eu e meu faz-tudo (meu jardineiro-eletricista-pintor-marceneiro-pedreiro-etc.) chegamos é que o defeito só podia estar no botão de abrir o gás. No dia seguinte recebi um email da fábrica dando instruções de como acender o forno. Alguém nessa vida já viu alguém precisar de instruções pra acender forno????? Nem eu. Eu fui a primeira. Gente, é um troço absurdo. Tem que pôr o botão em 290 graus e ficar empurrando o botão do regulador do gás pra trás por 15 segundos enquanto aperta o piloto da chama. O bicho fica lá se esguelando, cuspindo foguinho, e nada do queimador acender. Olha, é de perder a paciência. E, segundo as “instruções”, depois que o fogo acender, tem que continuar apertando o botão do regulador do gás “para garantir que não vai apagar”, affffffffffffff!!!! Olha, até consegui chegar à parte de acender o queimador, só que ele só acende pela metade! Fui amaldiçoada!!!!!!! Pra acender tudo tenho que queimar um pedacinho comprido de papel e jogar o fogo lá. Olha, gente, se algum dia precisarem comprar um forno de embutir a gás, não comprem da marca VENAX. Detestei! Aí vocês perguntam: e por que você não aciona a garantia? E eu respondo: Por motivos estéticos da minha cozinha, eu mandei arrancar a ponta da tomada do forno pra fazer uma ligação direta na parede, e isso fez o forno perder a garantia. Mas como é que nessa terra de Jesus eu ia imaginar que um forno novo não funcionaria???? Nunca vi na minha vida inteira um forno não funcionar, a não ser por entupimento do queimador, o que não é o caso, porque é um produto novo. Fora isso, ainda tem peças do armario pra chegar. Ou seja, foto da minha cozinha vocês só devem ver perto do Natal, pelo visto.
Vamos começar uma corrente de orações, rsrsrsrs aproveitando o tema do post de hoje, e fazer pensamento positivo pra minha cozinha nascer! Ana, minha filha, me dá umas dicas dos seus despachinhos, que eu vou comprar umas galinhas e velinhas. A farofa aproveito a que minha secretária fez hoje aqui, que tava uma delícia, mas eu abro mão…

Nail Art ou Exibicionismo?

Gente, com todo respeito ao gosto alheio. Gosto não se discute, eu sei. Assim como política e religião. Mas as coisas que a gente vê e que merecem os holofotes, quer seja por serem positivas ou negativas, a gente precisa mostrar para que sirvam como exemplo do que fazer ou não fazer.

Como vocês já devem saber, eu pesquiso bastante na internet, tanto para meu trabalho quanto para o blog. E eu caio de paraquedas em cada site que fico de cabelos em pé. O assunto hoje é NAIL ART (ART?????)

Eu era daquelas que só gostava do feijão com arroz da manicure. Corzinha clarinha e nada mais. Olhava para unhas vermelhas e pensava com meus botões que vermelho era cor de esmalte de “quenga” (prostituta, para as que não conhecem a gíria) (gente, que horror que um dia eu pensei isso!!!!!!).
No dia em que eu vi uma amiga minha com verde pistache na unha, quase vomitei. Achei a coisa mais horripilíssima (adotei, viu Ana? rsrsrsrsr) do mundo e disse para mim mesma que jamais na minha vida usaria uma cor daquelas. Mais ou menos pensava a mesma coisa dos azuis. Na verdade, nem marrom eu usava, mas um dia Gabi quis usar esmalte preto por causa de uma peça na escola e eu não deixei de jeito nenhum. A solução para ela foi comprar o marrom CAFE ITALIANO da Colorama, que é quase preto. Ridiculamente da minha parte, eu deixei ela pintar de marrom, mas não de preto (grande diferença, aff!). Enfim; um dia eu fui fazer minhas unhas e olhei aquele marrom jogado na bolsa de esmaltes, e minha primeira reação foi “IRC!” Logo em seguida olhei pra ele de rabo de olho, e a curiosidade falou mais alto… rsrsrsrs meti o marrom na unha. Estiquei o braço, olhei, olhei, e, sabe que eu simpatizei com ele? rsrsrsr Esse foi o dia em que “desvirginei” minhas unhas para cores escuras. De lá pra cá, foi só depravação! Vermelhos “quenga” (hoje chamados assim carinhosamente) são meus preferidos, tenho toneladas deles. Mas com tantas opções de cores agora, eles ficaram meio abandonados. Mas vou voltar a usar. E a transição para os azuis e verdes, que eu igualmente abominava, foi com o SKI TEAL WE DROP da OPI, como eu já contei em um post anterior. Hoje ainda tenho uma certa resistência com verde pistache e cores fluorescentes, mas o resto, traço quase tudo. Acho, que de qualquer maneira, tudo é uma questão de adaptação. Bem… mas pra mim adaptação tem limite!

A única coisa que eu acho que vai ser difícil eu usar, DE VERDADE, são as tais NAIL ARTS de apliques. Já foi um avanço eu usar carimbo! Talvez um cristalzinho singelo eu arrisque um dia. Mas tem NAIL ART (ART???) que eu, sinceramente, não sei como um ser humano mortal consegue ter coragem de usar. Lá pelas bandas da Coreia, Japão, China, etc, isso é uma verdadeira febre. E o que faz mais sucesso é o que é mais espalhafatoso.

Dê uma olhadinha neste site (clique para seguir o link). A imagem abaixo é só uma amostra do que você vai encontrar lá.

Fala sério! Você conseguiria algum dia na sua vida usar isso sem que te oferecessem MUITO dinheiro?

Como é que uma pessoa consegue viver ou fazer alguma coisa com esse móbile nos dedos. Edward mãos de tesoura pelo menos tinha uma utilidade pras tesouras dele, mas isso, é a mais pura inutilidade que eu já vi na vida. E ainda gastam horrores de dinheiro para manter essas “belezuras” nãs mãos.

As fashionistas de plantão que me desculpem, mas não creio que eu seja capaz de ir além de um simples cristalzinho na unha. Até esmalte craquelado já me dá coceira só de olhar. Já foi uma grande evolução eu aceitar usar flocado sobre esmalte escuro! Mas aí entra a questão do GOSTO NÃO SE DISCUTE. Na verdade, eu não estou discutindo, só estou colocando meu ponto de vista, até mesmo para vocês saberem que eu mesma jamais farei nas minhas unhas ou colocarei no meu blog alguma coisa assim (espero que eu nunca fique lesada a ponto de me contradizer depois). Por enquanto, estou ainda na fase de preparação de espírito pro cristalzinho, mas UMZINHO!

O mercado de esmaltes hoje nunca rendeu tanto dinheiro no mundo. Já vimos realmente coisas maravilhosas, como os esmaltes holográficos, que injustamente saíram de linha sem eu sequer ter tido o prazer de colocar um deles nas minhas unhas. O meu sonho de consumo era um Nfu Oh, mas… vou me contentar com meu Arwen da Sancion Angel, que só tem holográfico no nome (pelo menos isso). Quem sabe um dia os fabricantes resolvem ressuscitar os holos. E o que eu não entendo, é que eram esmaltes tão desejados pelas mulheres quanto o Gianecchini. Na verdade eu não sei pra qual dos dois (o esmalte ou o Gianecchini) eu correria se estivessem na minha frente, rsrsrsrsrsrs. Bem… pensando melhor, um esmalte não faz nada mais interessante e criativo do que só enfeitar… Acho que eu ficaria com o Gianecchini mesmo, rsrsrsrsrsrs

(Voltando ao tópico, depois de ter perdido um pouco o fôlego…) Enquanto isso, vão inventando coisas novas, e o tempo de vida delas no mercado obviamente dependerá da sua aceitação pelas consumidoras. Se depender de mim, esse mercado de adereços “melancia” para unhas vai falir…